18 janeiro 2017

Pense nisso!

Bom dia Amigos meus de verdade, "não se esqueçam de que, para Deus, o ser humano é prioridade!"

Meditando o Evangelho do dia - 4ª-feira da 2ª Semana do Tempo Comum

Evangelho (Mc 3,1-6)  

É permitido no sábado fazer o bem ou fazer o mal?
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 3,1-6.

Naquele tempo, Jesus entrou de novo na sinagoga. Havia ali um homem com a mão seca. Alguns o observavam para ver se haveria de curar em dia de sábado, para poderem acusá-lo. Jesus disse ao homem da mão seca: "Levanta-te e fica aqui no meio!" E perguntou-lhes: "E permitido no sábado fazer o bem ou fazer o mal? Salvar uma vida ou deixá-la morrer?" Mas eles nada disseram.
Jesus, então, olhou ao seu redor, cheio de ira e tristeza, porque eram duros de coração; e disse ao homem: "Estende a mão". Ele a estendeu e a mão ficou curada.
Ao saírem, os fariseus com os partidários de Herodes, imediatamente tramaram, contra Jesus, a maneira como haveriam de matá-lo.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão - Mc 3, 1-6 A vivência legalista e proibitiva da religião é uma das maiores manifestações da dureza de coração que pode acontecer na vida das pessoas. Quando isso acontece, as pessoas não são capazes de descobrir os valores que devem marcar o nosso relacionamento entre nós mesmos e entre nós e o próprio Deus, e a religião acaba por se tornar um mero cumprimento de obrigações e de ritos, numa verdadeira bruxaria. Esta forma de religião acaba por ter como um dos seus principais fundamentos a relação de poder, o autoritarismo e a estratificação social a partir da fé das pessoas. É por isso que as autoridades do tempo de Jesus procuram descobrir a maneira como haveriam de matá-lo.

Plano Temer de colocar militares nos presídios é inconstitucional

 
O governo de Michel Temer anunciou nesta terça-feira 17 que disponibilizará contingentes das Forças Armadas para atuar dentro dos presídios estaduais. De acordo com o governo, os agentes militares farão "inspeções rotineiras em busca de materiais proibidos" nas instalações prisionais e atuarão em conjunto com as polícias locais, hoje responsáveis pelas vistorias.
O presidente delegou o controle ao Ministério da Defesa e ressaltou que as ações necessitam de autorização dos governadores, uma vez que as carceragens são estaduais. A ideia é que cada governador solicite formalmente uma intervenção federal.
O criminalista Fernando Augusto Fernandes avalia que o governo está abordando o problema dos presídios de forma inconstitucional e ilegal. "Há claro desvio das Forças Armadas que na forma do art.142 da Constituição Federal 'destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais'. Assim, só há previsão de ação interna no caso em Estado de Defesa e de Sítio, justificados pelo art. 136, quando a ordem pública ou a paz social estão ameaçadas por grave e iminente instabilidade institucional ou atingidas por calamidades de grandes proporções na natureza', o que exige aprovação pelo congresso nacional (art.49, IV.CF) ", afirma Fernandes. "A questão é de Direitos Humanos, permitindo intervenção federal (art. 34, VII, b. CF). No entanto, a hora é de urgente revisão do sistema, soltando-se 14% dos presos por crimes não violentos, como furto, e a revisão de um sistema que prende demais e não soluciona os crimes violentos."
Para o criminalista Daniel Bialski, sócio do Bialski Advogados Associados, "certamente que todas as iniciativas visando aperfeiçoar a política de execução penal e cumprimento de pena são muito bem-vindas, mas na prática é preciso mais: é necessário que o poder executivo cumpra com suas obrigações previstas em lei, seja de estabelecimentos sem superlotações, assistência médica e psicológica, principalmente", afirma. "Além disso, os juízes têm que examinar melhor os pedidos de progressão, pois os chamados exames criminológicos de avaliação são feitos de forma padronizada, atendendo critérios de quantidade e não qualidade. E pior, não se compreende porque não permitem, por exemplo, a gravação destes exames, até para garantir conhecimento dos critérios que levaram a essa ou àquela conclusão".
Para Bialski, tudo isso precisa ser melhorado, já que os presos, fora as humilhações já sofridas, são tratados como meio cidadãos, o que prejudica a própria recuperação e regeneração. "Esperamos ações imediatas e rápidas, porque aqueles que erraram já estão pagando por isso e não pretendem errar de novo e, logo, não podem sofrer por atos de grupos organizados", ressalta.
O também criminalista e constitucionalista Adib Abdouni entende que, nesse caso, para a utilização das Forças Armadas, com qualidade de polícia, "é indispensável que o executivo estadual declare, mediante ato formal, sua impossibilidade momentânea de atender a esse desiderato constitucional, a revelar, aí sim, a legalidade do compartilhamento ou a transferência temporária da execução dos controles operacionais carcerários, porém, com nítidos impactos desfavoráveis, de ordem política, para o governo declarante".
Para Vera Chemim, advogada constitucionalista, já estava mais que na hora desse trabalho conjunto e efetivo das três instâncias de governo e dos três Poderes Públicos cooperarem entre si para enfrentarem essa grave ameaça à sociedade civil. "As facções estão se institucionalizando e já estão se sobrepondo às instituições legitimamente constituídas. Além disso, elas são capazes de uma auto-organização invejável, capacidade de liderança, acesso às armas cada vez mais potentes junto com uma tecnologia sofisticada, além de capacitação de recursos humanos", afirma Chemim. Segundo a advogada, as facções criminosas se tornaram um dos tentáculos dessa crise institucional, alastrando-se por todo o Estado Federativo, acima da lei, acima do governo e acima de qualquer Poder Público. "Essas facções criminosas precisam ser contidas, enquadradas legal e institucionalmente. O Poder Judiciário e Executivo precisam concretizar efetivamente a Lei de Execução Penal".
"Parece uma ação desesperada", afirma o criminalista Fabrício de Oliveira Campos, sócio do escritório Oliveira Campos & Giori Advogados. "Os integrantes das Forças Armadas não são treinados para esse tipo de atividade, ainda que suas ações tenham se expandido nos últimos anos, como no apoio ao policiamento ostensivo, no auxílio em casos de calamidades e nas missões humanitárias. Sob o ponto de vista eminentemente prático, a pergunta é: os militares das Forças Armadas terão o conhecimento e o poder de reação necessários para um tipo de atividade diversa daquelas habitualmente desempenhadas?"
Sob o ponto de vista formal e (por que não dizer ?) simbólico, isso traz um significado de convulsão social, de alarmismo, de pânico. Não reduzo a gravidade do problema, mas a princípio a Força Nacional de Segurança, de maneira excepcional e temporária, poderia cumprir esse papel de apoio à vista das solicitações dos Estados.

