O milagre tem a medida da nossa fé, mas, até para crer, precisamos da maravilhosa graça de Deus. É pela graça que temos fé e é pela fé que somos justificados e, depois, agimos de maneira coerente com esta fé e com essa graça, e mostramos, com obras, a nossa fé. Aqueles cegos seguiram Jesus gritando: "Tem piedade de nós, Filho de Davi"! E Jesus disse: "Vós acreditais que eu posso fazer isso?" Eles responderam: "Sim, Senhor!" Então, Jesus tocou nos olhos deles, dizendo assim: "Faça-se conforme a vossa fé"! E os olhos deles se abriram. Tudo posso, pela fé, que a graça de Deus coloca em mim (Mt 9,27-31).
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Mt 9,27-31)

Dois cegos, crendo em Jesus, são curados.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 9,27-31

Naquele tempo, partindo Jesus, dois cegos o seguiram, gritando: "Tem piedade de nós, filho de Davi!" Quando Jesus entrou em casa, os cegos se aproximaram dele. Então Jesus perguntou-lhes: "Vós acreditais que eu posso fazer isso?"
Eles responderam: "Sim, Senhor". Então Jesus tocou nos olhos deles, dizendo: "Faça-se conforme a vossa fé". E os olhos deles se abriram. Jesus os advertiu severamente: "Tomai cuidado para que ninguém fique sabendo". Mas eles saíram, e espalharam sua fama por toda aquela região.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:


TEM COMPAIXÃO DE NÓS! - O dom da fé equivale a estrear olhos novos, como os dos cegos do Evangelho de hoje. Com esses olhos, poderíamos ver a vida e o mundo, as pessoas e as coisas como Deus as vê, iluminando e dando sentido à existência individual e comunitária, entendendo e assumindo a realidade pessoal, familiar, inclusive quando já não se veria nenhum sentido nela. Uma vez que a fé é dom gratuito de Deus, temos de pedir-lhe continuamente: Senhor, aumenta a nossa fé!
Deus costuma colocar em nós a solução; o milagre passa pelas nossas mãos. O povo estava cansado no deserto e com fome, estava há três dias sem comer. Os discípulos pensaram no que seria mais lógico fazer: mandar a população pra casa, para comer. E Jesus disse: "Não! Não vamos mandá-los embora com fome! Eles podem desmaiar pelo caminho. E, então, os discípulos disseram: "Mas não temos comida! Como vamos saciar esta multidão"? Jesus perguntou: "Quantos pães tendes"? E nós conhecemos a história: o milagre aconteceu, mas passou pela disponibilidade de alguém, que deu sete pães e alguns peixinhos (Mt 15,29-37).
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Mt 15,29-37)

Jesus cura muitos e multiplica os pães.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 15,29-37

Naquele tempo, Jesus foi para as margens do mar da Galileia, subiu a montanha, e sentou-se. Numerosas multidões aproximaram-se dele, levando consigo coxos, aleijados, cegos, mudos, e muitos outros doentes. Então os colocaram aos pés de Jesus. E ele os curou. O povo ficou admirado, quando viu os mudos falando, os aleijados sendo curados, os coxos andando e os cegos enxergando. E glorificaram o Deus de Israel.
Jesus chamou seus discípulos e disse: "Tenho compaixão da multidão, porque já faz três dias que está comigo, e nada tem para comer. Não quero mandá-los embora com fome, para que não desmaiem pelo caminho".
Os discípulos disseram: "Onde vamos buscar, neste deserto, tantos pães para saciar tão grande multidão?" Jesus perguntou: "Quantos pães tendes?" Eles responderam: "Sete, e alguns peixinhos". E Jesus mandou que a multidão se sentasse pelo chão. Depois pegou os sete pães e os peixes, deu graças, partiu-os, e os dava aos discípulos, e os discípulos, às multidões. Todos comeram, e ficaram satisfeitos; e encheram sete cestos com os pedaços que sobraram.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

DEIXAR-SE ALIMENTAR PELO SENHOR - Vejam a profundidade desta afirmação: Celebrar a Ceia do Senhor é partilhar o seu Pão e o nosso pão!. Disso, temos, então, que o pão partilhado em fraternidade, especialmente com os mais pobres e sofredores, além de ser um gesto sagrado, é expressão de uma religião autêntica. Quem nos atesta essa verdade é o próprio São Tiago. Pensemos: que tipo de pão posso partilhar com os idosos, solitários, doentes terminais, crianças sem família, mães abandonadas e tantos outros?
O Reino de Deus ultrapassa nossos tribalismos e partidarismos sectários: há lugar para todos. Aquele oficial romano não era da tribo de Jesus, não era da sua religião, mas pediu que Jesus curasse o seu servo. O Mestre afirmou que iria na casa dele e ele disse: "Não precisa! Diga apenas uma palavra e meu servo ficará curado"! E Jesus elogiou a fé daquele homem, que era de outra religião. Somos hábeis em criar divisões, partidos, seitas... somos hábeis em dividir as pessoas entre direita, esquerda, alto, baixo. Jesus veio para salvar a todos (Mt 8,5-11)!
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Mt 8,5-11)

