30 abril 2016

Papa Francisco: deixai-vos reconciliar com Deus

Sábado, 30 de abril – mais uma audiência jubilar com o Papa Francisco neste Ano Santo da Misericórdia. Na sua catequese o Santo Padre falou sobre misericórdia e reconciliação.
Grande entusiasmo numa Praça de S. Pedro repleta de dezenas de milhares de fiéis que ouviram o Papa dizer que a reconciliação é um aspecto importante da misericórdia de Deus, que não quer ninguém distante do seu amor.
De facto, quando pecamos, pensamos que Deus se afasta de nós, mas, na verdade, somos nós que Lhe "viramos as costas", pois rejeitamos o seu amor, ficamos fechados em nós mesmos, iludidos por uma falsa promessa de mais liberdade e autonomia – afirmou o Papa.
Porém, Jesus, o Bom Pastor, não se cansa de ir atrás da ovelha perdida, oferecendo-nos a reconciliação com Deus: ao dar-nos a sua vida, Ele nos reconciliou com o Pai – declarou Francisco que exortou os cristãos a deixarem-se reconciliar com Deus:
"«Deixai-vos reconciliar com Deus» (2 Cor 5,20): é o grito que o Apóstolo Paulo dirige aos primeiros cristãos de Corinto, hoje com a mesma força e convicção vale para todos nós".
"Este Jubileu da Misericórdia é um tempo de reconciliação para todos" – afirmou o Santo Padre que recordou o papel do confessor na celebração do sacramento da reconciliação, observando que este deve ser um pai ao acolher as pessoas que o procuram, não transformando esse momento numa tortura ou num interrogatório, mas num caminho de reconciliação.
"Fazer experiência da reconciliação com Deus permite descobrir a necessidade de outras formas de reconciliação: nas famílias, nas relações interpessoais, nas comunidades eclesiais, como também nas relações sociais e internacionais" – afirmou o Papa no final da sua catequese.
Nesta audiência jubilar o Papa Francisco pronunciou uma mensagem especial para os largos milhares de militares e polícias de todo o mundo, presentes no Vaticano com as suas famílias, para momentos a eles dedicados neste Jubileu da Misericórdia:
"Com alegria dou as boas-vindas aos representantes das forças armadas e das polícias, provenientes de tantas partes do mundo, vindos  em peregrinação a Roma por ocasião do Jubileu Extraordinário da Misericórdia. As forças da ordem – militares e polícia – têm por missão garantir um ambiente seguro, por forma a que cada cidadão possa viver em paz e serenidade. Nas vossas famílias, nos vários âmbitos em que operais, sede instrumentos de reconciliação, construtores de pontes e semeadores de paz. Sede, com efeito, chamados não só a prevenir, gerir, ou pôr fim aos conflitos, mas também a contribuir para a construção de uma ordem fundada na verdade, na justiça, no amor e na liberdade, segundo a definição de paz de S. João XXIII na Encíclica Pacem in Terris".
"A afirmação da paz não é empresa fácil, sobretudo por causa da guerra, que torna áridos os corações e junta violência e ódio. Exorto-vos a não desencorajar-vos. Prossigam o vosso caminho de fé e abri os vossos corações a Deus Pai misericordioso que não se cansa nunca de perdoar-nos. Perante os desafios de cada dia, fazei resplandecer a esperança cristã, que é certeza da vitória do amor sobre o ódio e da paz sobre a guerra".
O Santo Padre saudou também os peregrinos de língua portuguesa:
"Queridos peregrinos de língua portuguesa, sede bem-vindos! Saúdo-vos como membros desta família que é a Igreja, pedindo-vos que renoveis o vosso compromisso para que as vossas comunidades sejam lugares sempre mais acolhedores, onde se faz experiência da misericórdia e do perdão de Deus. Que Nossa Senhora proteja a cada um de vós, e o Senhor vos abençoe a todos"!
O Papa Francisco a todos deu a sua bênção!

Nenhum comentário:

Postar um comentário