21 junho 2018

Pense nisso!

A transformação da humanidade está na frágil, branca Hóstia Consagrada, Sacramento da presença de Jesus no mundo.
Papa Bento XVI

Ó justos, alegrai-vos no Senhor!

Participe da celebração da Santa Missa a "Hora da Graça de Deus".

A oração é a expressão da nossa relação com Deus!

A oração acontece na simplicidade do coração, a oração é uma relação amorosa com Deus. "Quando orardes, não useis muitas palavras, como fazem os pagãos" (Mateus 6,7).
Jesus está nos ensinando como devemos orar. A oração é a expressão maior da nossa relação com Deus; é a expressão da nossa comunhão com Ele. Só temos comunhão com o Pai quando temos vida de oração, e vida de oração exige dedicação e esforço. A vida de oração é muito exigente, mas é ela que nos coloca na sintonia de amor com Deus, Nosso Pai.
Três coisas são importantes para que a nossa oração seja eficaz: a primeira é não multiplicar as palavras, é o imperativo que Jesus está nos dando hoje. Muitas pessoas acham que serão ouvidas orando muito, falando muitas palavras, falando mais alto, gritando e esperneando. Mas a oração acontece na simplicidade do coração, a oração é uma relação amorosa com Deus.
Quando se quer conseguir algo de alguma pessoa, não se grita com ela ou fica na repetição. Com Deus a nossa oração tem de ser de confiança e não de exasperação; não exasperar as palavras, os atos e nem as atitudes. É claro que, há situações onde não estamos tão bem; situações que parecem que o desespero toma conta de nós, mas é, principalmente, nessa hora que a nossa confiança em Deus tem de ser maior, a oração que vai na serenidade das palavras e das atitudes. É assim que nos dirigimos a Deus.
A nossa oração tem de ser uma mistura de fala serena com as palavras que precisamos dizer, mas não precisamos achar palavras bonitas, pois Deus não vai nos ouvir pela força das palavras que sabemos dizer. Muitas vezes as orações tornam-se até teatrais e, às vezes, oramos mais para os outros do que para Deus. Com Deus se fala na simplicidade porque Ele é simples.
A segunda coisa importante é não deixar de colocar o silêncio. Nossas orações têm ficado muito barulhentas, cheias de coisas e não mergulhamos na força do silêncio. A oração eficaz é aquela que nos dirigimos a Deus como Nosso Pai, temos confiança que Ele é o Pai, que Ele cuida de nós, que Ele nos pega pela mão e conduz o nosso coração.
A terceira coisa que na oração jamais pode faltar é o perdão sincero que buscamos de Deus e, o perdão sincero que concedemos ao irmão. Todos os dias precisamos pedir perdão a Deus e todos os dias precisamos perdoar o nosso irmão. O bálsamo da oração é a força do perdão.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo

#minisermao (21/06/18)

É preciso saber muito para falar pouco e dizer tudo, como Jesus ensinou na oração do Pai-nosso, que resume todos os saberes da terra e do céu. Santo Agostinho dizia que não há uma palavra na Bíblia que, de alguma maneira, não esteja resumida no Pai-nosso; os discípulos viram Jesus subir ao monte e rezar e não sabiam o que Ele dizia, então perguntaram: "Como é que se reza?" E fizeram um pedido: "Mestre, ensina-nos a rezar." E Ele rezou a mais bela oração de todos os tempos. O Pai-nosso inspirado nas 18 bênçãos de um judeu orante, como era Jesus de Nazaré, mas muito mais simples, muito mais completa, a oração do Pai-nosso reconhece que o Pai está no céu e nós somos todos irmãos e o pão está na terra e nós temos que conquistar e repartir. Este é o Pai Nosso. (Mt 6,7-15)
Pe. Joãozinho, scj.

Santo do dia - São Luís Gonzaga

São Luís Gonzaga, dava testemunho do Evangelho e se consagrou a Nossa Senhora. 
Considerado o "Patrono da Juventude", São Luís Gonzaga nasceu no ano de 1568 na Corte de Castiglione. Recebeu por parte de sua mãe a formação cristã. Já seu pai o motivava a ser príncipe. Sua família tinha muitas posses mas, graças ao amor de Deus, Luís – desde cedo – deixou-se possuir por esse amor.
Com dez anos de idade, na corte, frequentando aqueles meios, dava ali testemunho do Evangelho e se consagrou a Nossa Senhora. Ali descobriu seu chamado à vida religiosa e queria ser padre. Seu pai, ao saber disso, o levava para festas mundanas, na tentativa de fazê-lo desistir de sua vocação.
Entrou para a Companhia de Jesus onde viveu durante seis anos.
Com pouco mais de vinte anos, faleceu de uma peste que havia se espalhado em Roma.
São Luís Gonzaga, rogai por nós!

Comece o seu dia mais feliz meditando o Santo Evangelho da Quinta-feira da 11ª Semana do Tempo Comum

Evangelho (Mt 6,7-15)

Vós deveis rezar assim.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 6,7-15.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Quando orardes, não useis muitas palavras, como fazem os pagãos. Eles pensam que serão ouvidos por força das muitas palavras. Não sejais como eles, pois vosso Pai sabe do que precisais, muito antes que vós o peçais. Vós deveis rezar assim: Pai nosso que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu Reino; seja feita a tua vontade, assim na terra como nos céus.
O pão nosso de cada dia dá-nos hoje. Perdoa as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido. E não nos deixes cair em tentação, mas livra-nos do mal. De fato, se vós perdoardes aos homens as faltas que eles cometeram, vosso Pai que está nos céus também vos perdoará. Mas, se vós não perdoardes aos homens, vosso Pai também não perdoará as faltas que vós cometestes".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
A VONTADE DO PAI - No Evangelho, vemos Jesus ensinar a oração do Pai-nosso, que podemos dizer ser a oração mais conhecida e mais rezada em todos os tempos. É uma oração pela qual fazemos suplicas a Deus, mas que também nos compromete com Deus e os irmãos. Pedimos a realização do Reino entre nós, mas que seja segundo a vontade de Deus, e não a nossa. Pedimos o perdão das nossas ofensas, da mesma forma que nós perdoamos aos que nos ofendem. O convite, hoje, é para tomar consciência de nossa oração, para que os compromissos assumidos nela gerem frutos em nossa vida.