Brasil perde importância e fica de fora de principais decisões em Davos

 
O Brasil de Michel Temer tem uma participação encolhida e de pouca relevância no Fórum Econômico Mundial, que reúne uma boa parte da elite econômica mundial nesta semana em Davos, na Suíça. Ao contrário de anos anteriores, quando foi protagonista nos diálogos e assumiu papel de liderança entre os emergentes, o País dessa vez ficou de fora das principais discussões e foi reduzido até nas decisões tomadas entre as nações em desenvolvimento. Nem a presença de três ministros da área econômica —Henrique Meirelles (Fazenda), Marcos Pereira (Desenvolvimento) e Fernando Coelho (Minas e Energia), conseguiu impedir que o país fosse relegado a discussões secundárias.
As informações são da enviada especial a Davos Ana Clara Costa na revista Época.
"No debate sobre política monetária e o papel dos bancos centrais, conduzido pelo editor-chefe do Wall Street Journal, Gerard Baker, e que teve entre seus painelistas um banqueiro do UBS, um membro do gabinete de transição de Donald Trump e um chefe da autoridade monetária da Suíça, não havia o Brasil, como em anos passados. Para outra discussão sobre as previsões para o sistema bancário, nenhum banqueiro brasileiro estava entre os participantes. Em um painel sobre as previsões para o G20, a Argentina foi convidada, não o Brasil. Para falar sobre crescimento com inclusão, estava um representante do governo canadense. O ministro Henrique Meirelles e o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, foram convidados para falar em apenas um painel cada. Meirelles, em uma discussão sobre o novo capitalismo. Já Goldfajn fará uma apresentação sobre as previsões para a América Latina. Em 2015, o então ministro da Fazenda, Joaquim Levy, era um dos painelistas da principal palestra do Fórum, que ocorre anualmente no último dia de evento: o debate sobre as perspectivas para a economia global.

Boulos: "A luta só vai crescer, só vai aumentar a cada gesto fascista"

Mídia Ninja 
Liberado após 10 horas de detenção nesta terça-feira 17, o líder do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), Guilherme Boulos, criticou a ação da Polícia Militar e disse que a prisão teve "o intuito de intimidar o MTST e a luta dos movimentos populares".
"Isso é notório. Cada vez mais há uma tentativa de desmoralizar os movimentos", disse. "Quero dizer que não vão conseguir nos intimidar. A luta só vai crescer, só vai aumentar a cada gesto fascista, a cada gesto ilegal, abusivo, como essa prisão de hoje", avisou.
Ele disse ainda que foi preso por "incitação à violência, por desobediência e por outros crimes". "Acabei sendo indiciado por resistência. Para mim, resistência não é crime. Crime é despejar 700 famílias sem ter alternativa, resistência é uma reação legítima das pessoas contra uma barbaridade como esta", rebateu.
A reintegração de posse foi pedida pelo prefeito João Doria (PSDB) e realizada pela Tropa de Choque do governador Geraldo Alckmin (PSDB). Um membro da Tropa de Choque justificou a prisão o ativista: "Temos horas de filmagens suas de outras manifestações e ocupações e sabemos que você é liderança, você está detido por desacato, obstrução da via, obstrução da justiça e incitação de violência", disse o militar.

17 janeiro 2017

Pense nisso!

Não busque boas aparências, elas podem mudar. Só precisamos de um sorriso para transformarmos um dia ruim em um dia espetacular...

MINHA FOTO MINHA ARTE!

"Ninguém é assim tão velho que não acredite que poderá viver por mais um ano".

Em Jardim de Piranhas os homens rezam o Terço!

Ó Mãe e Rainha do Santo Rosário
Mãe Admirável, Mãe do Santuário
O mundo sem fé na dor se consome
Ajuda esse mundo com o Terço dos Homens...
 
