04 julho 2017

Governo admite não ter votos para barrar denúncia em comissão

Lula Marques/Agência PT 
247 - Michel Temer já mostrou que está disposto a embarcar no "toma-lá dá-cá" para conseguir barrar a denúncia contra ele na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara. Mesmo assim, aliados do governo fizeram as contas e constataram: o Planalto ainda não tem votos suficientes para ter uma vitória na comissão. 
Mapas de votação feitos por líderes governistas mostram que o governo tem assegurados apenas 30 votos a favor de Temer entre os 66 integrantes da comissão. Há 21 indecisos que têm demonstrado insatisfação com o Planalto e ameaçam se posicionar contrariamente.
Temer precisa de 34 votos para garantir que a CCJ recomende o arquivamento da denúncia, que depois ainda precisará ser votada em plenário. A meta é ter pelo menos 40 votos, o que daria uma margem de segurança para obter um relatório favorável contra a denúncia.
Partindo de um placar já desfavorável, auxiliares de Temer acreditam que a prisão do ex-ministro Geddel Vieira Lima, que foi braço-direito de Temer no governo, pode dificultar o trabalho de convencimento dos deputados indecisos.
"A prisão logicamente traz mais uma instabilidade política, mais turbulência naquilo que a oposição deverá fazer durante toda a semana", disse o líder do governo no Congresso, André Moura (PSC-SE). "Não podemos permitir que fatores externos possam ser utilizados na tentativa de trazer um tumulto ainda maior."
O mapa de votos dos líderes governistas revela que há risco significativo de traição a Temer nos partidos da base aliada, que detêm cargos no governo.
Ao menos 5 dos 7 integrantes da CCJ indicados pelo PSDB, que comanda quatro ministérios, devem votar contra Temer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário