No Reino de Jesus, reinar é servir; e o serviço é dar a vida pelos irmãos. Naquela última ceia, Jesus inclinou-se sobre os pés de cada um dos seus discípulos e lavou-os, e enxugou-os. Eles não entendiam porque ele estava fazendo o trabalho de um servo. Ele era o Mestre! Eles o aclamavam como Rei! Mas a realeza é serviço, a coroa é de espinhos, o trono é a cruz. E no final do rito, Jesus disse: "Eu, que sou o Mestre, vos lavei os pés, portanto, também vós deveis lavar os pés uns dos outros. Dei-vos o exemplo para que façais a mesma coisa que eu fiz" (Jo 13,1-15).

Pe. Joãozinho, scj
Anúncio do Evangelho (Jo 13,1-15)

Amou-os até o fim.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João 13,1-15

Era antes da festa da Páscoa. Jesus sabia que tinha chegado a sua hora de passar deste mundo para o Pai; tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim.
Estavam tomando a ceia. O diabo já tinha posto no coração de Judas, filho de Simão Iscariotes, o propósito de entregar Jesus. Jesus, sabendo que o Pai tinha colocado tudo em suas mãos e que de Deus tinha saído e para Deus voltava, levantou-se da mesa, tirou o manto, pegou uma toalha e amarrou-a na cintura. Derramou água numa bacia e começou a lavar os pés dos discípulos, enxugando-os com a toalha com que estava cingido. Chegou a vez de Simão Pedro. Pedro disse: "Senhor, tu me lavas os pés?" Respondeu Jesus: "Agora, não entendes o que estou fazendo; mais tarde compreenderás".
Disse-lhe Pedro: "Tu nunca me lavarás os pés!” Mas Jesus respondeu: “Se eu não te lavar, não terás parte comigo". Simão Pedro disse: "Senhor, então lava não somente os meus pés, mas também as mãos e a cabeça".
Jesus respondeu: "Quem já se banhou não precisa lavar senão os pés, porque já está todo limpo. Também vós estais limpos, mas não todos".
Jesus sabia quem o ia entregar; por isso disse: "Nem todos estais limpos".
Depois de ter lavado os pés dos discípulos, Jesus vestiu o manto e sentou-se de novo. E disse aos discípulos: "Compreendeis o que acabo de fazer? Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, pois eu o sou. Portanto, se eu, o Senhor e Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros. Dei-vos o exemplo, para que façais a mesma coisa que eu fiz".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

UM EXEMPLO CONVINCENTE - Nesta Quinta-feira Santa, leiamos de novo a introdução deste trecho do Evangelho: "Sabendo Jesus que o Pai tudo lhe dera nas mãos e que saíra de Deus...". Depois disso, o Mestre lavou os pés dos discípulos! No fim, explicitou a mensagem de seu gesto: "Sabeis o que vos fiz? Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque eu o sou. Logo, se eu, vosso Senhor e Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar-vos os pés uns dos outros".
Toda corrupção procura se organizar sob a forma de um sistema: os filhos das trevas são espertos. Foi assim com o corrupto Judas Iscariotes, que decidiu trair Jesus, procurou os sumos sacerdotes e negociou um preço, 30 moedas de prata, e procurava uma estratégia, uma ocasião, um jeito de realizar o seu plano malvado. Os corruptos não conseguem sucesso na sua corrupção sozinhos, se organizam, elaboram regras! Existe um crime organizado! Se quisermos vencer a corrupção, é preciso acender a luz no momento das trevas e mostrar aonde está o sistema diabólico da corrupção, para que toda a sociedade veja e combata esse tipo de mal (Mt 26,14-25).
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Mt 26,14-25)

O Filho do Homem vai morrer, conforme diz a Escritura a respeito dele.
Contudo, ai daquele que o trair.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 26,14-25

Naquele tempo, um dos doze discípulos, chamado Judas Iscariotes, foi ter com os sumos sacerdotes e disse: "Que me dareis se vos entregar Jesus?" Combinaram, então, trinta moedas de prata. E daí em diante, Judas procurava uma oportunidade para entregar Jesus. No primeiro dia da festa dos Ázimos, os discípulos aproximaram-se de Jesus e perguntaram: "Onde queres que façamos os preparativos para comer a Páscoa?" Jesus respondeu: "Ide à cidade, procurai certo homem e dizei-lhe: 'O Mestre manda dizer: o meu tempo está próximo, vou celebrar a Páscoa em tua casa, junto com meus discípulos'".
Os discípulos fizeram como Jesus mandou e prepararam a Páscoa. Ao cair da tarde, Jesus pôs-se à mesa com os doze discípulos. Enquanto comiam, Jesus disse: "Em verdade eu vos digo, um de vós vai me trair". Eles ficaram muito tristes e, um por um, começaram a lhe perguntar: "Senhor, será que sou eu?"
Jesus respondeu: "Quem vai me trair é aquele que comigo põe a mão no prato. O Filho do Homem vai morrer, conforme diz a Escritura a respeito dele. Contudo, ai daquele que trair o Filho do Homem! Seria melhor que nunca tivesse nascido!" Então Judas, o traidor, perguntou: “Mestre, serei eu?" Jesus lhe respondeu: "Tu o dizes".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

O MESTRE VENDIDO - Judas pecou porque não soube se conter diante da oferta de dinheiro feita a ele pelas autoridades judaicas, a fim de que lhes entregasse Jesus. Ora, ele tinha sido chamado para ser apóstolo pelo Mestre, que lhe confiou o dinheiro do grupo e que o considerava tanto quanto os outros apóstolos. Jesus estava pronto para perdoá-lo se ele se arrependesse do pecado que tinha cometido. Ainda quando foi à frente de soldados ao Jardim do Getsêmani para mostrar-lhes qual daqueles homens era Jesus, o Mestre o recebeu sem discriminação e o chamou de "amigo": "Amigo, para que estás aqui?". O traidor tinha combinado com eles este sinal: "Aquele que eu beijar, é Jesus. Prendei-o". Quando temos a infelicidade de pecar, traindo a amizade com o nosso Mestre, como Judas fez, Deus nos acompanha, atento para ver se nos arrependemos do que fizemos e se lhe pedimos perdão.
Algumas verdades parecem inoportunas; são remédios amargos que curam os maiores males. Naquela refeição solene da Páscoa, Jesus ficou profundamente tocado, comovido, e disse uma verdade inoportuna: "Um de vós me trairá"! Cada um reagiu de um jeito e aquele balde de água fria criou uma situação desconfortável no meio da festa. Jesus interrompeu a empolgação dos brindes e da refeição, para dizer uma verdade que não poderia ser deixada para depois. Se deixamos as piores verdades e os piores remédios pra depois, poderá ser tarde demais (Jo 13,21-33.36-38).
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Jo 13,21-33.36-38)

Um de vós me entregará... O galo não cantará antes que me tenhas negado três vezes.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 13,21-33.36-38

Naquele tempo, estando à mesa com seus discípulos, Jesus ficou profundamente comovido e testemunhou: "Em verdade, em verdade vos digo, um de vós me entregará". Desconcertados, os discípulos olhavam uns para os outros, pois não sabiam de quem Jesus estava falando. Um deles, a quem Jesus amava, estava recostado ao lado de Jesus. Simão Pedro fez-lhe um sinal para que ele procurasse saber de quem Jesus estava falando. Então, o discípulo, reclinando-se sobre o peito de Jesus, perguntou-lhe: "Senhor, quem é?"
Jesus respondeu: "É aquele a quem eu der o pedaço de pão passado no molho". Então Jesus molhou um pedaço de pão e deu-o a Judas, filho de Simão Iscariotes. Depois do pedaço de pão, Satanás entrou em Judas. Então Jesus lhe disse: "O que tens a fazer, executa-o depressa". Nenhum dos presentes compreendeu por que Jesus lhe disse isso. Como Judas guardava a bolsa, alguns pensavam que Jesus lhe queria dizer: 'Compra o que precisamos para a festa', ou que desse alguma coisa aos pobres. Depois de receber o pedaço de pão, Judas saiu imediatamente. Era noite. Depois que Judas saiu, disse Jesus: "Agora foi glorificado o Filho do Homem, e Deus foi glorificado nele. Se Deus foi glorificado nele, também Deus o glorificará em si mesmo, e o glorificará logo. Filhinhos, por pouco tempo estou ainda convosco. Vós me procurareis, e agora vos digo, como eu disse também aos judeus: 'Para onde eu vou, vós não podeis ir'".
Simão Pedro perguntou: "Senhor, para onde vais?" Jesus respondeu-lhe: "Para onde eu vou, tu não me podes seguir agora, mas seguirás mais tarde". Pedro disse: "Senhor, por que não posso seguir-te agora? Eu darei a minha vida por ti!" Respondeu Jesus: "Darás a tua vida por mim? Em verdade, em verdade te digo: o galo não cantará antes que me tenhas negado três vezes".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

A TRAIÇÃO DENUNCIADA - Pelo pecado de nossos primeiros pais, Adão e Eva, foi rompida a Aliança feita entre Deus e os homens. A partir daí, os profetas anunciavam a chegada do Messias, que renovaria tal Aliança, oferecendo-se, em nosso lugar como um sacrifício expiatório a Deus. Por isso, na hora da Consagração, na celebração da Santa Missa, o sacerdote repete as palavras de Cristo: "Tomai todos e bebei: este é o cálice do meu sangue, o sangue da nova e eterna Aliança, que será derramado por vós e por todos para a remissão dos pecados". Nós temos certeza de que podemos confiar em Deus porque Ele jamais romperá a Aliança feita conosco quando Jesus reatou, por seu sangue, a amizade entre o Pai e os homens. De nossa parte, estamos sendo fiéis a essa Aliança? Cada vez que pecamos, traímos o Mestre.
Prefeitos fazem solicitação de solução de providências objetivando o pagamento imediato do PETI-RN, Farmácia Básica, Assistência Farmacêutica e PROERD, além de recursos para auxiliar no combate do coronavírus.
Não existe dinheiro que pague um gesto de afeto; a vida humana vale mais que qualquer negócio. Naquele jantar com seus amigos, Jesus recebeu um carinho da parte de Maria de Betânia, a irmã de Marta e Lázaro. Ela passou perfume nos seus pés e o perfume era caro. Judas Iscariotes, o tesoureiro do grupo, ficou escandalizado e disse: "Seria melhor vender o perfume e dar dinheiro aos pobres. Ele pensava, primeiro na economia e depois na pessoa. Mas na verdade, esta inversão de valores era porque ele era um ladrão corrupto e estava preocupado apenas com os seus negócios. Primeiro a vida, depois a economia (Jo 12,1-11). 
Pe. Joãozinho, scj

Evangelho (Jo 12,1-11)

Deixa-a; ela fez isto em vista do dia de minha sepultura.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 12,1-11

Seis dias antes da Páscoa, Jesus foi a Betânia, onde morava Lázaro, que ele havia ressuscitado dos mortos. Ali ofereceram a Jesus um jantar; Marta servia e Lázaro era um dos que estavam à mesa com ele. Maria, tomando quase meio litro de perfume de nardo puro e muito caro, ungiu os pés de Jesus e enxugou-os com seus cabelos. A casa inteira ficou cheia do perfume do bálsamo. Então, falou Judas Iscariotes, um dos seus discípulos, aquele que o havia de entregar: "Por que não se vendeu este perfume por trezentas moedas de prata, para dá-las aos pobres?" Judas falou assim, não porque se preocupasse com os pobres, mas porque era ladrão; ele tomava conta da bolsa comum e roubava o que se depositava nela. Jesus, porém, disse: "Deixa-a; ela fez isto em vista do dia da minha sepultura. Pobres, sempre os tereis convosco, enquanto a mim, nem sempre me tereis".
Muitos judeus, tendo sabido que Jesus estava em Betânia, foram para lá, não só por causa de Jesus, mas também para verem Lázaro, que Jesus ressuscitara dos mortos. Então, os sumos sacerdotes decidiram matar também Lázaro, porque por causa dele, muitos deixavam os judeus e acreditavam em Jesus.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