 
 
 
 
 

Temer e Meirelles puseram Brasil na contramão do mundo

 
No mesmo dia em que o Fundo Monetário Internacional (FMI) rebaixou a expectativa de crescimento do Brasil em 2016 e 2017, colocando o País na lanterna global, elevou a expansão do mundo rico.
Ou seja, não vai ser possível para o governo Temer dizer que o Brasil sofre efeitos da crise internacional. Pelo contrário, o Brasil pós-golpe é que puxa a América Latina para baixo.
Previsão do Fundo para o continente foi cortada para crescimento de 1,2% em 2017 e de 2,1% em 2018. Já para o Brasil, é de queda de 3,8% em 2016 e estagnação de 0,2% neste ano (leia aqui).
Leia mais na reportagem da Reuters:
FMI eleva estimativa de crescimento dos EUA, mas alguns emergentes estarão mais fracos
(Reuters) - O Fundo Monetário Internacional (FMI) elevou nesta segunda-feira sua previsão para o crescimento econômico dos Estados Unidos em 2017 e 2018 com base nos planos de corte de impostos e gastos do presidente eleito Donald Trump, mas informou que esse cenário seria compensado em grande parte pelo crescimento mais fraco em vários mercados emergentes.
Atualizando suas perspectivas da economia mundial, o FMI manteve suas previsões de crescimento global em relação a outubro, a 3,4 por cento para 2017 e 3,6 por cento para 2018, acima dos 3,1 por cento em 2016, o ano mais fraco desde a crise financeira de 2008 e 2009.
A previsão de crescimento para os EUA é de 2,3 por cento em 2017 e de 2,5 por cento em 2018, sobre 2,2 e 2,1 por cento, respectivamente, informou o FMI, destacando que o país também pode estimular a inflação em uma economia que já está se aproximando do pleno emprego.
"Se um aumento de demanda impulsionada pelo lado fiscal colidir com restrições de capacidade mais rígidas, será necessário um caminho mais acentuado para a taxa de juros para conter a inflação, o dólar vai se valorizar fortemente, o crescimento real será menor, a pressão orçamentária aumentará e o déficit em conta corrente dos EUA se ampliará", disse o economista-chefe do FMI, Maurice Obstfeld, em comunicado.
O FMI revisou sua previsão de crescimento de 2017 para a China a 6,5 por cento, aumento de 0,3 ponto percentual em relação a outubro, com base nas expectativas de continuação das políticas governamentais estimulantes, mas deixou inalterada sua previsão de 2018 para expansão de 6 por cento.
Quanto à América Latina, a previsão foi cortada para crescimento de 1,2 por cento em 2017 e de 2,1 por cento em 2018, sobre previsão anterior de 1,6 e 2,2 por cento, respectivamente.
Fonte: David Lawder

Davos: Brasil despenca em ranking de mercados atraentes

 
Mais um resultado frustrante da era Temer-Meirelles anunciado em no Fórum Econômico Mundial, que começou nesta segunda em Davos, na Suíça: o Brasil despencou no ranking de países nos quais executivos de grandes empresas (CEOs) esperam obter crescimento em seus negócios nos próximos 12 meses; levantamento mostra que, entre 2011 e 2017, o Brasil passou da 3ª para a 7ª posição entre mercados que animam os CEOs; há seis anos, 19% dos entrevistados citavam o país como um local no qual esperavam obter crescimento nos negócios; já na pesquisa deste ano, somente 7% escolheram o mercado brasileiro como uma prioridade; com menos expectativa de investimento, fica cada vez mais difícil acreditar na na retomada da criação de empregos.
As informações são de reportagem de Martha Beck em O Globo.
"Isso é o que mostra pesquisa feita pela consultoria PricewaterhouseCoopers (PwC) e divulgada nesta segunda-feira em Davos, na Suíça. O documento é tradicionalmente distribuído na véspera da abertura da reunião do Fórum Econômico Mundial (WEF).
A pergunta respondida pelos executivos foi: "quais são os três países, tirando o seu próprio, que você considera mais importantes para o crescimento geral de sua organização nos próximos 12 meses?". No topo lista de 2017 estão os Estados Unidos, que foram apontados por 43% dos empresários. Em 2011, o país estava em segundo lugar.
A China também caiu no ranking, mas perdeu apenas uma posição. Em 2011, era apontada por 39% dos CEOs e estava em primeiro lugar. Agora, em 2017, foi escolhida por 33%, caindo para a segunda posição. Ou seja, americanos e chineses trocaram de lugar na lista.
No documento, o Brasil é citado apenas seis vezes, contra 12 da China, por exemplo. Num trecho, a PwC destaca que o Brasil tomou um tombo no ranking nos últimos anos e "entrou numa recessão profunda".

Temer diz que sua cassação pode trazer instabilidade

 
BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Michel Temer admitiu nesta segunda-feira preocupação com a instabilidade que uma eventual nova mudança de governo poderia trazer ao país caso o Tribunal Superior Eleitoral decida pela cassação do seu mandato.
Questionado se o país teria condições de passar por uma nova troca de presidente, Temer foi cauteloso ao responder, ressalvando que uma manifestação poderia parecer que estaria falando em causa própria, mas reconheceu que a decisão traria impacto para o país.
"A pergunta já induz a uma preocupação. Imagine, uma nova eleição, um novo presidente em um mandato de quatro anos", disse. "Realmente há uma preocupação... com a qual eu concordo", disse o presidente em entrevista à Reuters no Palácio do Planalto.
A Ação de Investigação Judicial Eleitoral (Aije), um dos processos movidos pelo PSDB no TSE contra a chapa Dilma-Temer, pode resultar na cassação da chapa, o que afetaria o atual presidente, que assumiu o cargo após o impeachment da petista em agosto.
O presidente ressalvou, no entanto, que "há muito pela frente", já que mesmo que haja uma decisão por parte do TSE, podem ser impetrados vários recursos. Lembrou, ainda, que não está descartada a possibilidade de que as contas das campanhas para Presidência e para vice-presidência sejam separadas.
Uma das linhas de defesa de Temer é a que a tesouraria das duas campanhas seria separada, apesar de já ter sido comprovado que a campanha de Dilma pagou despesas e salários de auxiliares do peemedebista.
Temer expressou, ainda, a expectativa de que a ação seja simplesmente arquivada. "Não é improvável que em um dado momento o tribunal decida julgar improcedente a ação", disse.
Na eventualidade de Temer perder o mandato em uma decisão da Justiça eleitoral este ano, uma eleição indireta será convocada e realizada pelo Congresso Nacional.
PRESIDÊNCIA DA CÂMARA
A poucos dias da eleição da Câmara, em que três nomes da base governista estão na disputa --o atual presidente, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o líder do PSD, Rogério Rosso (DF), e o líder do PTB, Jovair Arantes (GO)--, o presidente tenta se manter pessoalmente distante da disputa, apesar de auxiliares próximos admitirem que ministros têm se envolvido na defesa da candidatura de Maia.
Questionado se a disputa poderia rachar a base em um ano em que o governo precisa aprovar duras medidas, como a reforma da Previdência, Temer nega o risco.
"Não vai rachar a base por uma razão singela: nós não temos tomado posição. Como a base é muito ampla, a disputa principal se dá dentro da base governista. Nós não temos tomado posição", disse.
Até mesmo mudanças na equipe ministerial têm aguardado a solução da disputa na Câmara. A Secretaria de Governo, vaga desde a saída de Geddel Vieira Lima, só terá uma nomeação depois da eleição. Temer confirma a indicação do deputado Antonio Imbassahy (PSDB-BA), mas não que o tucano será nomeado.
"É um nome indicado. Estou deixando isso para depois das eleições. Eu quero ver qual o panorama que se desenha na Câmara. É um nome indicado, não há dúvida", afirmou. "Se nomeasse alguém nesse momento iria parecer que a Presidência está trabalhando com o candidato A ou B. Então estou deixando."
Nos bastidores, o governo trabalha pela candidatura de Maia, mesmo que o democrata, em tese, não pudesse concorrer a uma reeleição dentro da mesma Legislatura. No entanto, armado de pareceres jurídicos afirmando que a legislação não se refere a mandatos-tampão, Maia, e o Planalto, apostam nos sinais de que o Supremo Tribunal Federal não planeja interferir em assuntos internos da Câmara.
De acordo com uma fonte, o Planalto conseguiu convencer o ministro da Ciência, Tecnologia e Comunicações, Gilberto Kassab, do PSD, a pressionar Rosso a desistir da candidatura. O deputado não retirou, mas nesta segunda-feira divulgou uma nota "liberando a bancada" para votar em quem quisesse.
Fonte: Lisandra Paraguassu e Maria Pia Palermo

16 janeiro 2017

Paróquia de Nossa Senhora dos Aflitos - Jardim de Piranhas

Visitação da Imagem de Nossa Senhora Aparecida de 18 a 31 de Janeiro de 2017.
Programação para o dia 18/01:
Ás 18h: haverá concentração de carros, motos e bicicletas, no conjunto habitacional José Henrique de Araújo;
18h15: recepção à imagem de Nossa Senhora Aparecida e carreata pelas ruas da cidade;
19h: Missa na Matriz de Nossa Senhora dos Aflitos .
Vamos juntos celebrar esse momento de fé e devoção!
Celebrante: Padre Edson Medeiros de Araújo

Quem conserva a capacidade de ver a beleza nunca envelhece.

Meus pais, a razão da minha VIDA!

Meirelles admite que desemprego ainda vai crescer em 2017

 
Após a Organização Internacional do Trabalho afirmar que, em 2017, um em cada três demitidos no mundo será brasileiro, o ministro da Fazenda admitiu o inevitável: o desemprego no Brasil, que durante a gestão de Michel Temer e Meirelles atingiu seu maior nível —com mais de 12 milhões de pessoas sem emprego— ainda deve crescer em 2017. Apesar do cenário econômico desolador, o ministro espera convencer investidores e a comunidade internacional no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, de que o pior da crise já passou e de que o Brasil "finalmente, está enfrentando seus problemas". Meirelles embarcou para o país europeu para participar do encontro levando como "vitrine" da gestão Temer a PEC do teto, que foi criticada por diversos mecanismos internacionais, inclusive a ONU.
As informações de entrevista feita por Marcelo Moraes na Coluna do Estadão.
Meirelles ainda faz uma ginástica matemática para justificar de onde virá o crescimento. 
"É importante mencionar que estamos partindo de uma base muito baixa na economia. Então, quando comparamos a média do PIB prevista para 2017 com a média do PIB para 2016, a diferença acaba sendo pequena. Mas se compararmos a projeção do quarto trimestre de 2017 com o quarto trimestre de 2016, então, estamos prevendo um crescimento de 2%. É um crescimento forte. A nossa avaliação é que o Brasil vai crescer no primeiro trimestre de 2017.
O emprego reage de maneira defasada em relação à atividade econômica. Tanto que em 2014, quando a economia já estava começando a mergulhar, o emprego ainda estava altíssimo. É a mesma coisa agora. Já estamos crescendo nesse trimestre e, no entanto, o desemprego ainda sobe um pouquinho. Devemos ter a recuperação do emprego apenas no segundo semestre".

