24 abril 2017

#minisermao (24/04/17)

Somos barro da terra animado pelo sopro do céu; o barro nos limita, o sopro nos liberta. Espiritualidade é felicidade. Temos uma lei da gravidade que nos atrai para a terra, que nos puxa para baixo, mas trazemos dentro de nós, também, uma lei da espiritualidade que nos puxa para cima, que nos faz buscar as coisas do alto. Temos necessidades afetivas, corporais, precisamos nos alimentar, buscamos o prazer, mas existe também uma dimensão interior que nos coloca diante do céu como morada definitiva. Não somos daqui; um dia chegaremos na nossa pátria, mas agora a espiritualidade é um caminho de felicidade.
(Jo 3,1-8‬)
Pe. Joãozinho, scj.

Proclamemos com audácia que Jesus está vivo!

Somos a Igreja de Cristo, somos os discípulos, os apóstolos de hoje e precisamos dessa audácia "Agora, Senhor, olha as ameaças que fazem e concede que os teus servos anunciem corajosamente a tua palavra. Estende a mão para que se realizem curas, sinais e prodígios por meio do teu santo servo Jesus" (At 4, 29-30).

O NOVO NASCIMENTO

Nicodemos representa o tipo de discípulo que quer chegar à fé em Jesus, sem abrir mãos dos próprios esquemas mentais. A fé no Ressuscitado, nestas circunstâncias, exige um nascer de novo pela força do Espírito de Deus. O novo nascimento supõe colocar-se diante de Jesus, com a inocência de uma criança, deixando-se guiar por ele. Significa ter um coração generoso para receber suas palavras, sem exigir grandes explicações, nem tampouco alterar-lhe o sentido. É predispor-se a adequar a própria vida ao projeto de Jesus, deixando-se transformar por ele, numa nova criatura. É deixar o Espírito do Senhor agir com total liberdade sobre todos os âmbitos da própria existência, sem excluir nenhum espaço. É permitir que a dinâmica da Ressurreição perpasse as estruturas do próprio ser, de modo a banir todo pecado e egoísmo.
Esta dinâmica de renascimento não depende da idade cronológica. Uma pessoa, embora sendo idosa, pode colocar-se neste processo de renascer. Aliás, cada cristão, ao proclamar sua fé em Jesus, deve estar predisposto a passar pelo novo nascimento. A profundidade do ato de fé manifesta-se mediante sinais indicadores de que algo de novo está acontecendo na vida do cristão. Caso contrário, tudo não passará de pura ilusão.

Meditando o Evangelho do dia - 2ª-feira da 2ª Semana da Páscoa

Evangelho (Jo 3,1-8)
 
Se alguém não nasce da água e do Espírito, não pode entrar no Reino de Deus.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 3,1-8.

Havia um chefe judaico, membro do grupo dos fariseus, chamado Nicodemos, que foi ter com Jesus, de noite, e lhe disse: "Rabi, sabemos que vieste como mestre da parte de Deus. De fato, ninguém pode realizar os sinais que tu fazes, a não ser que Deus esteja com ele".
Jesus respondeu: "Em verdade, em verdade, te digo, se alguém não nasce do alto, não pode ver o Reino de Deus". Nicodemos disse: "Como é que alguém pode nascer, se já é velho? Poderá entrar outra vez no ventre de sua mãe?"
Jesus respondeu: "Em verdade, em verdade, te digo, se alguém não nasce da água e do Espírito, não pode entrar no Reino de Deus. "Quem nasce da carne é carne; quem nasce do Espírito é espírito. Não te admires por eu haver dito: Vós deveis nascer do alto. O vento sopra onde quer e tu podes ouvir o seu ruído, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai. Assim acontece a todo aquele que nasceu do Espírito".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão - Jo 3, 1-8
O Evangelho de hoje nos mostra uma nova oposição entre o velho e o novo, que não acontece mais segundo o tempo, mas segundo a condição do homem diante de Deus. O homem velho é o homem do Antigo Testamento, o homem que vive segundo a lei, é escravo do pecado e da morte. O homem novo é o homem que participa da Nova Aliança, é cidadão do Reino de Deus, não vive mais segundo a lei, mas vive o novo mandamento, o mandamento do amor, não é mais escravo do pecado, mas é filho de Deus, é livre e vive segundo a graça e não é mais prisioneiro da morte porque tem a Vida nova em Cristo.

Delação de Palocci só valerá se for contra Lula

REUTERS/Rodolfo Buhrer 
Assim como ocorreu com Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, uma eventual delação premiada do ex-ministro Antonio Palocci só será aceita pela força-tarefa da Lava Jato se implicar diretamente o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, segundo informa a jornalista Mônica Bergamo.
Em seu último depoimento, Palocci disse que poderia abrir caminho para mais um ano de trabalho para o juiz Sergio Moro, indicando caminhos a percorrer no sistema financeiro, mas ele já percebeu que o foco da força-tarefa é Lula.
"O ex-ministro Antonio Palocci tem oscilado em relação a Lula. Embora tenha preservado o ex-presidente em seu depoimento ao juiz Sergio Moro, na semana passada, ele já estaria convencido de que dificilmente fechará uma delação premiada sem envolver diretamente o ex-presidente", diz Mônica Bergamo. "Palocci só preservou Lula no depoimento da semana passada 'a duras penas', segundo uma pessoa de seu círculo próximo".

Fidelidade a Temer na Câmara despenca e aprovação de reformas já é dúvida

Lula Marques 
Às vésperas das votações decisivas das reformas, Michel Temer precisa enfrentar a infidelidade crescente dentro de sua própria base.
A fidelidade dos deputados federais às orientações do governo no Legislativo vem caindo de maneira constante desde o fim de 2016. Se em julho daquele ano a média de apoio ao governo na Câmara dos Deputados foi de 91% —o maior índice de governismo já registrado desde 2003—, em abril deste ano essa taxa caiu para 79%, uma queda de 12 pontos percentuais.
As informações são de reportagem de Rodrigo Burgarelli e Daiene Cardoso no Estado de S.Paulo.
"Os dados são do Basômetro, ferramenta interativa do Estadão Dados que coleta todas as votações nominais ocorridas no Congresso e compara os votos dos deputados com as orientações do governo.
Segundo o levantamento, o fim da lua de mel entre Temer e os parlamentares ocorre no exato momento em que algumas das medidas mais importantes para o governo estão prestes a entrar na pauta, como as reformas da Previdência e trabalhista.
Os números revelam que, quanto mais recente o intervalo analisado, maior é a queda do governismo na Câmara. Nas primeiras 20 votações nominais do governo Temer, por exemplo, 92% dos deputados seguiram orientação do Planalto. Já nas 20 mais recentes, apenas 68% fizeram o mesmo".

Intelectual americano diz que mídia brasileira distorceu imagem de Dilma

 
Um dos mais importantes brasilianistas, o historiador norte-americano James Naylor Green publicou um relato em que conta como a mídia brasileira distorceu a imagem da presidente deposta Dilma Rousseff.
Green esteve com Dilma nas quase duas semanas em que ela deu palestras em diversas universidades dos Estados Unidos, como Brown, Columbia, the New School, City University of New York e Harvard.
"Conheci uma pessoa totalmente diferente da imagem promovida pela grande imprensa e pela mídia no Brasil", diz ele. "Conheci uma mulher íntegra e com princípios firmes, que a incentivaram a entrar na luta contra a ditadura em 1965 e seguir lutando contra a desigualdade econômica e social durante o seu governo e agora na resistência ao golpe", acrescentou.
Para o intelectual, "fica muito evidente que a grande mídia criou uma imagem totalmente falsa sobre esta pessoa sensível e comprometida. É difícil prever o futuro, mas acho que ela ainda vai cumprir um papel importante nas lutas pela justiça e igualdade no Brasil".
Confira a íntegra:
Duas semanas com Presidenta Dilma nos Estados Unidos
Durante as quase duas semanas com a Presidenta Dilma Rousseff em Providence, New York, Boston e Cambridge, conheci uma pessoa totalmente diferente da imagem promovida pela grande imprensa e pela mídia no Brasil.
Ouvi ela falando em diversas universidades—Brown, Columbia, the New School, City University of New York e Harvard, entre membros da comunidade brasileira em Boston e New York e com acadêmicos como os Professores Skip Gates e John Comaroff de Harvard, quando servi de intérprete.
Também acompanhei a presidente em diversos momentos onde ela foi reconhecida por brasileiros, argentinos, uruguaios e mexicanos, que deram abraços e solidariedade por sua força e determinação. "Estamos com você", falaram em português e espanhol. E é claro, pediram uma foto. Ela sempre abraçou a pessoa e conversou com ela, com uma atenção e interesse impressionante.
Dilma Rousseff é uma mulher culta, que insistiu em visitar as livrarias de Harvard e Nova York nos minutos livres. No Strand Bookstore, o famoso sebo na rua 12 com a Broadway, ela procurou livros sobre Inglaterra no século XIX porque estava interessada em entender a política do Primeiro Ministro Lord Palmerston em relação a Guerra Civil nos Estados Unidos.
Conversamos longamente sobre o seu passado na resistência à ditadura militar, a situação atual, as eleições de 2018 e as perspetivas para a luta contra a implantação do projeto neo-liberal no país.
Cabe a ela compartilhar estas idéias com o público, mas como escrevi em outra postagem, conheci uma mulher integra e com princípios firmes, que incentivaram ela para entrar na luta contra a ditadura em 1965 e seguir lutando contra a desigualdade econômica e social durante o seu governo e agora na resistência ao golpe.
Fica muito evidente que a grande mídia criou uma imagem totalmente falsa sobre esta pessoa sensível e comprometida. É difícil prever o futuro, mas acho que ela ainda vai cumprir um papel importante nas lutas pela justiça e igualdade no Brasil.

23 abril 2017

#minisermao (23/04/17)

A ausência sempre tem seu preço; pense duas vezes antes de faltar naquele encontro, naquela festa, no compromisso. Lembre-se de Tomé que naquele dia não foi à celebração, ao encontro dos amigos, dos apóstolos e exatamente no dia em que ele faltou, Jesus ressuscitado apareceu. Na semana seguinte então ele voltou a se encontrar com os amigos, mas aí Jesus não apareceu de novo e ele não acreditava, porque faltou. Passou-se mais um tempo Jesus apareceu novamente e nós conhecemos a história: ele teve que tocar no lado de Jesus, nas mãos, nos pés para ver que o crucificado estava ressuscitado. Pense duas vezes antes de faltar. (Jo 20,19-31)
Pe. Joãozinho, scj.

Vimos o Senhor!

Só o Espírito Santo permite-nos encontrar o perdão!

Só o Espírito Santo de Deus, derramado em nossos corações, permite-nos encontrar o perdão e a misericórdia divina. "Jesus lhe disse: 'Acreditaste, porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem terem visto!'" (João 20, 29).

É PRECISO TER FÉ!

Meditando o Evangelho do dia - 2º Domingo da Páscoa

Anúncio do Evangelho (Jo 20,19-31)

Oito dias depois, Jesus entrou.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João 20,19-31.

Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: "A paz esteja convosco". Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor. Novamente, Jesus disse: "A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio". E, depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: "Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem os não perdoardes, eles lhes serão retidos". Tomé, chamado Dídimo, que era um dos doze, não estava com eles quando Jesus veio. Os outros discípulos contaram-lhe depois: "Vimos o Senhor!" Mas Tomé disse-lhes: "Se eu não vir a marca dos pregos em suas mãos, se eu não puser o dedo nas marcas dos pregos e não puser a mão no seu lado, não acreditarei". Oito dias depois, encontravam-se os discípulos novamente reunidos em casa, e Tomé estava com eles. Estando fechadas as portas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: "A paz esteja convosco". Depois disse a Tomé: "Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado. E não sejas incrédulo, mas fiel". Tomé respondeu: "Meu Senhor e meu Deus!" Jesus lhe disse: "Acreditaste, porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem terem visto!" Jesus realizou muitos outros sinais diante dos discípulos, que não estão escritos neste livro. Mas estes foram escritos para que acrediteis que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e, para que, crendo, tenhais a vida em seu nome.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Evidências de Léo Pinheiro contra Lula são risíveis

 
Uma reportagem deste domingo da Folha de S. Paulo traz a relação das "provas" apresentadas pelo executivo Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, para demonstrar que o chamado "triplex do Guarujá" pertence ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
"Entre os documentos entregues estão o registro de que dois carros em nome do Instituto Lula passaram pelo sistema automático de cobrança dos pedágios a caminho do Guarujá entre 2011 e 2013. Não há, no entanto, documento que comprove que as viagens tiveram como destino o apartamento. Há também registros de ligações telefônicas entre Pinheiro e pessoas ligadas a Lula, como Clara Ant, Paulo Okamotto, José de Filippi Jr. e Valdir Moraes da Silva (segurança), a partir de 2012. As listas trazem data e duração da conversa, mas não seu conteúdo. Foram anexados ainda e-mails que mostram a agenda de Lula, na qual aparece a previsão de encontros com Pinheiro, e mensagens da secretária do instituto para Okamotto, que preside a entidade, avisando que o empresário havia ligado para falar com ele", diz o texto.
A fragilidade das provas foi alvo de um comentário do cientista político Luis Felipe Miguel, professor da Universidade de Brasília, em seu Facebook. "É sério que o documento que Léo Pinheiro promete entregar, para provar que o bendito triplex é de Lula, é o registro de que carros do Instituto Lula passaram pelo pedágio no caminho para Guarujá, uma vez em 2011 e outra em 2013? E, para completar, mensagens da secretária do Instituto Lula para Paulo Okamoto, avisando que Pinheiro havia ligado para falar com ele... Isso deve valer quase como uma escritura. Nós perdemos a democracia e eles perderam o senso de ridículo", afirmou.
Segundo o advogado do ex-presidente, Cristiano Zanin Martins, os documentos não comprovam as afirmações feitas pelo empresário, que classificou como uma "versão negociada para agradar" aos procuradores e destravar seu acordo de delação.
"Desde quando um e-mail de agenda prova a ocorrência de um encontro e, sobretudo, o que poderia ter sido discutido no suposto encontro? Léo Pinheiro não tem nenhuma prova contra Lula, porque ele não cometeu qualquer ato ilícito. Ele tem uma versão negociada para agradar aos procuradores para ter a sua delação premiada finalmente aceita, para que possa deixar a prisão ou obter benefícios".

Ministro da Justiça de Temer pode virar réu no escândalo da carne

Beto Barata 
Michel Temer corre o risco de perder praticamente todo o seu ministério, em razão de escândalos de corrupção.
Além dos seus oito ministros investigados na Lava Jato, Michel Temer pode também ser obrigado a demitir o ministro da Justiça, Osmar Serraglio, que foi intimado a apresentar sua defesa no âmbito da Operação Carne Fraca, sobre supostos pagamentos de propinas na indústria de alimentos.
Serraglio foi flagrado numa conversa em que tratava Daniel Gonçalves Filho, tido como líder da máfia dos fiscais agropecuários, como seu "grande chefe".
Segundo sua assessoria, Serraglio tentou apenas preservar os empregos de um frigorífico que seria fechado, mas sua versão pode ser contestada pela delação premiada de Gonçalves Filho.
A Polícia Federal sustenta que a máfia dos fiscais cobrava propinas das grandes empresas de alimentos e arrecadava recursos para políticos do PP e do PMDB, partido de Temer e Serraglio.

Lula versus Globo é a batalha final da democracia brasileira

 
A biografia da Globo, maior conglomerado de mídia do País, está marcado por tudo o que não presta. Ao longo de sua história, a Globo fundada por Roberto Marinho e levada adiante pelos filhos, contribuiu para o suicídio de Getúlio Vargas, derrubou João Goulart e deu apoio aos 21 anos de ditadura militar.
Não bastasse, pendurou um segundo golpe em seu currículo, ao estimular a farsa do impeachment da presidente Dilma Rousseff, que foi retirada da presidência da República não por crime de responsabilidade, mas por não ter cedido à chantagem de Eduardo Cunha para se livrar da cassação e da prisão. 
Mesmo diante do segundo golpe consumado, com a assunção de Michel Temer ao poder e toda a agenda ultraliberal de retirada de direitos e de entrega do patrimônio nacional, patrocinada pela Globo, a família Marinho não se vê satisfeita com o estrago realizado ao País. Não bastam o desemprego de mais de 12 milhões de pessoas, PIB 7,4% menor em dois anos e a economia na mais profunda depressão já vista no País. É preciso destruir o personagem que simboliza qualquer retorno a políticas que caminhem na direção da distribuição de renda e do estado como indutor do desenvolvimento. 
Este personagem é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Mesmo liderando uma campanha sistemática de massacre a Lula e a todo o legado de seu governo, a Globo de depara com um problema para consumar seu objetivo. O povo não deixa a "jararaca" morrer. As provas mais recentes são as duas pesquisas de intenção de voto para presidente em 2018, feitas pelo Vox Populi e pelo Ibope. Lula lidera em todas e venceria até no primeiro turno. 
A Globo mira em Lula e ignora as pesadíssimas denúncias de corrupção contra Michel Temer e a coalizão PMDB-PSDB; a grande questão é saber quem vencerá a batalha final: Lula, o melhor presidente da história para 50% dos brasileiros, ou a família Marinho, dona do maior e mais letal monopólio midiático do mundo?

22 abril 2017

COMUNICADO!

PROGRAMAÇÃO!

Paróquia de Nossa Senhora dos Aflitos - Programação do final de semana (22 e 23/04/2017):
Sábado:
11h às 18h - Assistência pastoral à Barra de São Pedro (Sem. Mateus);
16h - Missa na comunidade Timbaubinha (Pe. Edson);
17h - Grupo de Crisma de Jovens (Ir. Vaneci);
18h - Grupo de Crisma de Adultos (Ir. Vaneci);
19h - Missa na Capela de Nossa Senhora do Rosário (Pe. Edson).
Domingo:
7h - Missa na Matriz (Pe. Edson);
8h - Batizados na Matriz (Diácono Bolinha);
9h às 11h - Programa radiofônico na Vale do Piranhas (Sem. Mateus);
9h - Missa na Capela de Santa Cecília (Pe. Edson);
16h - Abertura do grupo de Crisma na comunidade Piedade (Ir. Vaneci);
17h - Missa na comunidade Assembleia (Pe. Edson);
19h - Missa na Matriz (Pe. Edson).

CONVITE!

#minisermao (22/04/17)

Se você não se deixar surpreender pelos milagres de todo dia vai deixar passar a grande oportunidade de sua vida. Jesus ressuscitado apareceu àquelas mulheres. Elas contaram, mas as pessoas não acreditavam, deixavam passam a grande oportunidade. E Ele apareceu a dois que iam pelo caminho e depois apareceu aos discípulos e foram se multiplicando os pequenos sinais da ressurreição no dia-a-dia. Todos os dias o Senhor faz milagres na vida de cada um de nós, são milagres pequenos,  quase imperceptível, mas todo milagre é uma maravilha e se nós não tivermos olhos para nos maravilharmos diante dos pequenos milagres de todo dia, ainda que um anjo desça do céu e nos olhe nos olhos, não iremos nos maravilhar. (Mc 16,9-15)
Pe. Joãozinho, scj.

O Mestre Jesus cura nosso coração da falta de fé!

Permitamos que o Mestre Jesus cure o nosso coração de toda incredulidade e falta de fé. "Por fim, Jesus apareceu aos onze discípulos enquanto estavam comendo, repreendeu-os por causa da falta de fé e pela dureza de coração, porque não tinham acreditado naqueles que o tinham visto ressuscitado" (Marcos 16, 14).

A INCREDULIDADE PERSISTENTE!

A Ressurreição fora uma novidade tão grande na vida dos discípulos, que não foi fácil deixar-se convencer por ela. A incredulidade persistia, apesar dos variados testemunhos de encontro com o Senhor.
Maria Madalena viu o Ressuscitado e deu testemunho diante dos discípulos. Entretanto, o preconceito contra o testemunho de uma mulher não permitira que acreditassem em sua palavra. Preferiram permanecer imersos na tristeza e no pranto a acreditar numa palavra que poderia ter-lhes transformado a vida.
A desconfiança atingiu, também, dois outros discípulos que viram o Senhor, quando se dirigiam para o campo. Depois de tê-lo reconhecido, correram para comunicar aos demais que o Senhor estava vivo. Mas suas palavras não foram acolhidas. Uma vez mais, a comunidade optou por fechar-se à realidade da Ressurreição.
Por fim, o Ressuscitado em pessoa apareceu ao grupo de discípulos para censurar-lhes a incredulidade e a dureza de coração. Esta os imobilizava, impedindo-os de levar adiante a missão que lhes fora confiada. Depois censura, seguiu-se a ordem de dar início, imediatamente, à missão de anunciar o Evangelho ao mundo inteiro. Com uma tarefa tão grande pela frente, não convinha deixar-se levar pela tristeza. Era hora de proclamar a Ressurreição de Jesus e convocar toda a humanidade a viver o Evangelho anunciado por ele.

Meditando o Evangelho do dia - Sábado na Oitava da Páscoa

Evangelho (Mc 16,9-15)

Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 16,9-15.

Depois de ressuscitar, na madrugada do primeiro dia após o sábado, Jesus apareceu primeiro a Maria Madalena, da qual havia expulsado sete demônios. Ela foi anunciar isso aos seguidores de Jesus, que estavam de luto e chorando. Quando ouviram que ele estava vivo e fora visto por ela, não quiseram acreditar.
Em seguida, Jesus apareceu a dois deles, com outra aparência, enquanto estavam indo para o campo. Eles também voltaram e anunciaram isso aos outros. Também a estes não deram crédito. Por fim, Jesus apareceu aos onze discípulos enquanto estavam comendo, repreendeu-os por causa da falta de fé e pela dureza de coração, porque não tinham acreditado naqueles que o tinham visto ressuscitado.
E disse-lhes: "Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho a toda criatura!"
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão - Mc 16, 9-15
Para que possamos conhecer verdadeiramente Jesus, duas coisas são necessárias. A primeira é a atuação da graça divina que nos revela quem é Jesus na sua divindade e na sua atuação messiânica e a segunda é a nossa abertura a essa graça para que possamos acolher a atuação divina em nós. A partir desses dois elementos, podemos compreender melhor qual é o papel do evangelizador e qual a essência da nossa missão. Movidos pelo grande protagonista da missão que é o Espírito Santo, somos chamados a ser canais de graça na vida das pessoas e ao mesmo tempo a preparar os corações das pessoas para que sejam terreno fértil para o evangelho e acolham a Cristo em suas vidas.

Odebrecht entrega provas da megapropina de Temer

REUTERS/Nacho Doce 
A Odebrecht apresentou aos investigadores da Lava Jato os extratos que comprovariam o pagamento da propina de US$ 40 milhões, equivalentes a R$ 126 milhões, acertada numa reunião presidida por Michel Temer, com a presença de Eduardo Cunha e do lobista João Augusto Henriques, ambos presos em Curitiba, segundo informam as jornalistas Camila Mattoso e Bela Megale.
A maior parte do dinheiro foi paga em contas no exterior e o valor equivalia a 5% de uma contrato na área internacional da Petrobras que a presidente deposta Dilma Rousseff cortou em 43%. As cifras superam até os US$ 40 milhões estimados inicialmente.
"De acordo com documentos referentes ao PAC-SMS, apresentados pela Odebrecht, os repasses foram feitos entre julho de 2010 e dezembro de 2011. Os extratos atingem US$ 54 milhões, mas a soma de planilhas anexadas chega a US$ 65 milhões. Do total, uma pequena parte foi paga em espécie no Brasil, em hotéis em São Paulo, no casos de petistas citados, e em um escritório no centro do Rio, localizado na rua da Quitanda, para os demais. A maior parte, no entanto, foi repassada a contas de operadores no exterior", reportam as jornalistas.
De acordo com os delatores Márcio Faria e Rogério Almeida, não se tratou de doação eleitoral, mas sim de propina, uma vez que o valor correspondia a 5% de um contrato da Petrobras. Quando soube que o PMDB estaria roubando na Petrobras, Dilma determinou que Graça Foster, então presidente da estatal, cortasse o contrato quase pela metade (leia aqui).
De acordo com uma pesquisa Vox Populi, hoje, 78% dos brasileiros defendem a cassação de Temer e 90% querem eleições diretas, para que o Brasil tenha um governo legítimo. Atualmente, segundo o filósofo Vladimir Safatle, o futuro de cada brasileiro está sendo decidido por corruptos (leia aqui).

Batochio deve deixar defesas de Lula e Palocci

 
O advogado José Roberto Batochio, um dos principais criminalistas do País, deve deixar as defesas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do ex-ministro Antonio Palocci, segundo aponta a colunista Mônica Bergamo.
Isso porque Palocci tem demonstrado a intenção de se tornar delator e Batochio não trabalha com clientes nessa condição. Além disso, como ele defendeu Palocci durante mais de dez anos, inclusive o absolvendo em casos importantes, como o do caseiro Francenildo Costa, ele não se sentiria à vontade para confrontá-lo caso as delações tenham como alvo o ex-presidente Lula.
"Permanecer na defesa de Lula traria um outro problema. Como é provável que Palocci, para efetivar a delação, mire seu canhão no peito do ex-presidente, Batochio seria obrigado a confrontá-lo, classificando todas as eventuais declarações do ex-ministro como mentirosas. O problema é que ele advogou para Palocci por dez anos, absolvendo-o em uma dezena de processos. E não teria como, agora, voltar-se contra ele nos tribunais", diz Mônica Bergamo.

Lava-Jato recebe a encomenda preciosa

Lavagem de dinheiro e obstrução da Justiça são crimes considerados de "natureza continuada". Por isso justificam a prisão preventiva de suposto autor, para que ele deixe de cometê-los. Ao dizer em seu depoimento ao juiz Sergio Moro que o ex-presidente Lula o orientou a destruir provas do pagamento de propinas ao PT, o ex-executivo da OAS Léo Pinheiro parece ter entregado à Lava Jato uma encomenda destinada a justificar eventual prisão de Lula. Mas como tal prisão seria um ato insensato de Moro nesta altura dos acontecimentos, a afirmação de Pinheiro continua sendo uma encomenda, mas com outro objetivo: demonstrar aos procuradores, com os quais negocia uma delação premiada, que abdicou de qualquer lealdade ao antigo amigo e tem munição para detoná-lo, acelerando a condenação e a inelegibilidade.
É sabido que a primeira tentativa de delação de Pinheiro foi recusada pelo motivo óbvio mas não declarado de que, sem acusações a Lula, ela não teria o menor interesse para a Lava Jato.  É sabido que, durante vários depoimentos, procuradores e policiais federais fizeram gestos para os depoentes mostrando uma mão com um dedo a menos. A mão de Lula, para falassem dele.
Os antecedentes e o contexto em que Pinheiro prestou depoimento nesta quinta-feira reforçam a acusação da defesa de Lula, de que ele foi orientado pelos procuradores com quem negocia sua delação, a  apresentar evidências de que tem na bala na agulha contra o ex-presidente, e talvez até mesmo a bala de prata, que viria na delação. 
É sintomático, por exemplo, que ele tenha falado em destruição  de provas quando ninguém estava lhe perguntando sobre isso. E que o assunto nem fosse pertinente à ação penal que motivava o depoimento. Estava em pauta o tríplex do Guarujá, e não o pagamento de propinas ao PT.  Sobre o apartamento, Pinheiro correspondeu às expectativas de Moro, apesar das mais de 70 testemunhas que falaram contra a tese de que o imóvel pertença a Lula, e da ausência de provas que a defesa continua cobrando.  Mas este era um tema pertinente, diferentemente do caso da “destruição de provas”. Do nada, Pinheiro saiu-se com a história de que um dia, um tanto irritado, Lula lhe perguntou se fizera pagamentos ao PT no exterior. Se Lula sabia tanto dos negócios com o PT, já devia ter esta informação mas, segundo Pinheiro, fez a pergunte e ouviu a resposta negativa. Então, orientou-o a “destruir tudo”, caso tivesse anotações sobre os pagamentos a Vacari, tesoureiro do PT.
Pinheiro admite que tinha anotações mas não deixa claro se atendeu ou não ao suposto pedido de Lula. Se destruiu ou não suas planilhas. Ou seja, entregou a encomenda mas não se incriminou.  Para a Lava Jato, basta a confissão de que Lula mandou destruir provas, e não saber se isso aconteceu ou não.
Embora tenha agora essa arma contra Lula, não parece provável que sobrevenha a prisão, justamente quando o ex-presidente reforça sua condição de favorito na disputa presidencial de 2018. Justamente quando os autores do golpe afundam-se em denúncias de corrupção e Temer confessa a urdidura do próprio golpe. Tudo isso vem sendo percebido pela população e pode tomar a forma de reação a uma prisão de Lula. Moro pode usar a ameaça de prisão, e ainda outros trunfos que tenha guardado, para debilitar a posição a performance do ex-presidente no  depoimento do dia 3 de maio,  onde já chegaria inseguro e temeroso de não sair. Mas prendê-lo agora, não faz muito sentido.
Os interesses da Lava Jato e os da elite que manda e governa nunca foram divergentes. Tanto é que todos os delatados tucanos e peemdebistas continuam aí soltos, apesar das delações da Odebrecht.  Relativamente a Lula, o que importa é tirá-lo da disputa, e não criar um mártir perseguido e preso. Moro tem pressa em exarar sua sentença condenatória para que o recurso de Lula ao TRF-4 seja logo julgado, e assim,  condenado em segundo instância, ele se torne logo inelegível para o pleito de 2018.

21 abril 2017

Pense nisso!

A ressurreição de Cristo não evita o cansaço e o desgaste no mundo do trabalho. Esta é uma realidade que não se consegue iludir, mas ele está presente ali onde tu estás e conhece tuas frustrações, teu tempo gasto em vão, tuas noites de fadiga. Ele não é só um espectador na praia, mas te convida a te aproximares dele, a comer de seu alimento, a confiar em sua Palavra, a celebrar que a vida vivida com fé pode ser diferente... um discípulo que o amava muito o reconheceu... de longe... E tu? És como esse discípulo amado que o encontra em toda parte?

As Palavras de Cristo trazem vida para nós!

Ele têm palavras de vida e sabedoria. Suas palavras trazem vida para nós. "'Lançai a rede à direita da barca, e achareis'. Lançaram pois a rede e não conseguiam puxá-la para fora, por causa da quantidade de peixes" (João 21, 6).

A REFEIÇÃO COM O RESSUSCITADO

O texto evangélico alude a dois níveis de comunhão na vida dos discípulos: entre si e com o Ressuscitado. Isto perfaz uma experiência característica do discipulado cristão.
A comunhão dos discípulos entre si expressa-se na disposição a trabalharem juntos. Quando Pedro revela sua decisão de ir pescar, imediatamente outros seis companheiros dispõem-se a ir com ele. Embora a pescaria tenha sido infrutífera, o simples fato de estarem pescando juntos já era significativo. Cada qual poderia ir pescar sozinho, pensando em si mesmo e no lucro que obteria com a pesca. A disposição de partilharem o trabalho dava à pescaria uma nova dimensão.
A comunhão com o Ressuscitado expressa-se no convite para a refeição. Primeiramente, Jesus pede aos sete pescadores algo para comer. Uma vez que nada tinham pescado, ordena-lhes que lancem novamente a rede, à direita da barca. Resultado: recolhem-na abarrotada de enormes peixes. Entretanto, quando atingem a margem do lago, deparam-se com uma surpresa: a refeição preparada pelo próprio Mestre! Este lhes oferece peixe assado e pão, como gesto de bondosa solicitude, saciando-lhes a fome, após uma noite inteira de fadiga e de trabalho inútil.
A comunhão com o Senhor dava consistência à comunhão dos discípulos entre si. Caso contrário, não passariam de um grupo de amigos, sem maiores compromissos. A presença do Senhor fazia frutificar o esforço da comunidade de atrair para a fé muitas outras pessoas. Isto é o que simboliza a rede repleta com 153 grandes peixes.

#minisermao (21/04/17)

Quando a vida perder o sabor, recorde os encantos da origem; retorne aos seus lugares de êxtase. Reviva! Aqueles discípulos de Jesus de Nazaré seguiram três anos o Mestre, viram milagres, prodígios, ouviram palavras de sabedoria, aprenderam muito; acompanharam Jesus na luz; mas também, o acompanharam na cruz, na dor, na lágrima, no sangue, na morte! E depois fizeram a experiência da ressurreição, da Páscoa. Finalmente a vida voltou ao tempo comum, ao cotidiano e eles foram de novo pescar lá no Mar da Galiléia, como no primeiro dia em que foram chamados pelo Mestre e novamente o Mestre apareceu... e a pesca novamente foi milagrosa. (Jo 21,1-14)
Pe. Joãozinho, scj.

Meditando o Evangelho do dia - 6ª-feira na Oitava da Páscoa

Evangelho (Jo 21,1-14)

Jesus aproximou-se, tomou o pão e distribuiu-o por eles. E fez a mesma coisa com o peixe.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 21,1-14.

Naquele tempo, Jesus apareceu de novo aos discípulos, à beira do mar de Tiberíades. A aparição foi assim: Estavam juntos Simão Pedro, Tomé, chamado Dídimo, Natanael de Caná da Galileia, os filhos de Zebedeu e outros discípulos de Jesus.
Simão Pedro disse a eles: "Eu vou pescar". Eles disseram: "Também vamos contigo". Saíram e entraram na barca, mas não pescaram nada naquela noite. Já tinha amanhecido, e Jesus estava de pé na margem. Mas os discípulos não sabiam que era Jesus. Então Jesus disse: "Moços, tendes alguma coisa para comer?" Responderam: "Não".
Jesus disse-lhes: "Lançai a rede à direita da barca, e achareis". Lançaram pois a rede e não conseguiam puxá-la para fora, por causa da quantidade de peixes. Então, o discípulo a quem Jesus amava disse a Pedro: "É o Senhor!" Simão Pedro, ouvindo dizer que era o Senhor, vestiu uma roupa, pois estava nu, e atirou-se ao mar.
Os outros discípulos vieram com a barca, arrastando a rede com os peixes. Na verdade, não estavam longe da terra, mas somente a cerca de cem metros. Logo que pisaram a terra, viram brasas acesas, com peixe em cima, e pão. Jesus disse-lhes: "Trazei alguns dos peixes que apanhastes".
Então Simão Pedro subiu ao barco e arrastou a rede para a terra. Estava cheia de cento e cinquenta e três grandes peixes; e, apesar de tantos peixes, a rede não se rompeu. Jesus disse-lhes: "Vinde comer". Nenhum dos discípulos se atrevia a perguntar quem era ele, pois sabiam que era o Senhor.
Jesus aproximou-se, tomou o pão e distribuiu-o por eles. E fez a mesma coisa com o peixe. Esta foi a terceira vez que Jesus, ressuscitado dos mortos, apareceu aos discípulos.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão - Jo 21, 1-14
Diante das dificuldades, muitas vezes temos a tendência de enfraquecer, de voltar à vida de antes, parece que perdemos o rumo e a motivação. Pedro e os demais discípulos desanimaram e quiseram voltar à vida de pescadores de peixes, como muitas vezes queremos voltar à vida da imaturidade na fé. Jesus realiza mais uma vez o milagre da pesca milagrosa, para que os apóstolos se recordem que não são pescadores de peixes. Assim também, ele atua em nossas vidas, para que o Mistério Pascal não seja apenas celebração, mas processo de maturação, a fim de que possamos crescer cada vez mais na fé, e um dia atingir a estatura de Cristo.

Há 11 meses, Léo Pinheiro inocentou Lula e MP não aceitou delação

 
Considerada a "bala de prata" contra Luiz Inácio Lula da Silva, que seria eleito mais uma vez para comandar o País se as eleições fossem hoje, a delação do empresário Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, só foi aceita depois que ele decidiu mudar sua versão para incriminar o ex-presidente.
Em junho do ano passado, segundo reportagem de Bela Megale e Mario Cesar Carvalho, na Folha de S.Paulo, a delação "travou" depois que ele inocentou Lula.
Também no ano passado, em agosto, a delação foi suspensa quando vazaram trechos que incriminaram o senador Aécio Neves (PSDB-MG), e não Lula. Logo depois, a revista Veja publicou um suposto trecho envolvendo o ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal, o que levou o procurador-geral Rodrigo Janot a pedir a anulação do acordo.
Leia, abaixo, a reportagem da Folha de junho do ano passado:
Delação de sócio da OAS trava após ele inocentar Lula
MARIO CESAR CARVALHO
BELA MEGALE
DE SÃO PAULO
01/06/2016  02h00
As negociações do acordo de delação de Léo Pinheiro, ex-presidente e sócio da OAS condenado a 16 anos de prisão, travaram por causa do modo como o empreiteiro narrou dois episódios envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
A freada ocorre no momento em que OAS e Odebrecht disputam uma corrida para selar o acordo de delação.
Segundo Pinheiro, as obras que a OAS fez no apartamento tríplex do Guarujá (SP) e no sítio de Atibaia (SP) foram uma forma de a empresa agradar a Lula, e não contrapartidas a algum benefício que o grupo tenha recebido.
A versão é considerada pouco crível por procuradores. Na visão dos investigadores, Pinheiro busca preservar Lula com a sua narrativa.
O empresário começou a negociar um acordo de delação em março e, três meses depois, não há perspectivas de que o trato seja fechado.
Pinheiro narrou que Lula não teve qualquer papel na reforma do apartamento e nas obras do sítio, segundo a Folha apurou. A reforma do sítio, de acordo com o empresário, foi solicitada em 2010, no último ano do governo Lula, por Paulo Okamotto, que preside o Instituto Lula. Okamotto confirmou à PF que foi ele quem pediu as obras no sítio.
Já a reforma no tríplex do Guarujá, pela versão de Pinheiro, foi uma iniciativa da OAS para agradar ao ex-presidente. A empresa gastou cerca de R$ 1 milhão na reforma do apartamento, mas a família de Lula não se interessou pelo imóvel, afirmou ele a seus advogados que negociam a delação, em versão igual à apresentada por Lula.
CORRIDA
Condenado em agosto do ano passado por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa, Pinheiro corre para fechar um acordo porque pode voltar para a prisão neste mês, quando o TRF (Tribunal Regional Federal) de Porto Alegre deve julgar o recurso de seus advogados.
O risco de voltar à prisão deve-se à mudança na interpretação da lei feita pelo Supremo Tribunal Federal em fevereiro deste ano, de que a pena deve ser cumprida a partir da decisão de segunda instância. Ele ficou preso por cerca de seis meses.
A decisão da Odebrecht de fazer um acordo de delação acrescentou uma preocupação a mais para Pinheiro.
Os procuradores da Lava Jato em Curitiba e Brasília adotaram uma estratégia para buscar extrair o máximo de informação da Odebrecht e OAS: dizem que só vão fechar acordo com uma das empresas. E, neste momento, a Odebrecht está à frente, segundo procuradores.
A OAS e o Instituto Lula não quiseram se pronunciar. 
Leia, abaixo, reportagem do 247 de agosto do ano passado, sobre a suspensão da delação da OAS:
JANOT SUSPENDE DELAÇÃO DE LÉO PINHEIRO, DA OAS
Reportagem do jornal O Globo, que cita uma fonte próxima ao caso, diz que a Procuradoria Geral da República determinou a suspensão das negociações do acordo de delação premiada do ex-presidente da OAS e de outros executivos da empreiteira após o vazamento de um dos assuntos tratados na fase pré-acordo de colaboração; no fim de semana, capa da revista Veja contra o ministro do STF Dias Toffoli teve como base a delação de Léo Pinheiro

22 DE AGOSTO DE 2016 ÀS 11:43
247 – A Procuradoria Geral da República, comandada por Rodrigo Janot, determinou que sejam suspensas as negociações do acordo de delação premiada do ex-presidente da OAS Léo Pinheiro e de outros executivos da empreiteira, informa reportagem do jornal O Globo, citando uma fonte não identificada que acompanha o caso.

Safatle: o futuro de cada brasileiro está sendo decidido por criminosos

 
O povo brasileiro está permitindo que seu futuro e o das próximas gerações seja definido por criminosos. É o que aponta o filósofo Vladimir Safatle, num importante artigo publicado nesta sexta-feira.
"Você deixaria o seu futuro e o futuro de seus filhos ser decidido por criminosos ou por pessoas com fortes suspeitas de crimes? Pois é isso que está acontecendo agora. Questões fundamentais para o seu futuro, como o sistema de aposentadorias e as leis trabalhistas, estão sendo decididas por pessoas indiciadas na participação em crimes milionários ou que são réus em ações penais correndo no STF. Só na última lista da Lava Jato são 24 senadores e 39 deputados indiciados, inclusive os atuais presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. Além disto, quatro senadores e 50 deputados respondem atualmente por ações penais no STF", diz ele.
Safatle lembra a situação jurídica do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e diz que ele deveria ser afastado. "O mesmo presidente da Câmara, sr. Rodrigo Maia, que afirmava há alguns dias que a Justiça do Trabalho não deveria nem sequer existir, foi acusado por um delator da Odebrecht de receber R$ 350 mil diretamente em casa. Como alguém com tais acusações nas costas, em qualquer reles democracia liberal no mundo, poderia continuar presidindo a Câmara e decidindo modificações constitucionais?"
Segundo o filósofo, é preciso encontrar formas de defender a sociedade brasileira de quem usurpa o poder. "Deputados, presidentes não são 'representantes' do povo. No máximo, eles são seus 'comissários', como dizia Jean-Jacques Rousseau. Por isso, uma verdadeira democracia deveria ter, ao lado dos Poderes Executivo e Legislativo, a figura da assembleia popular a ratificar leis e apor seu aceite ou sua recusa. O povo deve ter as estruturas institucionais que lhe permitam continuamente se defender de quem procura lhe usurpar o poder".

Lula: Léo Pinheiro mentiu para ser solto em acordo negociado com Moro

 
A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva acusou o empresário Léo Pinheiro, sócio da OAS, de contar nesta quinta-feira, 20, ao juiz Sérgio Moro, uma versão "acordada com o MPF" como pressuposto para aceitação de uma delação premiada que poderá tirá-lo da prisão.
No depoimento, Pinheiro disse ter sido orientado por Lula a destruir supostas provas de contribuições de campanha, que pudessem incriminá-lo na operação Lava Jato (leia mais). "Ele foi claramente incumbido de criar uma narrativa que sustentasse ser Lula o proprietário do chamado triplex do Guarujá. É a palavra dele contra o depoimento de 73 testemunhas, inclusive funcionários da OAS, negando ser Lula o dono do imóvel", diz o advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins, em nota. 
Segundo o advogado, a versão de Pinheiro foi a ponto de "criar um diálogo", "não presenciado por ninguém - no qual Lula teria dado a fantasiosa e absurda orientação de destruição de provas sobre contribuições de campanha, tema que o próprio depoente reconheceu não ser objeto das conversas que mantinha com o ex-Presidente.
"É uma tese esdrúxula que já foi veiculada até em um e-mail falso encaminhado ao Instituto Lula que, a despeito de ter sido apresentada ao Juízo, não mereceu nenhuma providência", afirma.  
Leia na íntegra a nota da defesa de Lula:
"Nota
Léo Pinheiro no lugar de se defender em seu interrogatório, hoje, na 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba, contou uma versão acordada com o MPF como pressuposto para aceitação de uma delação premiada que poderá tirá-lo da prisão. Ele foi claramente incumbido de criar uma narrativa que sustentasse ser Lula o proprietário do chamado triplex do Guarujá. É a palavra dele contra o depoimento de 73 testemunhas, inclusive funcionários da OAS, negando ser Lula o dono do imóvel.
A versão fabricada de Pinheiro foi a ponto de criar um diálogo - não presenciado por ninguém - no qual Lula teria dado a fantasiosa e absurda orientação de destruição de provas sobre contribuições de campanha, tema que o próprio depoente reconheceu não ser objeto das conversas que mantinha com o ex-Presidente. É uma tese esdrúxula que já foi veiculada até em um e-mail falso encaminhado ao Instituto Lula que, a despeito de ter sido apresentada ao Juízo, não mereceu nenhuma providência.
A afirmação de que o triplex do Guarujá pertenceria a Lula é também incompatível com documentos da empresa, alguns deles assinados por Léo Pinheiro. Em 3/11/2009, houve emissão de debêntures pela OAS, dando em garantia o empreendimento Solaris, incluindo a fração ideal da unidade 164A. Outras operações financeiras foram realizadas dando em garantia essa mesma unidade. Em 2013, o próprio Léo Pinheiro assinou documento para essa finalidade. O que disse o depoente é incompatível com relatórios feitos por diversas empresas de auditoria e com documentos anexados ao processo de recuperação judicial da OAS, que indicam o apartamento como ativo da empresa.
Léo Pinheiro negou ter entregue as chaves do apartamento a Lula ou aos seus familiares. Também reconheceu que o imóvel jamais foi usado pelo ex-Presidente.
Perguntado sobre diversos aspectos dos 3 contratos que foram firmados entre a OAS e a Petrobras e que teriam relação com a suposta entrega do apartamento a Lula, Pinheiro não soube responder. Deixou claro estar ali narrando uma história pré-definida com o MPF e incompatível com a verdade dos fatos.
Cristiano Zanin Martins".

20 abril 2017

#minisermao (20/04/17)

O dom da "inteligência" ultrapassa toda razão; é ver as coisas por dentro; é enxergar com os olhos do coração. Naquele dia Jesus ressuscitado aparece aos discípulos e abre a sua inteligência,  para que eles possam ler o que está escrito, mas também aquilo que está por trás das palavras. Inteligência significa ler o interior, do latim "intus legere". Às vezes nós nos fixamos nas aparências, nas evidências externas; o espírito do ressuscitado nos ajuda, nos ensina a ler por dentro, a ver as pessoas de coração para coração porque ali estão as verdadeiras verdades.(Lc 24,35-48).
Pe. Joãozinho, scj.

O Ressuscitado traz a paz que nosso coração necessita!

O Ressuscitado traz como dom da vida nova que conquistou para nós, o dom supremo da paz. "Ainda estavam falando, quando o próprio Jesus apareceu no meio deles e lhes disse: 'A paz esteja convosco!'" (Lucas 24, 36).

SOU EU!

As primeiras comunidades cristãs tiveram dificuldade em ver, no Ressuscitado, o Jesus que havia sido crucificado. A tentação era a de não identificá-los e de tomá-los como duas pessoas distintas. O Evangelho explicita esta identificação aplicando ao Ressuscitado gestos típicos da antiga convivência de Jesus com os discípulos. O Mestre come peixe assado e mel, diante deles. Entretanto, a prova melhor da identidade do Ressuscitado era oferecida pelas Escrituras. Lidas com atenção, ajudavam a comunidade cristã a compreender que o Cristo devia sofrer, mas também haveria de ressuscitar, por desígnio de Deus. Os discípulos teriam a missão de ser anunciadores deste gesto amoroso do Pai para com Jesus, penhor de salvação para toda a humanidade.
A comunidade cristã compreendeu que, se o Ressuscitado não fosse o mesmo Jesus que fora crucificado, a salvação de Deus não a teria atingido. Os pecados da humanidade só foram redimidos porque Jesus foi capaz de vencê-los com sua morte de cruz. No entanto, se a última palavra na vida de Jesus tivesse sido a morte, com seu sabor de derrota, não tinha de se gloriar, pois em nada teria sido diferente dos demais seres humanos.
Quando a comunidade entendeu o verdadeiro sentido do “Sou Eu!” pronunciado pelo Ressuscitado, tornou-se capaz de fazer a conexão entre o passado e o presente e proclamar a fé no Jesus vivo e atuante no meio dela, incentivando-a a superar o medo e a proclamar as maravilhas operadas por Deus em seu Filho Jesus.