20 junho 2018

Fortalecei os corações, vós que ao Senhor vos confiais!

#minisermao (20/06/18)

Virtudes aparentes e vícios escondidos é o princípio e fundamento da corrupção. Para o corrupto não importa ser, mas parecer. Jesus chamou isso de farisaísmo e disse que os fariseus eram sepulcros caiados, bem pintados por fora, mas podres por dentro. É uma hipocrisia que corrompe a política, a família, a sociedade; até damos esmola, se tiver alguém vendo; até fazemos alguma coisa de bom, se alguém estiver pronto para nos elogiar, isto não é autenticidade, não é amor, é propaganda, é marketing pessoal. Juntamos tesouros no céu quando fazemos o bem sem olhar a quem e sem ter quem olhe para o bem que fazemos. (Mt 6,1-6.16-18)
Pe. Joãozinho, scj.

Comece o seu dia mais feliz meditando o Santo Evangelho da Quarta-feira da 11ª Semana do Tempo Comum

Evangelho (Mt 6,1-6.16-18)

E o teu Pai, que vê o que está escondido, te dará a recompensa.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 6,1-6.16-18.


Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Ficai atentos para não praticar a vossa justiça na frente dos homens, só para serdes vistos por eles. Caso contrário, não recebereis a recompensa do vosso Pai que está nos céus.
Por isso, quando deres esmola, não toques a trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem elogiados pelos homens. Em verdade vos digo: eles já receberam a sua recompensa. Ao contrário, quando deres esmola, que a tua mão esquerda não saiba o que faz a tua mão direita, de modo que, a tua esmola fique oculta. E o teu Pai, que vê o que está oculto, te dará a recompensa.
Quando orardes, não sejais como os hipócritas, que gostam de rezar em pé, nas sinagogas e nas esquinas das praças, para serem vistos pelos homens. Em verdade, vos digo: eles já receberam a sua recompensa. Ao contrário, quando tu orares, entra no teu quarto, fecha a porta, e reza ao teu Pai que está oculto. E o teu Pai, que vê o que está escondido, te dará a recompensa.
Quando jejuardes, não fiqueis com o rosto triste como os hipócritas. Eles desfiguram o rosto, para que os homens vejam que estão jejuando. Em verdade, vos digo: Eles já receberam a sua recompensa. Tu, porém, quando jejuares, perfuma a cabeça e lava o rosto, 18para que os homens não vejam que estás jejuando, mas somente teu Pai, que está oculto. E o teu Pai, que vê o que está escondido, te dará a recompensa".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.
 
Reflexão sobre o Evangelho:
A PIEDADE DISCRETA - O texto do Evangelho apresentado neste dia é comumente lido na Quarta-feira de Cinzas, para indicar jejum e abstinência que a Quaresma propõe. Agora, no tempo comum, ele nos conduz a refletir sobre a atividade missionária, que é um convite constante a realizar nossa ação missionária de forma humilde, gratuita e livre de interesses pessoais. Agindo dessa forma, Jesus quer nos mostrar uma forma prática de viver no dia a dia a autenticidade do Evangelho, para que, vivendo assim, mereçamos a recompensa de Deus, que vê a alegria de um coração que serve gratuitamente.

19 junho 2018

Pense nisso!

A perfeição do amor cristão é amar quem não nos quer bem!
A perfeição do amor cristão é saber amar quem não nos quer bem, é saber fazer o bem para quem nos fez o mal. "Amai os vossos inimigos e rezai por aqueles que vos perseguem!" (Mateus 5,44).

Misericórdia, ó Senhor, porque pecamos!

A perfeição do amor cristão é amar quem não nos quer bem!

A perfeição do amor cristão é saber amar quem não nos quer bem, é saber fazer o bem para quem nos fez o mal. "Amai os vossos inimigos e rezai por aqueles que vos perseguem!" (Mateus 5,44).
No mundo, há uma busca de perfeição. O atleta quer ser perfeito, quer bater todos os recordes, o cientista quer fazer com perfeição as suas descobertas e pesquisas científicas. Ser "perfeito", no entanto, não quer dizer sem defeito, pois perfeito quer dizer fazer bem feito aquilo que sabemos fazer. Precisamos ser cristãos que buscam a perfeição ou procuram fazer o melhor que podemos naquilo que realizamos.
O que é específico de um ser cristão? Ele é um ser que vive o Cristo na sua vida, pois o Senhor é para nós amor divino, é amor de Deus, por isso o amor é a prática primeira e fundamental da vida cristã.
O que torna um cristão perfeito não é a quantidade de orações que ele faz. O que o torna semelhante a Cristo não são as penitências que ele realiza. Tudo isso ajuda, aperfeiçoa, estimula, molda o nosso coração para vivermos a prática do amor, mas sem amor não somos nada! Por isso, se existe a busca da perfeição em tudo que os homens realizam, existe a perfeição do amor, e é a perfeição do amor que estamos buscando. É isso que o Pai nos diz: "Sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito" (Mateus 5,48).
A perfeição do amor consiste em aprender a amar os nossos inimigos. Não temos inimigos, mas há pessoas que não nos querem bem, que nos querem mal, que nos têm em conta de inimizade. Temos uma resposta para dar a elas: o nosso amor evangélico, amor cristão; o querer bem a elas, rezar por elas. “Rezai por aqueles que vos perseguem, por aqueles que vos fazem o mal, por aqueles que não vos querem bem”, é a resposta cristã. A nossa resposta não pode ser vingança mental, não podemos querer o mal daquela pessoa, desejar o mal para ninguém, isso não é perfeição do amor; pelo contrário, é o desvirtuamento da força do Evangelho em nós.
Busquemos a perfeição, busquemos aperfeiçoar o amor de Deus em nós. Caprichamos em amar quem já é próximo de nós, quem já tem muita afeição por nós. Isso todos fazem, até os pagãos realizam melhor do que nós.
A perfeição do amor cristão é saber amar quem não nos quer bem, é saber fazer o bem para quem nos fez o mal, é rezar por aqueles que não nos têm em conta e nos levam em conta de inimigos. Esse é o amor cristão, não é o amor do mundo.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo

#minisermao (19/06/18)

O amor aos inimigos só é possível se amamos com o Coração de Deus; é Ele quem ama em nós. Porque Deus ama a todos, sem distinção, faz chover sobre os justos e os injustos; mas nós amamos com amor apaixonado, um amor humano demais, mas é preciso amar com o Coração de Deus que é amor, esta dinâmica amorosa do Pai que ama o Filho na força do Espírito, se torna um dínamo em nosso coração, que nos faz amar de um jeito completamente diferente, desinteressado, gratuito, um amor que ama até quem não merece ser amado, porque nós não temos o amor movido pelo mérito, mas por Deus que habita em nós. (Mt 5,43-48)
Pe. Joãozinho, scj.

Comece o seu dia mais feliz meditando o Santo Evangelho da Terça-feira da 11ª Semana do Tempo Comum

Evangelho (Mt 5,43-48)

Sêde perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 5,43-48.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Vós ouvistes o que foi dito: 'Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo!' Eu, porém, vos digo: 'Amai os vossos inimigos e rezai por aqueles que vos perseguem!' Assim, vos tornareis filhos do vosso Pai que está nos céus, porque ele faz nascer o sol sobre maus e bons, e faz cair a chuva sobre os justos e injustos.
Porque, se amais somente aqueles que vos amam, que recompensa tereis? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa? E se saudais somente os vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa? Portanto, sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
O AMOR AOS INIMIGOS - A vivência do amor permite que o discípulo tenha sempre uma atitude diferente. Jesus exige de seus seguidores que eles amem a todos, mostrando que este será o diferencial entre seus seguidores e aqueles que não partilham de seus ideais. Jesus mostra que o amor não é escolha, mas é obrigação dos cristãos. Amar não significa gostar e compactuar com tudo o que as pessoas fazem, mas significa respeitar, orar pela pessoa e fazer o bem, indistintamente se é um amigo ou inimigo, pois aí está o caminho da perfeição, que nos aproxima do Pai Celeste, que é perfeito.

18 junho 2018

Paróquia de Nossa Senhora dos Aflitos.

AGENDA DA SEMANA:
• 18/06(SEGUNDA)
- 18h = Formação sobre o Ano do Laicato para o Conselho da Capela de Santa Cecília.
- 19h = Celebração da palavra na comunidade Flores.
- 19h = Escola de Evangelização no Centro Paroquial.
- 19h = Terço dos homens.
- 19h = Terço das mulheres na Capela de Santa Cecília.
- 19h = Formação de líderes da RCC no Centro Paroquial.
• 19/06(TERÇA)
- 18h = Reunião com a equipe dirigente do ECC e EJC na casa das irmãs.
- 19h = Escola de Evangelização no Centro Paroquial.
- 19h = Ministério de Cura e Aconselhamento da RCC na matriz.
- 19h = Ministério de Intercessão da RCC.
- 19h = Terço dos homens na Capela de Santa Cecília.
• 20/06(QUARTA)
- 6h = Missa na Capela das Irmãs.
- 8h30 = Atendimento aos enfermos nas residências.
- 19h = Grupo de Oração na matriz.
- 19h = Escola de Evangelização no Centro Paroquial.
            Reunião formal E N S das Graças.
• 21/06(QUINTA)
- 7h às 12h = Adoração ao santíssimo sacramento na matriz.
- 12h = Missa da Hora da Graça na matriz.
- 19h = Escola de Evangelização no Centro Paroquial.
• 22/06(SEXTA)
- 6h = Missa na Capela das Irmãs.
- 15h = Na matriz, Terço da Divina Misericórdia.
- 19h = Terço das mulheres na Capela de N. S. do Rosário.
- 19h = Grupo da Juventude Missionária.
• 23/06(SÁBADO)
- 8h = Missa das crianças na matriz.
- 9h = Confraternização junina da catequese e da infância missionária no Centro Paroquial.
- 10h = Batizados na matriz.
- 16h = Adolescência Missionária.
- 16h30 = Reunião do Conselho Paroquial de Pastoral na casa das irmãs.
- 17h = Vicentinos no Centro Paroquial.
- 19h = Abertura da Festa de São Pedro na Barra de São Pedro(PROCISSÃO, MISSA DE ABERTURA E JANTAR)
• 24/06(DOMINGO)
- 7h e 19h = Missa na Matriz.
- 9h = Batizados na matriz.
- 9h15 = Missa na Capela de Santa Cecília.
- 16h30 = Reunião do grupo "Ovelhinhas de Jesus"na Escola Evanildo Mariano.
- 17h = Missa na comunidade Assembleia.
            Reunião formal E N S Aparecida
-19h = Segunda Noite da Festa de São Pedro com a participação da comunidade da Barra de Cima.
Obs: Hoje é o dia do ofertório de alimentos para os pobres. Os vicentinos agradecem a sua doação generosa.

Atendei o meu gemido, ó Senhor!

Transformemos o mundo pelo bem de Deus que está em nós!