Muitos virão do Oriente e do Ocidente para o Reino do Céu.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 8,5-11

Naquele tempo, quando Jesus entrou em Carfanaum, um oficial romano aproximou-se dele, suplicando: "Senhor, o meu empregado está de cama, lá em casa, sofrendo terrivelmente com uma paralisia". Jesus respondeu: "Vou curá-lo". O oficial disse: "Senhor, eu não sou digno de que entres em minha casa. Dize uma só palavra e o meu empregado ficará curado. Pois eu também sou subordinado e tenho soldados sob minhas ordens. E digo a um: 'Vai!, e ele vai'; e a outro: 'Vem!, e ele vem'; e digo a meu escravo: Faze isto!, e ele o faz". Quando ouviu isso, Jesus ficou admirado, e disse aos que o seguiam: "Em verdade, vos digo: nunca encontrei em Israel alguém que tivesse tanta fé. Eu vos digo: muitos virão do Oriente e do Ocidente, e se sentarão à mesa no Reino dos Céus, junto com Abraão, Isaac e Jacó".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

PURIFICADO POR JESUS - Jesus se admira com a fé de um pagão, fé que não encontrou entre os seus. Mas em que consiste esta admirável fé do Centurião senão no reconhecimento de sua pequenez? "não sou digno de que entreis em minha casa", e, em sua confiança absoluta no poder curador de Jesus, pede: "dá uma ordem e meu servo ficará curado". Muita atenção, pois a experiência nos diz que tal fé é impossível em um contexto cultural ou pessoal de autossuficiência. Senhor, concede-nos o dom da humildade, porta de entrada para uma fé profunda e de entrega.
Devemos estar sempre preparados, pois um fato inesperado sempre pode acontecer. Um acidente, de repente, não estava na agenda, não estava no cronograma, não tinha sido premeditado, mas aconteceu. Aquela doença, que vai ocupar tanto do seu tempo, não estava nos seus planos. Aquela alegria inesperada, aquilo que ninguém lhe disse que aconteceria, mas, simplesmente, aconteceu, são fatos inesperados. Não devemos viver a vida como quem se acostumou a uma rotina que não se altera. O Senhor virá e não marcará a hora para chegar (Mt 24,37-44).
Pe. Joãozinho, scj
Anúncio do Evangelho (Mt 24,37-44)

Ficai atentos e preparados!


+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 24,37-44

Naquele tempo, Jesus disse aos seus discípulos: "A vinda do Filho do Homem será como no tempo de Noé. Pois nos dias, antes do dilúvio, todos comiam e bebiam, casavam-se e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca. E eles nada perceberam, até que veio o dilúvio e arrastou a todos. Assim acontecerá também na vinda do Filho do Homem.
Dois homens estarão trabalhando no campo: um será levado e o outro será deixado. Duas mulheres estarão moendo no moinho: uma será levada e a outra será deixada.
Portanto, ficai atentos, porque não sabeis em que dia virá o Senhor.
Compreendei bem isto: se o dono da casa soubesse a que horas viria o ladrão, certamente vigiaria e não deixaria que a sua casa fosse arrombada.
Por isso, também vós ficai preparados! Porque, na hora em que menos pensais, o Filho do Homem virá".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
PRONTOS PARA RECEBER O SENHOR - O tempo litúrgico do Advento convida-nos à preparação para acolher o Senhor que vem. O apelo insistente da Igreja questiona a tendência dos cristãos a serem acomodados, quando não contaminados pela mentalidade mundana, centrada na busca desenfreada do prazer e na consecução de interesses pessoais. Desconhecendo o dia e a hora em que o Senhor virá, o discípulo deve estar sempre pronto para recebê-lo. A prontidão cristã é feita de pequenos gestos de amor, na simplicidade do quotidiano. Nada de ações mirabolantes nem de tarefas heroicas a serem cumpridas! Exige-se do discípulo apenas amor sincero e gratuito a Deus e ao próximo.
O episódio bíblico acerca da figura de Noé e do dilúvio ilustra a atitude contrária àquela do discípulo do Reino. A devastação diluviana tomou de surpresa a humanidade. Ninguém, além de Noé e de sua família, deu-se conta do que estava para acontecer. Por isso, comia-se, bebia-se e se celebravam bodas, na mais total ignorância da fúria destruidora da natureza que se abateria sobre a Terra.

O Senhor espera encontrar os discípulos do Reino vigilantes, quando de sua chegada. A menor desatenção pode revelar-se perigosa. Por isso, o egoísmo jamais poderá ter lugar no coração de quem quer ser encontrado pelo Senhor. Só existe uma maneira de preparar-se para este momento: amar...
Para iniciar a nossa caminhada em preparação ao Natal, o Conselho Paroquial de Pastoral da Paróquia de Nossa Senhora dos Aflitos se reuniu com os animadores e lideranças para distribuir o livro da Novena de Natal.
Existem oportunidades que passam apenas uma vez em nossa vida. Responda imediatamente! Naquele dia, Jesus passava à beira do mar da Galileia e viu Simão e seu irmão André. Estavam pescando, e Jesus disse: "Segui-me e eu farei de vós pescadores de gente"! Eles, imediatamente, deixaram as redes e o seguiram. Ele continuou caminhando, e viu também Thiago e seu irmão João, que estavam consertando as redes. Jesus os chamou e eles, imediatamente, deixaram a barca e o pai, e o seguiram. A poucos passos, deveria ter mais alguém, que Jesus convidou também, mas, provavelmente, esse não teve ouvidos para ouvir. Pedro é São Pedro; Tiago, São Tiago; João é São João; André é Santo André. Responderam imediatamente (Mt 4,18-22)!
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Mt 4,18-22)

Imediatamente deixaram as redes e o seguiram.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 4,18-22

Naquele tempo, quando Jesus andava à beira do mar da Galileia, viu dois irmãos: Simão, chamado Pedro, e seu irmão André. Estavam lançando a rede ao mar, pois eram pescadores. Jesus disse a eles: "Segui-me, e eu farei de vós pescadores de homens". Eles imediatamente deixaram as redes e o seguiram. Caminhando um pouco mais, Jesus viu outros dois irmãos: Tiago, filho de Zebedeu, e seu irmão João. Estavam na barca com seu pai Zebedeu, consertando as redes. Jesus os chamou.Eles imediatamente deixaram a barca e o pai, e o seguiram.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

COMPANHEIROS NA MISSÃO - Celebrando o apóstolo André, recordamo-nos que todos recebemos as mesmas vocação e missão, ou seja, estar com o Senhor e anunciá-lo. Este é um tempo e um espaço propício para fazermos um pequeno balanço de nossa missão. Conseguimos nos identificar com aquele que nos chamou? Conseguimos compartilhar nossa missão? Que tipo de resposta damos ao seu constante chamado?

Se olharmos ao nosso redor, veremos os sinais dos tempos: Deus fala nas flores e nos pardais, fala nas pessoas, fala no vento... O Senhor fala por meio de uma carta de amor, que é a natureza. Ele declara seu amor apaixonado por nós, quando vemos uma rosa e enxergamos, ali, o "Eu te amo" de Deus. Mas é preciso ter olhos para ver, ouvidos para ouvir, sensibilidade para sentir esse Deus amoroso, que escondeu suas declarações de amor, naquilo que nos rodeia. É preciso transformar tudo isso em um grande hino de louvor. Obrigado Senhor (Lc 21,29-33)!
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Lc 21,29-33)

Quando virdes acontecer essas coisas, ficai sabendo que o Reino de Deus está perto.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 21,29-33

Naquele tempo, Jesus contou-lhes uma parábola: “Olhai a figueira e todas as árvores. Quando vedes que elas estão dando brotos, logo sabeis que o verão está perto. Vós também, quando virdes acontecer essas coisas, ficai sabendo que o Reino de Deus está perto. Em verdade, eu vos digo: tudo isso vai acontecer antes que passe esta geração. O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

O REINO DE DEUS ESTÁ PERTO - A figueira brota todos os anos, pois a cada ano nos chega a primavera. Assim também todos os dias e todos os anos a Palavra de Deus nos chega com toda sua força e vitalidade; chega-nos com o poder de fazer brotar a fé, a paz, o perdão e a fraternidade; chega-nos com o poder de nos ressuscitar! Não sejamos motivo de decepção, como aquela figueira cheia de folhas, mas sem nenhum fruto. As folhas são importantes, mas não superam a beleza e o sabor de vida próprios dos frutos. Só o fruto mata a fome e sustenta nosso corpo!
Evangelho (Lc 21,12-19)

Todos vos odiarão por causa do meu nome. Mas vós não perdereis.um só fio de cabelo da vossa cabeça.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 21,12-19

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Antes que estas coisas aconteçam, sereis presos e perseguidos; sereis entregues às sinagogas e postos na prisão; sereis levados diante de reis e governadores por causa do meu nome. Esta será a ocasião em que testemunhareis a vossa fé. Fazei o firme propósito de não planejar com antecedência a própria defesa; porque eu vos darei palavras tão acertadas, que nenhum dos inimigos vos poderá resistir ou rebater. Sereis entregues até mesmo pelos próprios pais, irmãos, parentes e amigos. E eles matarão alguns de vós. Todos vos odiarão por causa do meu nome. Mas vós não perdereis um só fio de cabelo da vossa cabeça. É permanecendo firmes que ireis ganhar a vida"!
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

A PERSEVERANÇA QUE SALVA - As palavras de Jesus nestes últimos dias do Ano Litúrgico (Tempo Comum) nos fazem refletir sobre as palavras e as atitudes dos nossos irmãos, os Santos, que não cansam de nos ensinar que, no seguimento de Jesus Cristo, podem surgir tanto sofrimentos quanto alegrias; tanto dificuldades quanto perseguições. Consigo aceitar essa verdade como parte integrante de minha fé e minha esperança? Em que estado se encontra minha confiança quando, inevitavelmente, preciso passar por situações conflituosas e que me causam dor e angústia?
Vivemos no tempo da mentira. O diabo aprendeu a usar o celular e agora se chama "Fakenews". Jesus já advertia há dois mil anos: "Cuidado para não serdes enganados"! Disse, inclusive, que muitos anunciariam tragédias, outros marcariam a data da segunda vinda do Filho de Deus. Mas Jesus disse: "Deixe tudo isso no Coração do Pai! Viva rezando e vigiando para não cair em tentação"! Viva na graça, viva seu dia-a-dia no amor e no humor! E procure não encaminhar aquela mensagem que você nem mesmo leu e que, provavelmente, foi enviada por satanás (Lc 21,5-11).
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Lc 21,5-11)

Não ficará pedra sobre pedra.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 21,5-11

Naquele tempo, algumas pessoas comentavam a respeito do Templo que era enfeitado com belas pedras e com ofertas votivas. Jesus disse: "Vós admirais estas coisas? Dias virão em que não ficará pedra sobre pedra. Tudo será destruído". Mas eles perguntaram: "Mestre, quando acontecerá isto? E qual vai ser o sinal de que estas coisas estão para acontecer?" Jesus respondeu: "Cuidado para não serdes enganados, porque muitos virão em meu nome, dizendo: 'Sou eu!' E ainda: 'O tempo está próximo'. Não sigais essa gente! Quando ouvirdes falar de guerras e revoluções, não fiqueis apavorados. É preciso que estas coisas aconteçam primeiro, mas não será logo o fim". E Jesus continuou: "Um povo se levantará contra outro povo, um país atacará outro país. Haverá grandes terremotos, fomes e pestes em muitos lugares; acontecerão coisas pavorosas e grandes sinais serão vistos no céu".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

NÃO FICARÁ PEDRA SOBRE PEDRA - "Vede que não sejais enganados (…)". Para não sermos enganados, precisamos estar bem alicerçados na Palavra de Jesus e nos ensinamentos da Mãe Igreja. Mas, para isso, precisamos cultivar uma vida de fé, esperança, caridade e oração. Não podemos brincar de ter fé, pois são exatamente os que brincam de ter fé que são enganados. Não podemos ser uma taquara ou um galho exposto à ação do vento; precisamos ser pedras firmes e estáveis.


O pouco com Deus é tudo; o tudo sem Deus é nada. Jesus elogiou aquela viúva, que ofertou duas pequenas moedas no Templo de Jerusalém. E disse que a oferta dela valeu mais do que de todos, porque todos ofertaram do que lhes sobrava, e ela entregou do que lhe faria falta. Ela entregou das suas lágrimas, do seu suor e do seu sangue. Nossa vida é uma permanente oferta; é um ato de oblação; é uma entrega para Deus e para os irmãos. Quando nos unimos à entrega de Jesus, e damos do que nos falta, estamos entregando tudo. E Deus devolve o cêntuplo transformado no seu próprio coração (Lc 21,1-4). Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Lc 21,1-4)

Viu também uma pobre viúva que depositou duas pequenas moedas.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 21,1-4

Naquele tempo, Jesus ergueu os olhos e viu pessoas ricas depositando ofertas no tesouro do Templo. Viu também uma pobre viúva que depositou duas pequenas moedas. Diante disso, ele disse: "Em verdade vos digo que essa pobre viúva ofertou mais do que todos. Pois todos eles depositaram, como oferta feita a Deus, aquilo que lhes sobrava. Mas a viúva, na sua pobreza, ofertou tudo quanto tinha para viver".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

UM MODO DIFERENTE DE AVALIAR - Dar tudo o que se tem para viver é o sinal visível de uma confiança total em Deus e em seu amor. Mas somos frágeis, e esse passo nos é custoso. Neste dia em que somos tão fortemente questionados, peçamos ao Senhor que tenha paciência com cada um de nós e que não se canse de nos esperar!

Toda profecia tem seus riscos. Os profetas anunciam e denunciam. Conhecemos a história em que Jesus expulsou os vendilhões do Templo. Aquela atitude de "ira santa", custou a ele uma ameaça de morte. Mas Jesus não se deixou intimidar, porque os profetas não têm medo. A palavra não vem de dentro deles, vem de dentro do coração de Deus! Profetas verdadeiros são apenas ecos criativos do coração de Deus, aonde está, realmente, toda a verdade. O profeta fala em nome de Deus, anuncia, com unção, em nome de Deus, e denuncia, sem temor, tudo aquilo que está, também, no coração de Deus (Lc 19,45-48).
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Lc 19,45-48)

Fizestes da casa de Deus um antro de ladrões.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 19,45-48

Naquele tempo, Jesus entrou no Templo e começou a expulsar os vendedores. E disse: "Está escrito: 'Minha casa será casa de oração'. No entanto, vós fizestes dela um antro de ladrões". Jesus ensinava todos os dias no Templo. Os sumos sacerdotes, os mestres da Lei e os notáveis do povo procuravam modo de matá-lo. Mas não sabiam o que fazer, porque o povo todo ficava fascinado quando ouvia Jesus falar.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

A CASA DE DEUS PROFANADA - Jesus entrou no templo, expulsou os vendedores e, todos os dias, aí ensinava. Seu modo de atuar nos recorda que o Espírito move a Igreja a dar primazia à Palavra e à pessoa de Cristo. Talvez já esteja na hora de nos libertarmos das coisas secundárias e que nos impedem de nos centrarmos em Jesus e em seus ensinamentos. Temos uma forte tentação às coisas secundárias e marginais de nossa vida. Muita atenção!
Deus nos dá a semente e depois pede o fruto. Temos a vida toda para cultivar e administrar os dons de Deus. Lembre-se da história que Jesus contou do homem que foi para um lugar distante, para ser coroado rei, e deixou seus bens sob o cuidado de seus funcionários. Deu cem moedas a cada um, e, ao voltar, o primeiro lhe devolveu mil moedas, e foi elogiado por administrar bem. O segundo não teve tanto sucesso, mas também devolveu mais do que recebeu. Mas houve um terceiro, que ficou com medo, e devolveu apenas as cem moedas que recebera. E Jesus diz que este foi repreendido pelo seu Senhor, porque Deus colhe onde semeou, mas onde a gente cultivou (Lc 19,11-28).
Pe. Joãozinho, scj

Evangelho (Lc 19,11-28)

Porque tu não depositaste meu dinheiro no banco?
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 19,11-28

Naquele tempo, Jesus acrescentou uma parábola, porque estava perto de Jerusalém e eles pensavam que o Reino de Deus ia chegar logo. Então Jesus disse:
"Um homem nobre partiu para um país distante, a fim de ser coroado rei e depois voltar. Chamou então dez dos seus empregados, entregou cem moedas de prata a cada um e disse: 'Procurai negociar até que eu volte'.
Seus concidadãos, porém, o odiavam, e enviaram uma embaixada atrás dele, dizendo: 'Nós não queremos que esse homem reine sobre nós'. Mas o homem foi coroado rei e voltou. Mandou chamar os empregados, aos quais havia dado o dinheiro, a fim de saber quanto cada um havia lucrado. O primeiro chegou e disse: 'Senhor, as cem moedas renderam dez vezes mais'. O homem disse: 'Muito bem, servo bom. Como foste fiel em coisas pequenas, recebe o governo de dez cidades'.
O segundo chegou e disse: 'Senhor, as cem moedas renderam cinco vezes mais'. O homem disse também a este: 'Recebe tu também o governo de cinco cidades'. Chegou o outro empregado e disse: 'Senhor, aqui estão as tuas cem moedas que guardei num lenço, pois eu tinha medo de ti, porque és um homem severo. Recebes o que não deste e colhes o que não semeaste'. O homem disse: 'Servo mau, eu te julgo pela tua própria boca. Tu sabias que eu sou um homem severo, que recebo o que não dei e colho o que não semeei. Então, por que tu não depositaste meu dinheiro no banco? Ao chegar, eu o retiraria com juros'. Depois disse aos que estavam aí presentes: ‘Tirai dele as cem moedas e dai-as àquele que tem mil’. Os presentes disseram: 'Senhor, esse já tem mil moedas!' Ele respondeu: 'Eu vos digo: a todo aquele que já possui, será dado mais ainda; mas àquele que nada tem, será tirado até mesmo o que tem. E quanto a esses inimigos, que não queriam que eu reinasse sobre eles, trazei-os aqui e matai-os na minha frente'". Jesus caminhava à frente dos discípulos, subindo para Jerusalém.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

A ENTRONIZAÇÃO REAL - A parábola evangélica tem como pano de fundo um fato histórico. Arquelau, um dos filhos de Herodes, tinha viajado para Roma com o intuito de pedir ao imperador César Augusto para confirmá-lo no trono, com o título de rei. Arquelau era perverso como seu pai, por isso o povo judeu o odiava. Foi por esta razão que uma delegação judia seguiu também para Roma para se opor, diante do imperador, contra a nomeação. A questão foi contornada pela autoridade romana que concedeu a Arquelau apenas o título de tetrarca. Desconhece-se qual terá sido sua reação ao voltar. Contudo, a ordem do rei mandando trucidar seus inimigos na presença dele, pode revelar a ira contra seus opositores. Pouco tempo depois, foi destituído do cargo.
A parábola oferece pistas para compreender o que está para acontecer com Jesus. Ele é quem está para ser investido rei pelo Pai. Isto exigirá dele passar, antes, pela morte e, depois, ressuscitar. O tempo de sua ausência é oferecido aos discípulos como oportunidade para fazerem frutificar os donos recebidos de Deus. Os sensatos e responsáveis irão, logo, fazê-los multiplicar. Os medrosos permanecerão bloqueados, e seus dons estarão fadados à esterilidade. Além disso, os inimigos de Jesus, contrários à sua condição de Messias, iriam perseguir a comunidade dos discípulos.
Todavia, ao voltar, revestido do poder real para realizar o juízo, o Mestre retribuirá a cada um conforme se tiver comportado. A prudência aconselha, pois, o caminho da fidelidade ao Messias Jesus.


Perguntar é um jeito de amar. Faça muitas perguntas e reconheça que alguém pode lhe ensinar algo. O bom professor é um perguntador. O medíocre apenas tem respostas e nunca faz perguntas. Ele é orgulhoso, pensa que sabe tudo. O humilde faz a pergunta certa para a pessoa certa. Jesus perguntou àquele cego: "O que queres que eu te faça"? E a resposta foi óbvia: "Senhor, eu quero enxergar"! Jesus sabia que ele queria a cura da cegueira, mesmo assim teve a gentileza e a humildade de perguntar: "O que queres que eu te faça"? Pergunte muito e será um líder amoroso (Lc 18,35-43)!
Pe. Joãozinho, scj

Evangelho (Lc 18,35-43)

O que queres que eu faça por ti?' Senhor, eu quero enxergar de novo.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 18,35-43

Quando Jesus se aproximava de Jericó, um cego estava sentado à beira do caminho, pedindo esmolas. Ouvindo a multidão passar, ele perguntou o que estava acontecendo. Disseram-lhe que Jesus Nazareno estava passando por ali. Então o cego gritou: "Jesus, filho de Davi, tem piedade de mim!" As pessoas que iam na frente mandavam que ele ficasse calado. Mas ele gritava mais ainda: "Filho de Davi, tem piedade de mim!" Jesus parou e mandou que levassem o cego até ele. Quando o cego chegou perto, Jesus perguntou: "Que queres que eu faça por ti?" O cego respondeu: "Senhor, eu quero enxergar de novo". Jesus disse: "Enxerga, pois, de novo. A tua fé te salvou". No mesmo instante, o cego começou a ver de novo e seguia Jesus, glorificando a Deus. Vendo isso, todo o povo deu louvores a Deus.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

O CEGO DE JERICÓ - Como fruto de sua fé, os olhos do cego se abriram e ele começou a seguir Jesus, ou seja, a ser discípulo. Atenção! Precisamos abrir os olhos físicos e espirituais para sermos discípulo. Não existe discípulo de olhos fechados! Sendo assim, o caminho da nossa vida como discípulos e enviados tem de ajudar outras pessoas a abrirem os olhos e a descobrirem a beleza da fé e da proposta do Evangelho. Mais uma vez, muita atenção! Devemos fazer isso com muita humildade e paciência, pois cada pessoa é uma pessoa e uma história.
Olhe sempre para frente, para a meta, para o objetivo! Quem vive olhando para trás, pode provocar acidentes. Jesus disse que, quem põe a mão no arado e olha para trás, não é digno d'Ele. E falou também que a mulher de Lot, quando saiu da cidade de Sodoma, que estava sendo destruída, ela olhou para trás. E Deus havia dito: "Não olhem para trás!" E conta a Sagrada Escritura que ela virou uma estátua de sal. A vida fica salgada, amarga, quando ficamos remoendo as coisas do passado. Sempre vivemos de saudade e não de esperança. É preciso ter o coração, antecipadamente, lá no Céu, para que esta meta nos atraia e nos encha de força para caminhar nas estradas dessa vida (Lc 17,26-37).
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Lc 17,26-37)

O mesmo acontecerá no dia em que o Filho do Homem for revelado.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 17,26-37

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Como aconteceu nos dias de Noé, assim também acontecerá nos dias do Filho do Homem. Eles comiam, bebiam, casavam-se e se davam em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca. Então chegou o dilúvio e fez morrer todos eles. Acontecerá como nos dias de Ló: comiam e bebiam, compravam e vendiam, plantavam e construíam. Mas no dia em que Ló saiu de Sodoma, Deus fez chover fogo e enxofre do céu e fez morrer todos. O mesmo acontecerá no dia em que o Filho do Homem for revelado. Nesse dia, quem estiver no terraço, não desça para apanhar os bens que estão em sua casa. E quem estiver nos campos não volte para trás. Lembrai-vos da mulher de Ló. Quem procura ganhar a sua vida vai perdê-la; e quem a perde vai conservá-la. Eu vos digo: nesta noite, dois estarão numa cama; um será tomado e o outro será deixado. Duas mulheres estarão moendo juntas; uma será tomada e a outra será deixada. Dois homens estarão no campo; um será levado e o outro será deixado". Os discípulos perguntaram: "Senhor, onde acontecerá isso?" Jesus respondeu: "Onde estiver o cadáver, aí se reunirão os abutres".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

O DIA DO FILHO DO HOMEM - Nossa existência cristã transcorre na vida cotidiana e na fidelidade do dia a dia. Não devemos esperar sinais ou acontecimentos extraordinários para nos decidirmos por seguir Jesus de todo coração. Esforcemo-nos, antes, para sabermos escutar sua voz e seu chamado cotidiano. Procuremos impregnar nosso cotidiano com sentimentos de misericórdia, de fraternidade, de paz, de respeito à dignidade humana e a toda a criação. Essas realidades é que devem ocupar o centro de nossa atenção, e não especulações oportunistas.
Cuidado com o alarme falso dos profetas da internet! Criam pânico por meio de mentiras. Todos os dias recebemos mensagens que parecem revelar o momento em que o mundo acabará; que dizem que uma grande tragédia está para acontecer; que dizem que, finalmente, descobriram a cura para isso ou para aquilo ou que o mundo terminará em alguns dias de trevas, que será na semana que vem. E as pessoas acabam acreditando e até encaminhando essas mentiras dos profetas do mau agouro. O Senhor Jesus nos disse que não nos cabe saber o dia e a hora em que o Filho do Homem voltará. Sim! Ele voltará, mas deixe a hora no coração de Deus (Lc 17,20-25)!
Pe. Joãozinho, scj

Evangelho (Lc 17,20-25)

O Reino de Deus está entre vós.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 17,20-25

Naquele tempo, os fariseus perguntaram a Jesus sobre o momento em que chegaria o Reino de Deus. Jesus respondeu: "O Reino de Deus não vem ostensivamente. Nem se poderá dizer: 'Está aqui' ou 'Está ali', porque o Reino de Deus está entre vós". E Jesus disse aos discípulos: "Dias virão em que desejareis ver um só dia do Filho do Homem e não podereis ver. As pessoas vos dirão: 'Ele está ali' ou 'Ele está aqui'. Não deveis ir, nem correr atrás. Pois, como o relâmpago brilha de um lado até o outro do céu, assim também será o Filho do Homem, no seu dia. Antes, porém, ele deverá sofrer muito e ser rejeitado por esta geração".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

O REINO ESTÁ ENTRE VÓS - O Reino de Deus está dentro de vós”. Que afirmação maravilhosa, comprometedora e transformadora! Precisamos perceber e sentir essa realidade palpitando em nossos corações. Está dentro de nós porque o Pai do Céu resolveu derramar todo o seu amor em nossos corações pela força transformadora do Espírito Santo. Mas muita atenção: está dentro de nós como germe e tarefa a ser cumprida. Por isso, o principal objetivo de nossa missão é manifestá-lo de maneira pessoal e comunitária.
A fé é mais do que uma crença; é uma atitude de entrega nas mãos de Deus. É muito mais do que crer em que, é crer em quem. Aquela criança estava no terceiro andar de um prédio pegando fogo e se jogou tranquilamente nos braços de um bombeiro. E quando perguntaram como ela teve coragem de dar aquele salto, a criança respondeu: "Eu não tenho o que temer. Aquele bombeiro era meu pai". Pular nos braços do Pai, no colo de Deus, mesmo nos momentos em que a vida está pegando fogo, é uma atitude de fé (Lc 17,1-6).
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Lc 17,1-6)

Se ele pecar contra ti sete vezes num só dia, e sete vezes vier a ti, dizendo: 'Estou arrependido', tu deves perdoá-lo.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 17,1-6

Naquele tempo, Jesus disse a seus discípulos: "É inevitável que aconteçam escândalos. Mas ai daquele que produz escândalos! Seria melhor para ele que lhe amarrassem uma pedra de moinho no pescoço e o jogassem no mar, do que escandalizar um desses pequeninos. Prestai atenção: se o teu irmão pecar, repreende-o. Se ele se converter, perdoa-lhe. Se ele pecar contra ti sete vezes num só dia, e sete vezes vier a ti, dizendo: 'Estou arrependido', tu deves perdoá-lo".
Os apóstolos disseram ao Senhor: "Aumenta a nossa fé!" O Senhor respondeu: "Se vós tivésseis fé, mesmo pequena como um grão de mostarda, poderíeis dizer a esta amoreira: 'Arranca-te daqui e planta-te no mar', e ela vos obedeceria".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

EVITAR OS ESCÂNDALOS - Em toda e qualquer vivência comunitária existirão rixas e desavenças entre os irmãos e irmãs. Mas não podemos nos esquecer de que, como cristãos, decidimos, livremente, formar uma comunidade fraterna de vida e missão; a essa comunidade damos o nome de Igreja. Por isso, ao lado das rixas e desavenças, devem existir o amor, o perdão e a maturidade na fé, que nos animam e convidam-nos a continuar caminhando. A exemplo dos apóstolos, digamos: Senhor, aumenta-nos a fé!
É impressionante como o crime é organizado e muita gente de bem não consegue se unir. Impressiona como os corruptos montam estratégias infalíveis e tem uma esperteza que acaba dando certo! Os filhos das trevas são mais espertos que os filhos da luz, por isso que Jesus recomendou que olhássemos para sua esperteza, para a sua solidariedade e fôssemos simples como as pombas, mas espertos como as serpentes. É preciso não deixar-se iludir nem enganar! Não é porque estamos do lado da verdade, que devemos ser ingênuos. Temos que ser espertos para fazer o bem (Lc 16,1-8).
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Lc 16,1-8)

O amor de Deus se realiza em todo aquele que guarda sua palavra fielmente (1Jo 2,5).

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 16,1-8

Naquele tempo, Jesus disse aos discípulos: "Um homem rico tinha um administrador que foi acusado de esbanjar os seus bens. Ele o chamou e lhe disse: 'Que é isto que ouço a teu respeito? Presta contas da tua administração, pois já não podes mais administrar meus bens'.
O administrador então começou a refletir: 'O Senhor vai me tirar a administração. Que vou fazer? Para cavar, não tenho forças; de mendigar, tenho vergonha. Ah! Já sei o que fazer, para que alguém me receba em sua casa quando eu for afastado da administração'. Então ele chamou cada um dos que estavam devendo ao seu patrão. E perguntou ao primeiro: ‘Quanto deves ao meu patrão?’ Ele respondeu: ‘Cem barris de óleo! "O administrador disse: 'Pega a tua conta, senta-te, depressa, e escreve cinquenta!' Depois ele perguntou a outro: 'E tu, quanto deves?' Ele respondeu: 'Cem medidas de trigo'. O administrador disse: 'Pega tua conta e escreve oitenta'.
E o Senhor elogiou o administrador desonesto, porque ele agiu com esperteza. Com efeito, os filhos deste mundo são mais espertos em seus negócios do que os filhos da luz".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

APRENDENDO DE UM ESCÂNDALO - O Evangelho de hoje nos diz que um homem que adora o deus do dinheiro e do bem-estar se vê obrigado a tomar uma decisão rápida e arriscada, pois o seu futuro está em jogo; pode perder tudo! Desse modo, que ponto motiva-nos a tomar decisões sérias e duradouras o fato de vivermos impulsionados pelo amor de Cristo, que foi derramado em nossos corações? A força do Evangelho é suficiente para gerar em nós mudanças profundas e radicais? Ou existem forças maiores impedindo-nos de tomarmos tais decisões? Pensemos.