Xico Sá: prisão lotada enriquece amigo de tucano

 
O jornalista Xico Sá sugeriu, por meio de sua conta no Twitter, uma nova abordagem na cobertura da crise carcerária. Segundo ele, os presídios superlotados enriquecem fornecedores de quentinhas que, em sua grande maioria, são ligados a políticos do PSDB.
Confira, abaixo, seus tweets:
Pauta: preso come comida vendida por firmas amigas dos tucanos em SP. Bora prender e vender ração e superfaturar até o talo
Quer saber como preso dá lucro é só ver o nome das empresas q vendem a marmita podre pra eles em SP. Tudo amigo d tucano
Solta essa gente toda presa por um baseado a mais ou um baseado a menos e deixa de hipocrisia.vamos rever essa política safada, amigo
Como diz meu querido Kurt Vonnegut, o melhor jeito d um gov enricar os amigos é vender ração superfaturada aos presos. Vide São Paulo
Prender no Brasil ñ é só punição, é lucro d ração vendida por firma amiga do governador.

Governo de SP 'exportou' PCC ao transferir presos para outros Estados

 
 A política de transferência dos chefões da organização criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), nascida em 1993 no presídio paulista de Taubaté, acabou "exportando" a facção para outros Estados, segundo especialistas em segurança pública, que citam este entre outros vários motivos para o crescimento. Cerca de 23 anos depois, possui ramificações em todos os Estados brasileiros, com mais ou menos força. Segundo o Ministério Público de SP, em outubro de 2014, a facção tinha cerca de 10 mil criminosos afiliados, 26% deles fora do Estado. Hoje, quando trava uma guerra com outras quadrilhas para dominar rotas e monopolizar o tráfico de drogas no país, possui cerca de 21,5 mil "batizados", 64% deles para além da fronteira original.
As informações são de reportagem de Rogério Gentile na Folha de S.Paulo.
"Os dados são naturalmente imprecisos, dada a óbvia dificuldade para apurá-los, mas incontáveis escutas telefônicas mostram a intenção estratégica da facção de se espalhar pelas cinco regiões do Brasil –o PCC já "batizou" cerca de 3,5% da população carcerária, calculada em torno de 607 mil pessoas. Parece pouco, mas é quase o número total de funcionários da Volkswagen no Brasil.
O início do processo de migração do PCC, no entanto, foi estimulado irrefletidamente pelo governo paulista que, na tentativa de desarticular o movimento que ganhava força nos presídios do Estado, transferiu em 1998 os seus cabeças para o Paraná, numa operação cercada de discrição. "O efeito foi o contrário", diz o promotor Lincoln Gakiya, que atua na região Oeste do Estado.
José Márcio Felício, o Geleião, e César Augusto Roris da Silva, o Cesinha, estavam entre os transferidos.
Fundadores do "partido do crime", Geleião e Cesinha incentivaram a criação do Primeiro Comando do Paraná, que logo mostrou sua face com três rebeliões. Atualmente, o Estado é um dos mais importantes braços da organização.
Marcola, o principal chefe da facção, assim como outros "capos", também passeou bastante pelos presídios do país. Esteve no RS, em DF, GO, MG, circulando por várias penitenciárias e disseminando a cartilha do PCC. Em Brasília, por exemplo, criou o PLD (Partido Liberdade e Direito), nome bonito para uma associação que chegou a carbonizar detentos inimigos durante rebeliões".

15 janeiro 2017

Todos unidos pelo CAP

Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo!

João deu seu testemunho: "Sim, eu vi! E declaro que este é o Escolhido de Deus".
Todos nós temos uma missão. Como João, devíamos dar testemunho de Jesus. Devíamos falar claramente aos outros a respeito dele.
Jesus se revela a nós pessoalmente. Peçamos força para anunciar ao mundo quem Ele é e o que significa para nós.
Meu propósito para esta semana, vou conversar com alguém a respeito de Jesus, ou sobre como Ele pode fazer a diferença no mundo.
Senhor Jesus, farei de ti a luz das nações para que sejas minha salvação.
Amém!

Meditando o Evangelho do dia - 2º Domingo do Tempo Comum

Evangelho - Jo 1,29-34

Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João 1,29-34.

Naquele tempo, João viu Jesus aproximar-se dele e disse: "Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo. Dele é que eu disse: Depois de mim vem um homem que passou à minha frente, porque existia antes de mim. Também eu não o conhecia, mas se eu vim batizar com água, foi para que ele fosse manifestado a Israel".
E João deu testemunho, dizendo: "Eu vi o Espírito descer, como uma pomba do céu, e permanecer sobre ele. Também eu não o conhecia, mas aquele que me enviou a batizar com água me disse: 'Aquele sobre quem vires o Espírito descer e permanecer, este é quem batiza com o Espírito Santo'. Eu vi e dou testemunho: Este é o Filho de Deus!"
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Gaspari lança Cármen Lúcia para presidente já em 2017

 
O jornalista Elio Gaspari, um dos porta-vozes do establishment econômico no Brasil, lançou a ministra Cámen Lúcia para a presidência da República, já em 2017, no artigo Cármen Lúcia, presidente. Ou seja: ele leva em consideração a hipótese de queda da "pinguela" Michel Temer, nome citado nas delações de empreiteiras como a Odebrecht.
"Havia um vazio em Brasília e ele foi ocupado pela ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal. Pudera, está no Planalto o vice de uma governante deposta, cujo futuro depende de um julgamento do TSE. Do outro lado da praça, há um Senado presidido por Renan Calheiros e uma Câmara até há bem pouco tempo comandada por Eduardo Cunha", diz Gaspari.
"Na prática, a mineira miúda e frugal sentou-se na cadeira com disposição para iniciativas audaciosas, cenografias batidas (depois do massacre do Compaj foi a Manaus e criou um grupo de trabalho), retórica bíblica ('Quem tem fome de justiça tem pressa') e atitudes angelicais (no Dia da Criança recebeu um grupo de meninos e meninas carentes)", reforça o jornalista. "Em apenas cinco meses, Cármen Lúcia deu nova dimensão à presidência do tribunal. Ora com frases retumbantes: 'Onde um juiz for destratado, eu também sou'. Ora com raciocínios cortantes: a questão não é se devemos bloquear celulares nos presídios, eles não podem é entrar."
"O desembaraço e a exposição conseguidos pela ministra seriam apenas um asterisco se o nome dela não estivesse na lista de prováveis candidatos a presidente da República. Numa eventual eleição indireta para substituir Temer, com certeza. Na disputa de 2018, talvez", diz ainda Gaspari.
Ou seja: Carmen Lúcia é um dos nomes do establishment para o pós-Temer, já em 2017.

Alerta aponta risco de ataques do PCC em São Paulo na terça-feira 17

Uma reportagem do jornal El Pais revela que a facção criminosa Primeiro Comando da Capital, o PCC, planeja ataques coordenados em São Paulo nesta terça-feira 17.
As informações foram repassadas por meio de uma mensagem oficial direcionada aos agentes pelo Centro de Inteligência Policial de Araraquara. O órgão é um departamento da Polícia Civil paulista.
Diz o documento encaminhado para todas as unidades policiais: "Para conhecimento e demais providências, informo que chegou ao conhecimento deste Centro de Inteligência que comunicado entre os membros do PCC dão (sic) conta de que armas de fogo foram distribuídas aos integrantes da facção para possíveis ataques. Consta que no próximo dia 17 de janeiro o comando do PCC irá ordenar aos executores o tipo de ataque e o local onde cada um terá que agir". A reportagem confirmou a veracidade do ofício com cinco policiais que pediram para não ter seus nomes divulgados.
De acordo com essas fontes, a razão dos ataques seria a possível transferência de 12 lideranças do PCC para presídios federais ou pela extensão dos prazos de permanência delas na penitenciária de Presidente Bernardes, onde prevalece o cumprimento do Regime Disciplinar Diferenciado (RDD). 
A Secretaria da Segurança Pública, no entanto, informou que "desconhece qualquer ameaça concreta de ataques de organizações criminosas".

14 janeiro 2017

UNIDOS PELO CAP

Paróquia de Nossa Senhora dos Aflitos - Jardim de Piranhas

Programação do final de semana (14 e 15/01/2017) da Paróquia de Nossa Senhora dos Aflitos:
Sábado, às 19h, Missa na Capela de Nossa Senhora do Rosário;
Domingo, às 7h e às 19h, missa na matriz;
Às 8h, batizados na matriz;
Às 9h, Missa na Capela de Santa Cecília.
Celebrante: Pe. Edson Medeiros de Araújo

ORAÇÃO:

A oração torna nossos corações transparentes e só um coração transparente pode escutar a Deus.
Santa Teresa de Calcutá

Escolha o melhor para o CAP

Meditando o Evangelho do dia!

Evangelho (Mc 2,13-17)

Eu não vim para chamar justos, mas sim pecadores.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 2,13-17.

Naquele tempo, Jesus saiu de novo para a beira mar. Toda a multidão ia a seu encontro, e Jesus os ensinava. Enquanto passava, Jesus viu Levi, o filho de Alfeu, sentado na coletoria de impostos, e disse-lhe: "Segue-me!" Levi se levantou e o seguiu.
E aconteceu que, estando à mesa na casa de Levi, muitos cobradores de impostos e pecadores também estavam à mesa com Jesus e seus discípulos. Com efeito, eram muitos os que o seguiam.
Alguns doutores da Lei, que eram fariseus, viram que Jesus estava comendo com pecadores e cobradores de impostos. Então eles perguntaram aos discípulos: "Por que ele come com cobradores de impostos e pecadores?"
Tendo ouvido, Jesus respondeu-lhes: "Não são as pessoas sadias que precisam de médico, mas as doentes. Eu não vim para chamar justos, mas sim pecadores".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão - Mc 2, 13-17
Ser coletor de impostos na época de Jesus era ser um pecador profissional. Por isso, a escolha de Levi, ou Mateus, para ser discípulo de Jesus e ir comer na casa dele com os outros cobradores de impostos e pecadores, significava que Jesus comungava com eles, o que era muito grave. No entanto, esse fato nos mostra que Jesus veio para nos mostrar o amor misericordioso de Deus, que havia dito pelo profeta que não quer a morte do pecador, mas que se converta e viva e que Deus quer que todas as pessoas participem do banquete do Reino definitivo.

Lula: candidato dia 20 para desfazer a era Temer

Do portal Metrópoles – Setores do PT articulam o lançamento da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República na próxima sexta-feira (20/1) durante a reunião do Diretório Nacional do partido, em São Paulo.
Pela proposta, Lula seria lançado candidato ao terceiro mandato com a plataforma de revogar imediatamente, caso eleito, todos os feitos do governo Michel Temer – em especial a PEC do Teto e a reforma da Previdência – com amparo de uma frente composta por movimentos sociais e partidos de esquerda.
"O Diretório Nacional, reunido em 20 de janeiro de 2017, deve apresentar a candidatura de Lula à Presidência da República, conclamar a mobilização por diretas já e a construção da unidade popular de esquerda. Deve dirigir-se especialmente às Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, ao PCdoB, ao PDT, ao PSOL, para construirmos juntos uma frente única com o objetivo de eleger um governo democrático-popular que revogará de imediato todos os decretos e leis golpistas e convocará uma assembleia nacional constituinte com participação popular e liberdade irrestrita de comunicação", diz trecho do esboço de resolução, sujeito a alterações, elaborado pelo secretário nacional de Formação, Carlos Árabe, representante da Mensagem.
A ideia, segundo Árabe, é usar a força de Lula junto ao eleitorado, mensurada nas últimas pesquisas de opinião, como catalisador para uma "revolução" democrática com o objetivo de derrubar o governo Temer, convocar novas eleições e uma constituinte.
"Não exigimos que seja uma frente de todos com Lula. É uma frente progressista pelas diretas na qual o PT apresentaria o nome de Lula", disse o dirigente petista. O objetivo, de acordo com ele, é não afastar partidos como o PDT e o PSOL que devem lançar candidaturas próprias ao Planalto em 2018.
A proposta, por enquanto, ainda está em construção dentro do Muda PT. Até a semana que vem os autores devem procurar as demais forças do partido para conseguir maioria no Diretório Nacional. Integrantes da corrente majoritária Construindo um Novo Brasil (CNB) concordam que Lula é o candidato e que seu nome deve ser lançado com urgência, mas avaliam com cautela a proposta.
"Lula é o nosso candidato, quanto antes colocarmos a candidatura dele na rua, melhor, mas não pode ser de forma açodada", disse o secretário nacional de Organização, Florisvaldo Souza, da CNB.
As frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo ainda não discutiram a proposta. Integrantes das organizações lembram que as frentes são compostas por entidades ligadas a outros partidos, como PSOL e PCdoB. Por enquanto as prioridades destas organizações são uma campanha pelas "Diretas Já" e pela constituinte exclusiva para a reforma política.

Nova denúncia estimula Cunha a delatar Temer

Lula Marques/ Agência PT 
A Operação Cui Bono, deflagrada nesta sexta-feira pela Polícia Federal, pode ser a peça que faltava que Eduardo Cunha, preso em Curitiba na Lava Jato, faça sua delação premiada.
Alvo de uma nova ação em Brasília, sobre cobranças de propina para o PMDB na liberação de grandes empréstimos, numa atuação conjunta com Geddel Vieira Lima, Eduardo Cunha decidiu esperar apenas até o fim do mês para saber se foi abandonado pelos aliados, segundo informa a coluna política do Estado de S. Paulo.
Se não houver nenhum gesto concreto do Palácio do Planalto, o ex-presidente da Câmara pode partir para uma delação explosiva contra o próprio Temer, que foi quem, como presidente do PMDB, indicou Geddel para a vice-presidência corporativa da Caixa.
O jogo entre os dois funcionava mais ou menos assim: como vice-presidente da Caixa Econômica Federal, Geddel liberava empréstimos para grandes empresas e, em seguida, Cunha entrava em cena para cobrar propinas ou doações eleitorais ao PMDB de Michel Temer (saiba mais aqui).

Temer não sabia o que Cunha e Geddel faziam?

 
Alvo de uma operação da Polícia Federal nesta sexta-feira 13, o ex-ministro Geddel Vieira Lima foi apontado como integrante de uma integração criminosa, pelo Ministério Público Federal, da qual também faria parte o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.
O jogo entre os dois funcionava mais ou menos assim: como vice-presidente da Caixa Econômica Federal, Geddel liberava empréstimos para grandes empresas e, em seguida, Cunha entrava em cena para cobrar propinas ou doações eleitorais ao PMDB de Michel Temer (leia mais aqui).
Segundo o Ministério Público Federal, Cunha e Geddel faziam parte de uma quadrilha, assim com os demais investigados. "A fundamentação apresentada pela autoridade policial é bastante consistente, sendo os fatos narrados na representação indicativos de que os investigados Geddel Quadro Vieira Lima, Marcos Roberto Vasconcelos, José Henrique Marques da Cruz, e Marcos Antonio Molina dos Santos faziam parte de uma verdadeira organização criminosa", afirma no documento o procurador da República Anselmo Henrique Cordeiro Lopes.
Uma questão, no entanto, não foi colocada: como Geddel, que havia sido derrotado na disputa para o governo da Bahia em 2010, se tornou vice-presidente da Caixa Econômica Federal?
A resposta é simples: Michel Temer. Como vice-presidente da República e presidente nacional do PMDB, foi ele quem exigiu do ex-ministro Antonio Palocci, então chefe da Casa Civil de Dilma Rousseff, a nomeação – o que se confirmou em março de 2011 (leia mais aqui). Como o PMDB era peça importante da coalizão governista, Dilma se viu forçada a aturá-lo durante pouco mais de dois anos. Acabou demitindo-o em dezembro de 2013, quando já eram fortes os rumores do seu modus operandi (leia mais aqui).
Temer e Geddel atuam juntos há quase três décadas e consta que Temer chorou quando teve que demiti-lo após o caso Marcelo Calero – o ex-ministro da Cultura que revelou como o político baiano usava o cargo em busca de benefícios pessoais, no caso da torre La Vue.
Se foi Temer quem exigiu de Palocci a vice-presidência corporativa da Caixa Econômica Federal, a grande questão é: ele nem desconfiava de como seu pupilo atuava?
Num vídeo viral na internet, Temer diz que entregava missões impossíveis a Eduardo Cunha. Geddel, ao que tudo indica, era também uma peça importante dessa engrenagem.

13 janeiro 2017

Brasil: o País com a maior degradação social em 2016

 
 Além da profunda crise econômica, o Brasil sob o comando de Michel Temer também é recordista em degradação social. A OIT (Organização Internacional do Trabalho) alerta que o índice de insatisfação social no Brasil é um dos que mais aumenta: enquanto no mundo essa taxa subiu em média 0,7 pontos, numa escala de zero a cem, no Brasil o salto foi de 5,5.  "Trata-se de um dos maiores aumentos do mundo em 2016", confirmou o economista-senior da OIT, Steven Tobin. Segundo ele, uma das formas de medir esse mal-estar social é o número de greves, manifestações de ruas e protestos. Entre 2015 e 2016, o Brasil passou de 25 pontos para 30,5, enquanto a média mundial ficou em 22 pontos.
As informações são de reportagem de Jamil Chade no Estado de S.Paulo 
"Para a OIT, a onda migratória, a insatisfação popular e as tensões sociais no mundo estão intimamente relacionadas a essa realidade no mundo do trabalho. "As incertezas globais e a falta de trabalhos decentes estão na base do descontentamento social e na migração", alertou a entidade em seu informe.
Entre 2009 e 2016, a parcela da população com idade de trabalhar migrando de suas regiões foi elevada, principalmente nos países árabes e latino-americanos. Na América Latina, 30% da população indicou que está disposta a abandonar seus países.
A previsão da entidade é de que, diante desse cenário, a onda migratória não perderá força nos próximos anos".

Pela 1ª vez, Brasil é líder em ranking da propina nos EUA

 
 O Brasil assumiu a liderança, pelo primeira vez, de um ranking da propina elaborado nos Estados Unidos. O país foi o mais citado por empresas globais investigadas naquele país sob suspeita de pagar propina no exterior. O ranking é feito por um site especializado nessa legislação, chamada de FCPA (Foreign Corruption Practices Act, algo como Lei Anticorrupção no Exterior). O Brasil é mencionado 19 vezes como o país em que empresas que operam globalmente pagaram propina no ranking divulgado nesta quinta (12). A China, segunda colocada na tabela, aparece com 17 menções, enquanto o Iraque está em terceiro lugar, com oito citações. Desde 2015, o número de menções ao Brasil praticamente dobrou, de 10 para 19.
As informações são de reportagem de Mario Cesar Carvalho na Folha de S.Paulo.
"Os dados foram extraídos de investigações do Departamento de Justiça dos Estados Unidos, equivalente ao Ministério da Justiça brasileiro, e da SEC (Securities and Exchange Commission), o órgão que regula o mercado de capitais naquele país e corresponde à CVM (Comissão de Valores Mobiliários).
A lei conhecida como FCPA foi criada em 1977 e proíbe empresas que mantêm negócios nos Estados Unidos, sejam elas de que países forem, de pagar suborno no exterior. Uma ideia por trás da lei é que a propina mina a concorrência e prejudica grupos e investidores dos EUA.
"Nós estamos nessa lista porque a corrupção brasileira já afeta o investidor americano", diz Paulo Goldschmidt, professor da FGV (Fundação Getúlio Vargas), onde dirige um grupo de estudos anticorrupção".

COMUNICADO!

Lembrando para todas as mulheres de Jardim de Piranhas que logo mais às 19h, acontecerá a Reza do Terço na matriz de nossa Senhora dos Aflitos, sua presença é muito importante, compareça e vamos rezar ao Deus misericordioso, pedindo um bom inverno!

12 janeiro 2017

A verdade das verdades!

A medida do amor é amar sem medida!
Santo Agostinho

Meditando o Evangelho do dia - 5ª-feira da 1ª Semana do Tempo Comum

Evangelho (Mc 1,40-45)
A lepra desapareceu e o homem ficou curado
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos 1,40-45.

Naquele tempo, um leproso chegou perto de Jesus, e de joelhos pediu: "Se queres, tens o poder de curar-me". Jesus, cheio de compaixão, estendeu a mão, tocou nele, e disse: "Eu quero: fica curado!" No mesmo instante, a lepra desapareceu, e ele ficou curado.
Então Jesus o mandou logo embora, falando com firmeza: "Não contes nada disso a ninguém! Vai, mostra-te ao sacerdote e oferece, pela tua purificação, o que Moisés ordenou, como prova para eles!"
Ele foi e começou a contar e a divulgar muito o fato. Por isso Jesus não podia mais entrar publicamente numa cidade: ficava fora, em lugares desertos. E de toda parte vinham procurá-lo.
Palavra da Salvação.   Glória a vós, Senhor.

Reflexão - Mc 1, 40-45 Uma das promessas que sempre estão presentes nas profecias do Antigo Testamento a respeito dos tempos messiânicos é a cura da lepra. Isso acontece porque a lepra era uma das doenças mais temidas entre as pessoas, principalmente porque uma das suas consequências era a exclusão social e religiosa. Ao curar uma pessoa da lepra, Jesus não apenas o livra da doença em si que a faz sofrer como também a reintegra na vida social e religiosa. Por isso entendemos a alegria do homem que foi curado, que fez com que ele não fosse capaz de guardar o fato só para si, mas passou a divulgá-lo de tal modo que Jesus não podia mais aparecer em público.