O que está em nós não é o mal, o que está em nós é o bem, a graça, o perdão e a misericórdia. "Não enfrenteis quem é malvado! Pelo contrário, se alguém te dá um tapa na face direita, oferece-lhe também a esquerda!" (Mateus 5,39).
"Olho por olho. Dente por dente" é um preceito tão antigo quanto a humanidade, colocado em prática nas relações humanas até os dias de hoje e com mais evidência. Se me fez um mal, eu retribuo com o mal, fechou-me a cara, eu fecho a cara também, não me valoriza eu também não valorizo e vivemos em um mundo de disputas, de inimizades, de conflitos e vingança. Há várias formas de se vingar: a vingança da frieza, da indiferença, dos maus tratos, da briga, das guerras, das competições e disputas. Todas elas destroem o mundo, o nosso coração, a nossa saúde, as relações e convivências humanas.
A ordem de Jesus para nós é: "Não enfrenteis quem é malvado. Não compartilhe com o mal. Não se contamine com o mal do mundo". O mal que o mundo quer injetar em nós é: "Fez-me o mal, eu também faço o mal". Ora, o que está em nós não é o mal, o que está em nós é o bem, a graça, o perdão, a misericórdia; ou não trazemos Deus em nós, não O recebemos em nós ou não temos a vida d'Ele na nossa vida. Essas questões são fundamentais, é isso que define se somos de Deus ou se somos mundanos, é a mentalidade que temos, é a cabeça que temos. Talvez, você diga: "Ainda não cheguei a esse ponto". Então, chegue e lute, para que a nossa mentalidade não seja a do mundo, porque essa mentalidade mundana destrói todas essas coisas.
Não nos contaminemos pelo mal, mas transformemos o mundo pelo bem de Deus que está em nós. Não é ser ingênuo, bobo como muitos querem entender que devemos ser, é não se contaminar pelo mal, é não deixar que nos tornemos maus, porque o outro nos fez mal. É mostrar que o que está em nós é maior do que está no mundo.
No mundo está o mal, mas em mim eu quero que esteja sempre o bem, a graça e o Reino de Deus.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo

#minisermao (18/06/18)

A melhor reação quando somos atacados não é a revanche do "olho por olho", mas o diálogo do "olho no olho". É isso que Jesus nos ensina, é preciso reagir, mas não já, é preciso dizer algo, mas não agora, é preciso fazer alguma coisa, porém, não impulsivamente, não apressadamente e nem sobre a forma de revanche ou vingança, porque isso cria o círculo vicioso da violência. Se quisermos instaurar o círculo virtuoso da paz, é necessário suportar o tempo de agressão em silêncio e até oferecer a outra face a quem nos dá um tapa, para depois olhar olho no olho e perguntar: "Por que você me bateu?" (Mt 5,38-42)
Pe. Joãozinho, scj.

Comece o seu dia mais feliz meditando o Santo Evangelho da Segunda-feira da 11ª Semana do Tempo Comum

Evangelho (Mt 5,38-42)

Eu vos digo: não enfrenteis quem é malvado!
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 5,38-42.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Ouvistes o que foi dito: 'Olho por olho e dente por dente!' 39Eu, porém, vos digo: Não enfrenteis quem é malvado! Pelo contrário, se alguém te dá um tapa na face direita, oferece-lhe também a esquerda! Se alguém quiser abrir um processo para tomar a tua túnica, dá-lhe também o manto! Se alguém te forçar a andar um quilômetro, caminha dois com ele! Dá a quem te pedir e não vires as costas a quem te pede emprestado".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
A VIOLÊNCIA SUPERADA - A lei do amor que Jesus propõe para todo ser humano é justamente aquela que vai contra os paradigmas esperados na sociedade. Se antigamente os homens viviam segundo a lei de talião, que consiste na reciprocidade do mal, em que se devolvia o ato recebido no mesmo grau sofrido, sendo olho por olho e dente por dente, agora Jesus propõe que não haja essa reciprocidade, a qual se torna uma vingança, e não encerra a violência. Ele propõe que, no momento de uma ofensa, haja perdão encerrando ali o ato de violência, e devolvendo com o bem, um ato recebido por maldade.

17 junho 2018

Como é bom agradecermos ao Senhor!

O Reino de Deus precisa ser cultivado!

O Reino de Deus, que é desprezado por muitos, é o que transforma a vida e a mentalidade deste mundo. "O Reino de Deus é como um grão de mostarda que, ao ser semeado na terra, é a menor de todas as sementes da terra" (Marcos 4,31).
Sabemos que o que é menor é sem significância, sem importância, é desprezível. Queremos sempre o que é maior, o que é mais importante, o que realmente dá valor e consistência. Para muitos, a Palavra de Deus, as coisas d'Ele são menores, alguns até a desprezam, outros a colocam em segundo ou terceiro lugar, porque não é tão importante. Cada um tem a sua escala de valores. Você prioriza isso, valoriza isso, porque para você é o mais importante. Mas a Palavra de Deus, o Reino de Deus, as coisas d'Ele, não são prioridade na vida de muitas pessoas.
Quando nos encontramos numa situação difícil, aquilo que desprezamos ou não damos valor é o que se torna o fermento transformador da vida. A pedra que os pedreiros rejeitaram tornou-se a pedra fundamental; a semente que foi desprezada tornou-se a maior hortaliça de todas. O Reino de Deus, que é desprezado por muitos, é o que transforma a vida e a mentalidade desse mundo.
Não deixe que o Reino de Deus seja apenas uma semente insignificante, guardada em um canto. Não deixe que ela fique apenas como um grão de mostarda em sua vida. Cultive e valorize o Reino de Deus, e você verá que a semente vai se tornar a maior de todas as hortaliças, a maior de todas as graças e bênçãos, a grande prioridade que transforma a nossa vida.
Quando deixamos uma semente de lado, ela seca, fica desprezada, mas se cultivarmos essa semente, ela crescerá, produzirá tantos frutos, que ficaremos, depois, contemplando as maravilhas que acontecem.
O Reino de Deus precisa ser cultivado, não basta tê-lo em nós, é preciso que ele cresça, floresça e venha para fora. É a menor, parece a mais insignificante, mas não se esqueça de que é a mais importante, essencial para que a nossa vida seja transformada. Acolhamos a semente pequena da Palavra, e ela vai tornar a nossa vida grande e importante, como deve ser aos olhos do Senhor.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo 

