20 fevereiro 2017

Senado e Câmara devem blindar alvos da Lava Jato

 
Prestes a ser atingido pelo tsunami de acusações das delações da Odebrecht, o Congresso prepara uma blindagem interna para preservar senadores e deputados ameaçados pela Lava Jato. O front agora são os conselhos de ética das duas Casas, que são espécie de "tribunais" legislativos, responsáveis por recomendar ao plenário a cassação ou não do mandato de um deputado ou de um senador pela chamada quebra do decoro parlamentar. Os congressistas agora concentram esforços para atuar nos conselhos e restringir, por lá, o impacto das delações. 
"Tanto o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), quanto o do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), são citados na delação da Odebrecht. Os dois políticos negam irregularidade.
Os conselhos de ética da Câmara e do Senado terão suas novas composições definidas após o Carnaval.
O do Senado é composto por 15 parlamentares e deve ser comandado pela sexta vez por João Alberto Souza (PMDB-MA), ligado ao ex-presidente e ex-senador José Sarney (PMDB-AP).
Já o Conselho de Ética da Câmara é composto por 21 deputados. Assim como no Senado, o colegiado terá novos integrantes indicados pelos partidos após o Carnaval e, depois disso, os indicados elegem o presidente".

Nenhum comentário:

Postar um comentário