A AMIZADE PREVIDENTE - Com o Domingo de Ramos, iniciou-se a Semana Santa, durante a qual meditaremos mais intensamente a Morte e a Ressurreição de Jesus. Seu ponto alto será o Tríduo Pascal: Quinta-Feira Santa, quando comemoramos a instituição da Santa Eucaristia e, também, do Sacerdócio, pois são os padres os ministros ordenados para consagrar o pão e o vinho; Sexta-Feira Santa, dia em que não se celebra a Santa Missa, mas uma Ação Litúrgica; e Sábado Santo, véspera da Páscoa do Senhor, dia em que a Igreja Primitiva recebia os que se iam batizar e em que somos convidados a renovar as promessas do Batismo. O Evangelho de hoje nos apresenta a ressurreição de Lázaro, imagem de nossa ressurreição interior em preparação para a Solenidade da Páscoa. Assim como Lázaro morreu e, depois, ressuscitou pelo poder de Jesus, mortos para nossos pecados, seremos ressuscitados por Jesus para uma vida nova.
A Prefeitura Municipal de Jardim de Piranhas, preocupada com o avanço do covid-19 se mobiliza para montar estratégias de combate à pandemia no nosso município, pra isso, na data de ontem 01/04/2020 aconteceu uma reunião na casa de cultura com o prefeito municipal "Elídio Queiroz", equipe técnica da saúde, secretarias, polícia militar e diversos setores da sociedade civil, para a criação do comitê de prevenção e enfrentamento de crise pelo novo Coronavírus (COVID-19).
A reunião foi dirigida pelo prefeito municipal e o Técnico da Secretaria de Saúde, George Pereira, que destacou na sua explanação: as medidas de combate adotadas pelo município, o monitoramento efetivo dos possíveis casos suspeitos, feito pelos agentes de saúde e com emissão de boletins de identificação de casos, todos os dias, destacou os precedentes legais, como decreto estadual sobre a pandemia, o decreto municipal seguindo estas orientações e a criação da comissão técnica para enfrentamento da doença, que teria entre outras funções a expedições oficiais sobre as ações implementadas para o combate no nosso município, dentre outras, a implantação do teleatendimento sobre o corona, uma linha direta pra tirar dúvidas e monitoramento da doença, como também a confecção e distribuição, por parte da Secretaria de Saúde, de material informativo impresso, com informações sobre a doença e possíveis ações de prevenção, sintomas e etc. Destacando que a equipe da saúde está monitorando os possíveis casos suspeitos e mantendo o isolamento dos indivíduos. Estas ações e o envolvimento da comunidade só seriam possíveis com a criação desta comissão envolvendo a sociedade civil para que juntos possamos enfrentar a doença e tentar conter a transmissão, "Reforçamos que o isolamento é a medida primordial para tentar conter a transmissão em massa, bem como a higienização e a informação da população, informamos para todos que estamos tomando todas as medidas necessárias para o enfrentamento da doença no nosso município" disse George na abertura da reunião. E ainda, nesta sexta-feira, dia 03 de abril, haverá uma entrevista transmitida pela rádio comunitária Jardim FM 87.9 onde George e a comissão técnica falarão sobre as ações de combate a pandemia.
A Prefeitura Municipal de Jardim de Piranhas/RN, vem informar que neste ano de 2020, não haverá a entrega do peixe para a Semana Santa. Estamos passando por um momento de propagação do vírus COVID-19 (Coronavírus) e é nosso dever preservar a saúde dos nossos munícipes, evitando aglomerações, como vem ocorrendo durante a entrega nos anos anteriores. Apesar de saber que parte da população aguarda esse momento com muita ansiedade, este ano, os recursos que seriam utilizados na compra do peixe, serão utilizados no enfrentamento ao combate do coronavirus em nossa cidade. Portanto, este é o momento de nos unirmos cada vez mais, para que esse vírus seja combatido e não atinja nenhum de nós. 
Por favor FIQUEM EM CASA.
A comissão técnica municipal de enfrentamento ao COVID-19 comunica a população de Jardim de Piranhas que viajantes que chegam de outros municípios ou pessoas com algum desses sintomas como, febre alta, tosse seca, coriza, gripe, dor de garganta, entrar em contato com nossos profissionais de saúde pele TELEATENDIMENTO (84) 9.9687-5512
Só procurar a unidade de saúde em casos extremos.