#minisermao (17/06/18)

Tudo tem seu tempo nessa vida; após plantar tenha a paciência de deixar a semente dormir. Só Deus pode fazê-la germinar. É assim com a educação dos filhos, você fala, insiste e não sabe bem se esta palavra vai nascer em atitudes, em decisões, em crescimento da personalidade, do caráter daquele jovem e então você entrega para Deus e deixa tudo o que você disse dormir no coração daquele jovem, daquele filho, na fé de que um dia a semente irá germinar, mesmo que você não veja esse dia chegar. Creia, nós plantamos, mas é Deus quem faz crescer. (Mc 4,26-34)
Pe. Joãozinho, scj.

Comece a sua semana mais feliz meditando o Santo Evangelho do XI Domingo do Tempo Comum

Evangelho (Mc 4,26-34)

É a menor de todas as sementes e se torna maior do que todas as hortaliças.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos 4,26-34.

Naquele tempo, Jesus disse à multidão: "O Reino de Deus é como quando alguém espalha a semente na terra. Ele vai dormir e acorda, noite e dia, e a semente vai germinando e crescendo, mas ele não sabe como isso acontece. A terra, por si mesma, produz o fruto: primeiro aparecem as folhas, depois vem a espiga e, por fim, os grãos que enchem a espiga. Quando as espigas estão maduras, o homem mete logo a foice, porque o tempo da colheita chegou".
E Jesus continuou: "Com que mais poderemos comparar o Reino de Deus? Que parábola usaremos para representá-lo? O Reino de Deus é como um grão de mostarda que, ao ser semeado na terra, é a menor de todas as sementes da terra. Quando é semeado, cresce e se torna maior do que todas as hortaliças, e estende ramos tão grandes, que os pássaros do céu podem abrigar-se à sua sombra".
Jesus anunciava a Palavra usando muitas parábolas como estas, conforme eles podiam compreender. E só lhes falava por meio de parábolas, mas, quando estava sozinho com os discípulos, explicava tudo.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
O REINO EM PARÁBOLAS - "Anunciava a Palavra usando muitas parábolas".
Por meio de parábolas, Jesus compara o Reino a uma semente. A semente pode nos recordar que, sendo algo pequeno, possui em si uma potencial incrível. Em sua pequenez, carrega o potencial de uma grandiosa árvore, que produz frutos e sombra. Assim, Jesus mostra que o Reino deve ser semeado por nossa ação, que, mesmo pequenas, serão grandiosas quando o Reino for completado.
Senhor, que com minha vida eu saiba semear na humanidade as sementes de seu Reino.
Terei nesta semana atitudes que testemunhem o amor de Deus à humanidade.

16 junho 2018

Não adianta explicar quando o outro está decidido a não entender...

O Senhor é a porção da minha herança!

A Palavra de Deus nos concede autenticidade de vida!

Somos frágeis, mas não podemos deixar que cresça em nós a corrupção da palavra, da autenticidade nem da consciência. "Dizei somente: 'Sim', se é sim; 'não', se é não. Tudo o que passa além disto vem do Maligno" (Mateus 5,37).
Não precisamos jurar nem nos exaltar para prometer algo a alguém, porque a força da palavra vem pela autenticidade da vida da pessoa. Quando nos acostumamos a contar uma mentira aqui, outra acolá; quando nós temos duas palavras diante de uma mesma realidade; quando, de frente para uma pessoa, dizemos uma coisa, mas na frente de outra pessoa dizemos algo diferente, isso significa que não somos autênticos.
É difícil ou quase impossível confiar em pessoas que não são autênticas. Somos frágeis, temos fragilidades, mas não podemos deixar que cresça em nós a corrupção da palavra, da autenticidade nem da consciência.
O grande mal do mundo em que vivemos são as mentes que se corrompem por qualquer coisa, são pessoas dúbias nas palavras, que se movem por jogo de interesses, e ora dizem uma coisa, ora dizem outra; ora têm esse comportamento, mas, naquela outra realidade, vão ter outro comportamento.
Pessoas corruptas são falsas, e a falsidade é a falta de autenticidade. Nem sempre é fácil [ser autêntico], mas é porque vamos nos acostumando com pequenas mentiras e transformando coisas pequenas, como se elas não tivessem importância. Uma pequena "mentirinha" é uma mentira de qualquer forma; uma coisa que é dita de forma contraditória, enganosa e ilusória, transforma-nos em pessoas falsas.
Comungar com o Senhor é comungar com a verdade. Não podemos ser, nunca, pessoas de duas caras, de duas palavras e dois corações. Que o nosso 'sim' seja sim, e que o nosso 'não' seja não. Não podemos ser 'sim' para alguém conforme as conveniências, conforme as vantagens que queremos obter aqui e acolá.
Toda a falta de autenticidade, tudo o que é mentiroso é do maligno. Que o nosso 'sim' seja sim, que o nosso 'não' seja não; o que passa disso é diabólico, maldoso, não é do Céu.
Que a Palavra de Deus nos conceda autenticidade de vida.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo

#minisermao (16/06/18)

Precisamos ser claros em nossas palavras e decisões; a penumbra da indefinição é canteiro de satanás. Jesus foi muito claro quando disse sim, sim; não, não. Um sim meio não; um não com aparência de sim; um talvez, quem sabe, é possível amanhã, costuma ser a porta aberta para a corrupção. O pai da mentira que gosta de palavras que podem significar tudo e ao mesmo tempo nada, aquele pano quente, aquele jeitinho, aquela solução incompleta é o princípio do fim. Sim, sim; não, não. (Mt 5,33-37)
Pe. Joãozinho, scj.

Comece o seu dia mais feliz meditando o Santo Evangelho do Sábado da 10ª semana do Tempo Comum

Evangelho (Mt 5,33-37)

Eu vos digo: não jureis de modo algum.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 5,33-37.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Vós ouvistes o que foi dito aos antigos: 'Não jurarás falso, mas cumprirás os teus juramentos feitos ao Senhor’. Eu, porém, vos digo: Não jureis de modo algum: nem pelo céu, porque é o trono de Deus; nem pela terra, porque é o suporte onde apoia os seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do Grande Rei. Não jures tampouco pela tua cabeça, porque tu não podes tornar branco ou preto um só fio de cabelo. Seja o vosso 'sim': 'sim', e o vosso 'não': 'não'. Tudo o que for além disso vem do Maligno".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
A ÉTICA DA PALAVRA - Dando pleno cumprimento à Lei, Jesus vem mostrar a Lei e pedir algo a mais para aqueles que o ouviam. Se na Lei, pede-se para não jurar falso, Jesus acrescenta que não se deve jurar falso de modo nenhum. Para compreender esse pedido de Jesus, é necessário ter clareza de que não somos donos de nossos atos, pois, quando nos entregamos a Deus, ele nos guia. Para que isso se torne realidade em nosso meio, é preciso ter determinação e firmeza, para que o "sim" seja sim e o não seja "não".

15 junho 2018

De longe eu vejo a Casa da nossa Mãe dos Aflitos!

Senhor, é vossa face que eu procuro!

É na brisa leve que nos encontramos com Deus!

É um verdadeiro combate espiritual, é um combate mental e psicológico para encontrar, de fato, a brisa, a suavidade de Deus em nós. "Passado o terremoto, veio um fogo. Mas o Senhor não estava no fogo. E depois do fogo ouviu-se um murmúrio de uma leve brisa" (1Rs 19,12).
Elias está na montanha sagrada para se encontrar com o Senhor. Como nós precisamos nos encontrar com o Senhor, apenas precisamos saber onde Deus passa, onde Ele está e onde Ele permanece na vida e no coração de cada um de nós. O Senhor não estava naquele vento impetuoso, naquele vento forte, naquela ventania.
Na nossa vida existem muitos ventos, aquilo que vai e que vem, provocando agitações por onde passa. O nosso coração, muitas vezes, está tomado pelas agitações da vida, e Deus não se encontra em um coração agitado nem numa vida agitada. Do mesmo modo, depois do vento há um terremoto, onde as coisas se abalam. O terremoto é aquilo que provoca grandes desastres e abalos.
O terremoto é símbolo do desespero. Às vezes, achamos que vamos encontrar Deus quanto mais desesperados nós ficarmos. Acontece uma coisa pequena e a pessoa transforma aquilo num grande desespero, numa grande calamidade. Não é ignorando que existe calamidade e situações, realmente, desastrosas, mas mesmo assim isso não implica que o coração tem que se entregar ao desespero.
Quando nos desesperamos, perdemos a estabilidade da esperança e da confiança que temos no Senhor. Passado o que foi o terremoto, vem o fogo, símbolo das paixões, as quais são tantas, e muitas delas violentíssimas! Elas vêm e arrasam nossa alma e nosso coração. O fogo das paixões mundanas, dos sentimentos à flor da pele, o fogo pelas paixões das coisas do mundo. Essas paixões nos consomem por dentro.
A paixão é como um fogo aceso que vai incendiando por onde passa, por isso o Senhor não está nas ventanias da vida, Ele não está nas tempestades, nas calamidades, nos desesperos da vida nem nas paixões. Quando passou uma brisa leve, foi ali que se ouviu o murmúrio da presença divina. Precisamos aprender a acalmar o coração, equilibrar a alma e encontrar a serenidade dentro de nós.
As coisas estão muito agitadas e violentas dentro de nós, podemos até parecer pessoas calmas e tranquilas, mas dentro de nós está aquela agitação, aquela bagunça. Acalme as tempestades, os terremotos, os desesperos, combata o fogo das paixões e busque a serenidade, o silêncio da alma e a sobriedade de espírito. É ali que nos encontramos com o Senhor.
É um verdadeiro combate espiritual, mental e psicológico para encontrar, de fato, a brisa, a suavidade de Deus em nós. Muitas vezes, até as nossas celebrações são agitadas. Enquanto não encontramos a profundidade do silêncio, Deus não perfaz, não entra com profundidade em nossa alma e em nosso coração.
É na brisa leve, suave e serena que Deus se encontra conosco, e nós nos encontramos com o Senhor.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo

#minisermao (15/06/18)

Existem situações de pecado e de vício que só podem ser superadas por um corte radical; meias medidas não resolvem o problema. Jesus usa algumas comparações radicais para mostrar que é preciso, muitas vezes, cortar na raiz; se o olho direito é para ti ocasião de pecado, arranca-o, não é que seja necessário arrancar o olho, mas eliminar aquele olhar; se a tua mão direita é ocasião de pecado, corta-a; deixa a mão ali, não precisa cortar a mão, mas corte aquele gesto que te faz pecar; pode ser que aquela bebida não seja pecaminosa, aquele gole ainda não é pecado, mas é uma meia medida que levará você ao alcoolismo, corte radicalmente. (Mt 5,27-32)
Pe. Joãozinho, scj.

Comece o seu dia mais feliz meditando o Santo Evangelho da Sexta-feira da 10ª semana do Tempo Comum

Evangelho (Mt 5,27-32)

Todo aquele que olhar para uma mulher, com o desejo de possuí-la, já cometeu adultério com ela no seu coração.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 5,27-32.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Ouvistes o que foi dito: 'Não cometerás adultério'. Eu, porém, vos digo: Todo aquele que olhar para uma mulher, com desejo de possuí-la, já cometeu adultério com ela no seu coração. Se o teu olho direito é para ti ocasião de pecado, arranca-o e joga-o para longe de ti! De fato, é melhor perder um de teus membros, do que todo o teu corpo ser jogado no inferno.
Se tua mão direita é para ti ocasião de pecado, corta-a e joga-a para longe de ti! De fato, é melhor perder um dos teus membros, do que todo o teu corpo ir para o inferno.
Foi dito também: 'Quem se divorciar de sua mulher, dê-lhe uma certidão de divórcio'. Eu, porém, vos digo: Todo aquele que se divorcia de sua mulher, a não ser por motivo de união irregular, faz com que ela se torne adúltera; e quem se casa com a mulher divorciada comete adultério".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
A PUREZA DE CORAÇÃO - Continuando com as orientações de Jesus, que faz uma proposta de superação das leis e doutrinas vigentes, para plenificar seu sentido com a vivência do amor. Nessa proposta de vivência do amor, Jesus mostra-nos que é necessário erradicar o mal, não bastando remediar a sua existência, mas sendo necessário combatê-lo na raiz. Pois para evitar o pecado, é necessário ir em sua raiz, e aí corrigi-lo, não bastando punições aos pecadores, pois dessa forma não se erradica o pecado e ele continua a existir. Para vencer o pecado, é necessário ser rigoroso e perseverante na vivência do amor.

14 junho 2018

Pense nisso!

"Somos todos falíveis, delicadamente imperfeitos, mas únicos na nossa essência e nas nossas histórias pessoais. Por isso, é muito bom e necessário aceitar cada erro cometido sem cair em um lamento perpétuo, mas perceber o que não devemos fazer, qual o caminho que não trilharíamos novamente e quais são as pessoas que devem ficar bem longe de nós".

Ó Senhor que o povo vos louve em Sião!

#minisermao (14/06/18)

Quando a alma amadurece na sensibilidade até pequenas falhas parecem grandes; crescemos na gentileza e começamos a perceber detalhes que fazem toda a diferença. Quando estamos metidos no pecado, na insensibilidade, ganhamos casca grossa e nada parece errado. Jesus mesmo disse que está escrito não matarás; Ele porém diz: "Não tenha cólera, porque de alguma maneira você estará matando seu irmão. Não chame seu irmão de idiota, de patife, de tolo, isso já começa o inferno aqui e agora." Jesus era sensível para com pequenos detalhes que faziam a diferença na vida das pessoas; um toque, um olhar, uma palavra, um gesto de carinho. (Mt 5,20-26)
Pe. Joãozinho, scj.

Comece o seu dia mais feliz meditando o Santo Evangelho da Quinta-feira da 10ª semana do Tempo Comum

Evangelho (Mt 5,20-26)

Vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 5,20-26.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Se a vossa justiça não for maior que a justiça dos mestres da Lei e dos fariseus, vós não entrareis no Reino dos Céus. Vós ouvistes o que foi dito aos antigos: 'Não matarás! Quem matar será condenado pelo tribunal'.
Eu, porém, vos digo: todo aquele que se encoleriza com seu irmão será réu em juízo; quem disser ao seu irmão: 'patife!' será condenado pelo tribunal; quem chamar o irmão de 'tolo' será condenado ao fogo do inferno.
Portanto, quando tu estiveres levando a tua oferta para o altar, e ali te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa a tua oferta ali diante do altar, e vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão. Só então vai apresentar a tua oferta.
Procura reconciliar-te com teu adversário, enquanto caminha contigo para o tribunal. Senão o adversário te entregará ao juiz, o juiz te entregará ao oficial de justiça, e tu serás jogado na prisão. Em verdade eu te digo: dali não sairás, enquanto não pagares o último centavo".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Refletindo sobre o Evangelho:
A EXIGÊNCIA DA COMUNHÃO FRATERNA - O convite de Jesus é para a vivência da justiça, não uma justiça de julgamento na qual se encontram culpados e inocentes, mas uma justiça de dar a cada um aquilo que lhe é devido, sendo orientados pelo amor, e não por mesquinhez e partidarismos humanos. Nesse convite, compreende-se um distanciamento da obrigatoriedade de respeitar a lei de Deus como norma, e se passa a viver o amor como essência e fim último da lei divina. A justiça proposta por Jesus é a vivência do amor, que conduz à caridade com os irmãos e se torna geradora da paz.

13 junho 2018

A caridade deve ser anônima, do contrário é vaidade!

Guardai-me, ó Deus, porque em vós me refugio!

Precisamos nos aprofundar na Palavra de Deus!

Precisamos nos aprofundar mais na Palavra, conhecê-la com mais intensidade e deixar que ela caia em nosso coração. "Portanto, quem desobedecer a um só destes mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será considerado o menor no Reino dos Céus" (Mateus 5,19).
Há uma tendência no mundo e na sociedade de vivermos o relativismo das coisas: "Não é bem assim. Não é desse jeito". Se há aqueles que têm a tendência de exagerar, de levar as coisas para além da medida, há aqueles que, realmente, querem levar as coisas de qualquer forma, até interpretando de forma errada a Lei de Deus, a Palavra d'Ele e Seus ensinamentos.
Podemos ter dificuldades para colocar em prática a Palavra do Senhor, pois nós temos uma luta dentro de nós: há um homem novo, que brotou do Evangelho, e há um homem velho lutando dentro de nós. Não podemos deixar prevalecer o homem velho, mandando e orientando a nossa vida, para, dessa forma, também ensinarmos os outros.
Tratamos o relativismo como se fosse sinônimo de misericórdia. No entanto, ser misericordioso é compadecer-se da fraqueza e da dificuldade do outro, misericórdia não é transformar o errado em coisa certa, não é simplesmente olhar para o mundo e ver tudo de errado que está acontecendo e dizer: "É assim mesmo. Todos somos filhos de Deus".
Os filhos de Deus precisam conhecer o caminho reto que salva, cura, liberta e transforma; e não relativizar a Palavra do Senhor, as coisas d'Ele e Seus mandamentos de forma nenhuma! Pelo contrário, precisamos nos aprofundar mais na Palavra, conhecê-la com mais intensidade e seriedade, deixar que ela caia em nosso coração, realize a obra de Deus em nós e vá nos convencendo daquilo que o mundo não quer se convencer, de que só a Palavra transforma a nossa vida.
Não vivamos errado os mandamentos nem a Palavra de Deus. E se algo em nossa vida estiver no erro, permitamo-nos ser corrigidos por Deus, permitamo-nos ser corrigidos por uma consciência reta, serena, verdadeira. Não aplaudamos, ensinemos nem conduzamos ninguém para a prática do erro, para aquilo que não está de acordo com a vontade de Deus.
A misericórdia do Senhor socorre todas as nossas fraquezas e nos conduz para a verdade; ela não nos deixa atolados no erro. Levantemo-nos de uma consciência frouxa, para termos a consciência reta e direcionada de acordo com a Palavra do Senhor.
Deus abençoe você! 
Padre Roger Araújo

#minisermao (13/06/18)

Ser professor, catequista ou educador é uma missão maravilhosa; é dar à luz a mente, o coração, o caráter de alguém. Mestres são pais da alma. Jesus disse: "Aprendei de mim que sou manso e humilde de coração." E os Seus discípulos o chamavam de Mestre. Tivemos vários professores na vida e eles ficaram marcados em nossa história e muitas das coisas que sabemos, nem lembramos mas recebemos de alguém, que nos deu muito mais do que dinheiro, muito mais do que riqueza, nos deu saber, o conhecimento, a sensibilidade, as habilidades e as competências. (Mt 5,17-19)
Pe. Joãozinho, scj.

Comece o seu dia mais feliz meditando o Santo Evangelho da Quarta-feira, Santo Antônio de Pádua (ou de Lisboa), presbítero e doutor - Festa

Evangelho (Mt 5,17-19)

Aquele que praticar e ensinar os mandamentos, este será considerado grande.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 5,17-19.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Não penseis que vim abolir a Lei e os Profetas. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento.
Em verdade, eu vos digo: antes que o céu e a terra deixem de existir, nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da Lei, sem que tudo se cumpra. Portanto, quem desobedecer a um só destes mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será considerado o menor no Reino dos Céus. Porém, quem os praticar e ensinar será considerado grande no Reino dos Céus".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
A PRÁTICA DA LEI - No Evangelho deste dia, Jesus mostra que veio para dar pleno cumprimento à lei, não rompendo a Aliança, como muitos diziam. Com suas atitudes e ensinamentos, ele quer mostrar o essencial e fundamental da lei e dos preceitos, mostrando que as atitudes do povo estavam esvaziando todo o sentido delas, tornando-as, portanto, práticas vazias. O desejo de Jesus é que, ao compreendermos o que é fundamental na lei, tornemo-nos livres diante dela, pois, ao retomar o essencial da lei, compreende-se que a lei é que foi feita para servir ao homem, e não o inverso.

12 junho 2018

Sobre nós fazei brilhar o esplendor da vossa face!

A caridade deve arder em nossa alma!

A caridade profunda é a daquele que tem um coração desprendido e doado para saciar a fome do outro. "Ela respondeu: 'Pela vida do Senhor, teu Deus, não tenho pão. Só tenho um punhado de farinha numa vasilha e um pouco de azeite na jarra. Eu estava apanhando dois pedaços de lenha, a fim de preparar esse resto para mim e meu filho, para comermos e depois esperar a morte'"(1Rs 17,12). 
A beleza da Palavra de Deus que vem ao nosso coração, hoje, é de nos colocarmos diante deste drama: um profeta, como é Elias, um homem dócil, submisso a Deus, que se deixa levar por Ele. Elias entra em Sarepta, e essa é a condição em que ele se encontra, passando fome, sede, necessidade; e ele vai ao encontro de uma viúva que mal tinha com o que se alimentar, que mal tinha alimento para ela e para o seu filho. Um pouco de farinha e água que ela possuía, era para alimentar ela e o filho, e depois esperar a morte. Mas o profeta pede a ela que alimente a sua sede, que ela sacie a sua fome. O pouco ou o nada que aquela mulher tem, reparte com Elias, com seu filho e com ela. A viúva sacia a fome daquele homem de Deus.
Para nós, é um exemplo do que é, de fato, a caridade, que precisa ser vivida na vida de cada um de nós. Basta ver que os mais pobres são aqueles que mais sabem repartir o que têm, eles repartem o que nada têm com quem não tem realmente nada.
Andamos em tantos lugares desse mundo de meu Deus e vemos como os pobres repartem o que têm, como eles partilham o pouco do arroz e do feijão que têm. É escandaloso para nós quando sobra comida em nossa despensa, quando vemos crianças deixar comida no prato, escandaloso quando vemos tantos desperdícios acontecendo no mundo, mais escandaloso ainda é a nossa pouca capacidade de partilha. Falamos de caridade, fazemos uma prática aqui e acolá, mas a caridade profunda e verdadeira é a daquele que sempre partilha o que tem, sem medo tem um coração desprendido e doado para saciar a fome do outro; a fome de amor, de presença. Partilhar e compartilhar a vida com intensidade de coração é a caridade que deve estar sempre ardendo dentro da nossa alma.
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo