MINHA FOTO MINHA ARTE!
As crianças trazem vida, alegria e esperança!
Papa Francisco

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro Jorge Mussi, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), autorizou nesta sexta-feira a abertura de uma investigação requerida pela chapa presidencial de Fernando Haddad sobre o suposto envio de mensagens em massa por WhatsApp bancado por empresários contra petistas, conforme reportagem do jornal Folha de S.Paulo.
A coligação de Haddad tinha requerido na quinta-feira a apuração com o objetivo de cassar a chapa do adversário e líder das pesquisas na corrida ao Palácio do Planalto, Jair Bolsonaro (PSL), apontado pela chapa petista como beneficiário da ação que teria sido feita por empresários.
Embora tenha autorizado a investigação, o ministro do TSE rejeitou os pedidos de liminar requeridos pela coligação petista para conceder liminares para fazer busca e apreensão e quebrar sigilos bancário, telefônico e telemático de empresários e empresas supostamente envolvidos no caso.
“(...) Observo que toda a argumentação desenvolvida pela autora está lastreada em matérias jornalísticas, cujos elementos não ostentam aptidão para, em princípio, nesta fase processual de cognição sumária, demonstrar a plausibilidade da tese em que se fundam os pedidos e o perigo de se dar o eventual provimento em momento próprio, no exame aprofundado que a regular instrução assegurará (LC nº 64/90, art. 22, V a VIII), razão pela qual, à míngua dos pressupostos autorizadores, indefiro as postulações cautelares”, decidiu o magistrado.
Ao autorizar a instauração da Ação de Investigação Judicial Eleitoral, o ministro do TSE determinou a citação dos envolvidos para, no prazo de cindo dias, oferecerem defesa.
Nesta sexta-feira, o WhatsApp informou que está “tomando medida legal imediata” contra empresas que estão enviando mensagens em massa sobre a eleição presidencial no Brasil.
Da Rede Brasil Atual – Em defesa da democracia e dos direitos da população, manifestações populares estão agendadas para este sábado (20) em todos os estados. A mobilização intitulada "Todos pelo Brasil" é organizada por movimentos sociais. "Vamos vencer a violência e o ódio e construir, com (Fernando) Haddad, um Brasil unido", diz a convocação da Frente Brasil Popular.
De acordo com a organização, as manifestações devem contar com a presença de algumas das principais lideranças políticas brasileiras. O objetivo é expor os retrocessos representados pela candidatura de Jair Bolsonaro (PSL).
A convocação também enaltece o movimento #EleNão, no último dia 29. "As mulheres foram para as ruas no primeiro turno e com uma imensa manifestação do ajudaram a garantir o segundo turno. Agora é preciso que toda a sociedade civil, mais uma vez, se organize para mostrar a nossa indignação e amor pelo Brasil, resistir e virar o jogo nas urnas no dia 28 de outubro", diz o texto.
Em São Paulo, o ato será às 15h, no vão livre do Museu de Arte (Masp), na Avenida Paulista, região central da capital. Já no Rio de Janeiro, a manifestação começa às 13h, na Cinelândia.
Belo Horizonte terá seu ato às 12h, na Praça Sete de Setembro, no centro. A programação em Salvador começará às 14h, com concentração no Largo do Campo Grande.
Segundo o site da campanha O Brasil Feliz De Novo, cerca de 30 cidades já possuem atos programados em prol do candidato petista, e mais de 1 milhão de pessoas já confirmaram presença. Confira a agenda completa aqui.
Testemunhemos o nosso Deus e não reneguemos a nossa fé, não nos deixemos levar por uma sociedade onde a fé está sendo subtraída, "Todo aquele que der testemunho de mim diante dos homens, o Filho do Homem também dará testemunho dele diante dos anjos de Deus" (Lucas 12,8).
A nossa missão é testemunhar aquilo que cremos, aquilo que Deus realiza em nossa vida. Ser testemunha é levar para o outro aquilo que nós vimos.
Onde eu estiver, não posso negar este amor. Se, muitas vezes, estou cansado ou fraquejando na minha fé, isso não é e nem pode ser mais alto do que a verdade que está em nós; e a verdade que está em nós é que o amor de Deus é maior.
Testemunhemos o nosso Deus e não reneguemos a nossa fé, não nos deixemos levar por uma sociedade, por um mundo onde a fé está sendo subtraída, negada e deixada de lado. Testemunhemos o amor de Deus, porque esse amor é maior do que tudo.
O Espírito Santo nos revela a palavra certa, do jeito certo, para a pessoa certa, na hora certa. Existe um dom de sabedoria, um dom de inteligência, uma palavra de ciência, um dom do conselho, são socorros divinos que nos ajudam a dizer alguma coisa para aquela pessoa que espera uma palavra, mas o Espírito Santo não nos dá apenas a palavra, Ele nos ensina como falar e para quem dizer e muitas vezes, há certos silêncios inspirados pelo Espírito que falam mais, muito mais que mil palavras. (Lc 12,8-12)
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Lucas 12, 8-12)

Nessa hora o Espírito Santo vos ensinará o que deveis dizer. + Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 12,8-12

Eu digo a ti: Para todo aquele que se declara diante de mim através dos homens, o Filho do homem também se declarará diante dos anjos de Deus. Mas quem me negar diante dos homens será negado diante dos anjos de Deus.  Todo aquele que disser alguma palavra contra o Filho do homem será perdoado; Mas quem blasfemar contra o Espírito Santo não será perdoado. Quando te levarem às sinagogas, aos magistrados e às autoridades, não te preocupes com como ou com o que te defenderás, nem com o que disseres, porque o Espírito Santo te ensinará naquele momento o que é melhor para dizer.
Palavra de Salvação.
Glória a você, Senhor.
Reflexão sobre o Evangelho:
A AJUDA DO ESPÍRITO SANTO - No Evangelho, somos convidados a refletir sobre o testemunho que damos de nossa fé. Em nosso mundo, é muito normal encontrarmos pessoa que têm vergonha de falar sobre sua fé. Quem age dessa maneira, no entanto, é porque talvez não tenha convicção daquilo que acredita. No Evangelho, Jesus mostra-nos que aqueles que o negarem também serão negados por ele diante dos anjos, mas aqueles que o amarem e testemunharem serão defendidos por ele. Que possamos, em nossa vida, demonstrar nossa fé por palavras e atos, para que, na Pátria Celeste, sejamos acolhidos por Deus.

Evangelho (Lc 12,1-7)

Os cabelos de vossa cabeça estão todos contados.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 12,1-7.

Naquele tempo, milhares de pessoas se reuniram, a ponto de uns pisarem os outros. Jesus começou a falar, primeiro a seus discípulos: "Tomai cuidado com o fermento dos fariseus, que é a hipocrisia. Não há nada de escondido que não venha a ser revelado, e não há nada de oculto que não venha a ser conhecido.
Portanto, tudo o que tiverdes dito na escuridão, será ouvido à luz do dia; e o que tiverdes pronunciado ao pé do ouvido, no quarto, será proclamado sobre os telhados.
Pois bem, meus amigos, eu vos digo: não tenhais medo daqueles que matam o corpo, não podendo fazer mais do que isto. Vou mostrar-vos a quem deveis temer: temei aquele que, depois de tirar a vida, tem o poder de lançar-vos no inferno.
Sim, eu vos digo, a este temei. Não se vendem cinco pardais por uma pequena quantia? No entanto, nenhum deles é esquecido por Deus. Até mesmo os cabelos de vossa cabeça estão todos contados. Não tenhais medo! Vós valeis mais do que muitos pardais".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
NÃO SE DEIXAR CORROMPER - No Evangelho, temos uma advertência de Jesus, uma chamada de atenção para que tenhamos cuidado com o fermento dos fariseus, que é a hipocrisia. Essa observação dele ainda continua muito atual, pois muitas vezes o cristão, iludido com as falsas seguranças e alegrias do mundo, deixa-se levar pela correnteza da sociedade, abandonando a vivência da verdadeira segurança e alegria, que são frutos da vivência do Reino de Deus. Viver os ensinamentos de Cristo é ser fermento de seu Reino em meio a uma sociedade tão necessitada.
O demônio é o pai da mentira; quer expulsá-lo de sua vida? Proclame a verdade. O demônio é o príncipe das trevas, para afastá-lo é preciso acender a luz, por isso quem se aproxima do seu confessor e fala com humildade seus pecados, revela a verdade do seu coração, ele está praticando um verdadeiro exorcismo, o demônio não pode nada contra pessoas verdadeiras; mas quer ser cúmplice do demônio? Esconda as coisas, viva na mentira, tenha mil segredos que não podem ser revelados do mal que você fez. O corrupto é cúmplice de Satanás. (Lc 12,1-7)
Pe. Joãozinho, scj
Da Rede Brasil Atual - A omissão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em relação às táticas da candidatura de Jair Bolsonaro (PSL), baseadas na disseminação em massa de fake news pelas redes sociais e pelo WhatsApp, é mais um indicativo de que a atual disputa à Presidência da República está longe de ser uma eleição disputada dentro dos padrões de normalidade.
"Não se pode contar com o TSE para banir ou interditar essas mensagens pelo WhatsApp, o que seria de se esperar em uma situação normal. Mas esta não é uma situação normal. E a gente também não pode esperar desse TSE outra coisa senão essa que já está acontecendo", afirmou o sociólogo e professor do Departamento de Sociologia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Laymert Garcia dos Santos.
Na sua avaliação, a estratégia adotada por Bolsonaro, em que as contradições no anúncio de propostas acentuam a atmosfera de instabilidade semeando uma grande confusão, está inserida em uma máquina de "guerra híbrida" contra a população. Com apoio de grande parte do empresariado, ruralistas e os setores conservadores, essa guerra não declarada tem objetivos que vão além de influenciar a decisão dos eleitores na hora de votar. Trata-se do controle econômico e social por meio do extermínio de populações pobres.
Conforme disse Laymert, em debate nesta segunda-feira (15), na livraria Tapera Taperá, na região central de São Paulo, as elites não estão dispostas a pagar o preço político e moral de uma solução como a adotada pelo nazismo a partir da década de 1930.
Assim, buscam alternativas semelhantes ao modelo que teve em Auschwitz um símbolo de política higienista – com o extermínio de judeus, homossexuais, ciganos, negros, pessoas com deficiência física e mental, padres, comunistas, sindicalistas, anarquistas, poloneses e outros povos. Entre as alternativas buscadas, unir aliados em torno da criação de condições para agravar o quadro social, já caótico devido ao aprofundamento das desigualdades sociais.
"É o que já está acontecendo. De 2016 para cá, a gente tem uma frente do stablishment voltado para a eliminação do outro. Começa com os 'vermelhos': comunistas, petralhas, e vai abrindo o leque para uma série de categorias díspares. E isso inclui muita gente, como mulheres, gays, indígenas, negros", destacou.
Para ilustrar seu argumento, lembrou a ficção de Susan George O Relatório Lugano (Boitempo). Na obra, autoridades contratam profissionais para analisar a situação global e encontrar alternativas para manter em funcionamento o sistema capitalista ameaçado por um colapso. A saída apontada é o extermínio de um terço da população mundial por meio de diversas de formas de se concretizar a barbárie.
"Na ficção, os especialistas contratados concluem que a saída é que os pobres se matem entre si. É preciso então criar condições caóticas, porque o próprio processo de aumento da desigualdade no ultraliberalismo já cria condições adversas. É o que já está acontecendo aqui".
REPRODUÇÃO
Se eu for eleito vou metralhar a Rocinha
A matança na Rocinha como estratégia contra o tráfico é uma das ameaças de morte do candidato do PSL
Ameaça de morte
Para um trabalho que será lançado semana que vem pela editora N-1, Laymert analisou declarações de Bolsonaro, sempre em uma perspectiva de guerra e de aniquilação do inimigo.
Ele considera assustador o sucesso de mensagens como a de seu filho Eduardo Bolsonaro, fotografado com um placa que diz 'Eu pacificamente vou te matar'. Ou do próprio Jair, como aquela em que fala em dar um prazo para a população da Rocinha, no Rio de Janeiro, entregar os traficantes e, 'se não entregar, a gente metralha todo mundo'.
"Vai desde esse 'pacificamente vou matar você' até a questão de extermínio de populações específicas", ressaltou o sociólogo. A pergunta a ser feita, segundo ele, é a razão de ameaças de morte como essas serem aceitas por seus seguidores. "Como pode pessoas que serão afetadas votar em alguém que depois vai ameaça-las? Como essa ameaça de morte é escolhida, e não é imposta?"
A resposta, segundo o professor, pode ser encontrada no livro Psicologia de Massas do Fascismo, de Wilhelm Reich. Clique aqui para ler a obra em que o autor analisa o que aconteceu com um parcela da classe trabalhadora alemã na década de 1930, quando ela votou contra o seu interesse, contribuiu com a ascensão do nazismo e com o seu próprio extermínio – ou seja, gente escolhendo a sua sentença de morte. Isso porque a possibilidade de se quebrar a ordem na qual se equilibram precariamente os faz pedir controle e repressão.
A compreensão desses fenômenos é chave para entender o ódio que cega o seguidor de Bolsonaro e tentar neutralizá-lo. "A nossa dificuldade de dialogar com os seus eleitores, sobretudo os mais pobres, que serão exterminados está no fato de que esse ódio está além da racionalidade, ou seja, na raiz desse projeto neoliberal. Não adianta a gente querer esclarecer as pessoas ou raciocinar como elas, porque elas estão plugadas nessa sentença de morte de maneira inconsciente e por afeto. Por isso é difícil desmanchar esse dispositivo de ressentimento, que é psicossocial e disputar essa guerra híbrida de maneira profissional", disse.
Conforme lembrou, isso explica também porque no caso brasileiro as populações não se levantam contra as elites, como foi na Revolução Francesa e na Revolução Russa. No caso brasileiro, porém, a operação é inversa. E teve início em junho de 2013, quando a então presidenta Dilma Rousseff foi hostilizada na abertura da Copa do Mundo.
A partir de então uma parcela da elite que entrou nesse jogo arriscado enxergou a possibilidade de retirada de direitos trabalhistas, mesmo que o preço fosse o retorno ao período colonial. E outra apostou no exercício de controle sobre Bolsonaro – o que pode ter sido "uma burrice".
"Há um certo otimismo das elites. Mas se ele for eleito, os milhões de votos vão dar legitimidade também para a repressão sobre a população, que quando perceber que se deixou enganar vai se manifestar. É claro que no início será mantida uma aparência de regime democrático. Mas em um segundo momento, ele vai baixar a repressão. Estamos nos encaminhando para o agravamento da crise".
Outro problema nessa máquina de guerra que caracteriza a atual eleição presidencial e que os candidatos tratam como se fosse convencional, segundo ele, é que, "como sempre", as forças democráticas estão atrasadas na compreensão da estratégia do inimigo. Ele lembrou o ex-funcionário da CIA Edward Snowden, que vazou documentos sigilosos da agência norte-americana e do jornalista e ativista australiano Julian Assange, do WikiLeaks.
"Eles já vinham mostrando que a Dilma e a Petrobras estavam sendo espionadas, e mesmo assim a então presidenta falava com o ex-presidente Lula em telefones que não estavam criptografados. Se você sabe que está enfrentando uma situação como essa, tem de chamar as maiores autoridades em tecnologia da informação para começar a fazer o que tinha de ter sido feito desde o início. E que não foi feito porque considerava-se que esta seria uma campanha convencional".
Da Rede Brasil Atual - As constantes denúncias de ilegalidades na campanha do candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro deixaram a Justiça eleitoral na berlinda. O quadro se agrava com a notícia veiculada hoje referente a organização criminosa de empresários, mediante uso de caixa 2, para veicular fake news (notícias falsas) via WhatsApp.
Nos bastidores das cortes superiores, sobretudo do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), não há mais como disfarçar que os ministros estão discutindo a morosidade da atuação da corte e também do Ministério Público Eleitoral (MPE). Na noite de ontem (17), alguns ministros chegaram a dizer que o grupo técnico formado para combater as fake news não funcionou como se esperava.
Eles também contaram que vários grupos de servidores têm procurado audiências com a presidenta, ministra Rosa Weber, para pedir esforços e evitar maior desgaste, diante das constantes insinuações sobre "fraude eleitoral" – especialmente por pessoas ligadas à campanha de Bolsonaro, se recusando a aceitar uma eventual derrota no próximo dia 28.
"O clima aqui tem sido de constrangimento, desde o início do mês", contou uma servidora do TSE que preferiu não ter seu nome citado.
#Caixa2doBolsonaro lidera trending menções no Twitter no mundo
De acordo com operadores de Direito ouvido pela RBA, as denúncias e suspeitas levantadas contra Jair Bolsonaro podem resultar em investigações por crimes como: caixa dois eleitoral /duplamente qualificado (artigo 350 do Código Eleitoral), corrupção passiva (artigo 317 do Código Penal), organização criminosa (artigo 2º da Lei 12.850/13), lavagem de dinheiro (artigo 1º da Lei 9.613/98), crime de difamação do código penal (artigo 139 do Código Eleitoral), crime que configura injúria (artigo 140 do Código Penal) e crime de calúnia (artigo 138 do Código Penal).
Evangélicos que apoiam Bolsonaro estão sendo enganados, diz pastor
Intimidação e coação
Para completar o ambiente de tensão, uma postagem veiculada desde o início da semana por grupos que se intitulam como "patriotas" tem pedido à população que depois de votar no dia 28 permaneça nas ruas, aguardando o resultado das eleições para, dependendo, ajudar numa possível "reação", no caso de Bolsonaro ser derrotado.
O post tenta induzir à "certeza" de que o candidato do PSL não tem mais condições de perder, e busca promove medo e coação nos eleitores. Os autores da mensagem anônima também prometem acionar as Forças Armadas.
O texto tem, na avaliação de especialistas, o mesmo tom de um Twitter encaminhado diretamente à ministra Rosa Weber poucos dias atrás, dizendo que ela sofreria consequências de uma eleição que fosse marcada por "fraude eleitoral" com a derrota de Bolsonaro.
O caso passou a ser investigado pelo TSE, mas apenas em relação ao Twitter, porque foi considerado como uma ameaça à segurança da presidenta do tribunal.
Máquina de mentiras
Além desses exemplos pontuais, são constantes as mentiras disseminadas sobre Haddad com estratégia de ranqueamento no Google e outras ferramentas de busca. Algumas o qualificam como o pior prefeito do país, como se ele tivesse sido alvo de algum ranking de classificação – o que nunca aconteceu. Outras disseminam que ele teria ajudado a distribuir um kit gay, com cartilhas e ensinamentos sobre sexualidade nas escolas públicas.
O texto que fala que só se justificaria uma possível derrota de Bolsonaro por meio de fraude eleitoral, pode ser objeto de indiciamento dos responsáveis por elaboração e divulgação em crime de ameaça à ordem democrática e instigação contra a ordem pública, previsto na Lei de Segurança Nacional e no próprio Código Penal, conforme explicou o cientista político e especialista em Direito eleitoral, Valdir Pucci.
"A Justiça eleitoral só pode investigar o caso depois que for instada com algum pedido referente ao caso, mas cabe ao MPE agir para apurar as consequências disso também", destacou ele. De acordo com Pucci, hoje é possível investigar o caminho desses posts em redes sociais até chegar ao autor original da publicação, para que este seja enquadrado.
'Mudar a vontade popular'
Há pouco, a campanha de Fernando Haddad encaminhou representação junto ao TSE pedindo a investigação do grupo formado para propagar fake news, por meio de caixa 2 de empresários que apoiam Bolsonaro. Ao falar sobre a iniciativa, Haddad disse que "fazer mau uso do dinheiro para tentar mudar a vontade popular é crime e afronta à democracia".
"Não nos surpreende porque estamos diante de um candidato que passou 28 anos na Câmara dos Deputados trabalhando pela ruptura da ordem democrática", acrescentou o petista, referindo-se a Bolsonaro.
Junta-se aos demais pedidos de investigação representação conjunta feita pelo Coletivo Intervozes e o Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) junto ao MPE para denunciar o favorecimento à candidatura Bolsonaro por concessionárias do serviço de radiodifusão.
Eles afirmaram que depois do episódio das entrevistas exclusivas, não feitas com outros candidatos antes do primeiro turno, emissoras de TV como Record e Bandeirantes seguem violando a legislação eleitoral, que estabelece que "é vedado às emissoras de rádio e televisão, em sua programação normal e em seu noticiário (...) dar tratamento privilegiado a candidato, partido ou coligação" (Art. 45, IV).
A representação traz ainda a denúncia da atuação partidarizada da TV Cidade, afiliada do SBT no estado do Pará. E pede que o MP Eleitoral tome com urgência as devidas providências.
Há também, representações protocoladas no tribunal por políticos para apurar a visita de Bolsonaro à sede da Polícia Federal, onde pediu votos – o que é proibido por lei. E, numa atitude ainda mais ampla, o deputado federal Jorge Solla (PT-BA) pediu ontem a cassação do registro de Bolsonaro "devido ao benefício eleitoral no primeiro turno das eleições que o candidato obteve a partir da fake new do kit gay".
Possibilidade de anulação
Jorge Solla citou declaração recente do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux. Durante entrevista no final de agosto, Fux afirmou que o Código Eleitoral brasileiro prevê a anulação de uma eleição caso seu resultado tenha sido influenciado pela disseminação de notícias falsas. O deputado sustentou a representação no artigo 222 da Lei nº 4.737/65, que afirma ser anulável a votação, "quando viciada de falsidade, como vem acontecendo em razão dos atos do Sr. Jair Bolsonaro".
No início da tarde, o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, foi outro a anunciar que o partido vai entrar com pedido de anulação do primeiro turno das eleições, pelo fato de todos os resultados terem sido influenciado pelo esquema de divulgação das falsas notícias. Lupi ressaltou que o candidato do seu partido, Ciro Gomes, foi o maior prejudicado com o esquema.
Por parte do TSE, seu conselho consultivo sobre internet e eleições fez duas reuniões esta semana com seus representantes para discutir a proliferação de notícias falsas pelo WhatsApp. Os conselheiros consideraram que a Corte se perdeu na apuração dos casos porque teria subestimado o impacto destas mensagens.
No tribunal, os ministros apresentam postura dividida. A maior parte evita dar declarações sobre o assunto, mas admite a preocupação com a atual gestão do TSE nestas eleições. Coube ao ministro Admar Gonzaga defender o tribunal, afirmando que "foram tomadas todas as providências cabíveis". "No mais, não pode um tribunal agir de ofício, tem de ser provocado pelos interessados e prejudicados, o que está acontecendo muito pouco", justificou-se, em entrevista ao jornal Estado de S. Paulo.
Apesar da declaração de Gonzaga para tentar amenizar a situação, ninguém esconde mais o ambiente de insatisfação dos demais integrantes do colegiado durante reuniões entre eles e os servidores.
São vários os indícios reais, e não os "ficcionais" alardeados por seguidores de Bolsonaro), de fraude que precisam ser apurados, segundo os representantes da chapa de Haddad. "Não é crível atribuir apenas à militância orgânica dos noticiados a capacidade de produzir e disseminar com tamanha eficácia todas as notícias falsas editadas em detrimento da coligação noticiante", afirmam, no teor da representação.
Por meio de outra rede social, como é do seu estilo, Jair Bolsonaro disse que não tem controle sobre as pessoas que se organizam para divulgar mensagens em massa em seu benefício, sejam militantes ou empresários. Ele afirmou reconhecer a ilegalidade do ato, se disse inocente de tais iniciativas.

A Igreja recorda hoje a memória de Santo Inácio de Antioquia.
 
Evangelho (Lc 11,42-46)

Aí de vós, fariseus; ai de vós também, mestres da Lei.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 11,42-46.

Naquele tempo, disse o Senhor: "Ai de vós, fariseus, porque pagais o dízimo da hortelã, da arruda e de todas as outras ervas, mas deixais de lado a justiça e o amor de Deus. Vós deveríeis praticar isso, sem deixar de lado aquilo. Ai de vós, fariseus, porque gostais do lugar de honra nas sinagogas, e de serdes cumprimentados nas praças públicas. Ai de vós, porque sois como túmulos que não se veem, sobre os quais os homens andam sem saber".
Um mestre da Lei tomou a palavra e disse: "Mestre, falando assim, insultas-nos também a nós!" Jesus respondeu: "Ai de vós também, mestres da Lei, porque colocais sobre os homens cargas insuportáveis, e vós mesmos não tocais nessas cargas, nem com um só dedo".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.
 
Reflexão sobre o Evangelho:
A JUSTIÇA E O AMOR SÃO ESSENCIAIS - Novamente acompanhamos Jesus, que apresenta os seus "ais" aos fariseus e doutores da Lei. São questionamentos sobre a fé que praticam, em que buscam o cumprimento de um rigorismo nas obrigações religiosas, deixando de lado o essencial, que é a vivência do amor e da fraternidade. São práticas religiosas meramente externas, que não produzem frutos no coração daqueles que a realizam. Dessa forma, Jesus não quer abolir as obrigações religiosas, mas deseja que essas obrigações sirvam para ajudar a formar o interior da pessoa, com um coração convertido ao amor.

Se você falar as verdades doa a quem doer, provavelmente colocará em risco seu prestígio. Lembre-se: Jesus foi muito criticado também. Ele falava aos fariseus que eles eram hipócritas; Ele falava aos mestres da lei que eles colocavam pesados fardos nos ombros das pessoas e depois não carregavam os fardos eles mesmos; chegou a chamar os fariseus de sepulcros caiados; claro que o prestígio de Jesus, naquela elite intelectual do seu tempo não era o melhor prestígio, sua reputação estava em risco, mas Ele era um profeta que falava a verdade doa a quem doer.
(Lc 11,42-46)
Pe. Joãozinho, scj
 
São santos os pés que se sujaram para tirar um irmão da lama. A caridade purifica o coração. Uma religião que procura pessoas puras, irrepreensíveis na aparência, pode deixar a pessoa suja na essência; para Deus o importante não é parecer, mas ser; o importante não é a aparência, mas a essência. Os fariseus criticaram Jesus, porque alguns dos discípulos não lavam as mãos antes da refeição, e era um preceito religioso, Jesus disse: "O que é melhor, um copo limpo por fora e sujo por dentro ou um copo até aparentemente sujo por fora mas limpo no seu interior?" (Lc 11,37-41)
Pe. Joãozinho, scj
....São Oscar Romero, mártir da América Latina, rogai a Deus por todos nós. São Oscar Romero terá um lugar nos altares das igrejas mas terá sempre um lugar no meio do pobre e humilde.
Deixemo-nos converter por Jesus, pois Ele nos indica o caminho no qual devemos andar.

A Igreja recorda neste 15 de outubro Santa Teresa de Jesus!
 
Evangelho (Lc 11,29-32)

Nenhum sinal será dado a esta geração a não ser o sinal de Jonas.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 11,29-32.

Naquele tempo, quando as multidões se reuniram em grande quantidade, Jesus começou a dizer: "Esta geração é uma geração má. Ela busca um sinal, mas nenhum sinal lhe será dado, a não ser o sinal de Jonas. Com efeito, assim como Jonas foi um sinal para os ninivitas, assim também será o Filho do Homem para esta geração. No dia do julgamento, a rainha do Sul se levantará juntamente com os homens desta geração, e os condenará. Porque ela veio de uma terra distante para ouvir a sabedoria do Salomão. E aqui está quem é maior do que Salomão. No dia do julgamento, os ninivitas se levantarão juntamente com esta geração e a condenarão. Porque eles se converteram quando ouviram a pregação de Jonas. E aqui está quem é maior do que Jonas".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
A EXIGÊNCIA DE SINAIS - No Evangelho, vemos Jesus falar às multidões, o que significa que também fala a cada um de nós. E quando percebemos que ele nos fala, refletimos sobre nossa acolhida e conversão à sua Palavra. Jonas foi um sinal de conversão para os ninivitas, e Jesus é um sinal para toda a humanidade. Assim nos perguntamos por que as pessoas ainda pedem sinais, se o próprio Jesus é o maior sinal de Deus. Se diante desse sinal não nos convertemos, outros sinais não serão dados. Que abramos o coração para, com fé e esperança, acolher sua mensagem de conversão.

AGENDA DE MISSAS:
• 08/10(SEGUNDA)
- 17h30 = Comunidade rural Flores.
• 10/10(QUARTA)
- 19h = Comunidade rural Piedade.
• 11/10(QUINTA)
- 12h = Missa da Hora da Graça na matriz.
- 19h = Procissão de Abertura da Festa de Nossa Senhora Aparecida e Missa na comunidade rural Timbaubinha.
• 12/10(SEXTA)
- 19h = Missa campal em honra de Nossa Senhora Aparecida na comunidade rural Timbaubinha.
• 13/10(SÁBADO)
- 17h = Missa na comunidade rural Barra de São Pedro.
- 19h = Celebração da Palavra na comunidade rural Timbaubinha.
- 19h = Missa do Sacramento da Crisma na matriz presidida pelo nosso bispo diocesano.
• 14/10(DOMINGO)
- 7h e 19h = Missa na Matriz.
- 9h30 = Missa na Capela de Santa Cecília.
- 17h = Procissão e Missa de encerramento da festa de Nossa Senhora Aparecida na comunidade rural Timbaubinha.

Em um mundo cercado de misérias como o nosso, estamos ficando mais miseráveis, porque não sabemos usar de misericórdia para com o próximo. "Na tua opinião, qual dos três foi o próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes? Ele respondeu: 'Aquele que usou de misericórdia para com ele'. Então Jesus lhe disse: 'Vai e faz a mesma coisa'" (Lucas 10,36-37).
Somos seletivos até para amar, amamos quem queremos e não amamos quem o Evangelho nos ordena amar. É preciso refletir sobre o Evangelho que escolhemos viver ou o Evangelho que pretendemos viver.
Quem é o nosso próximo? É aquele que usamos de misericórdia para com ele. Em um mundo cercado de misérias como o nosso, estamos ficando mais miseráveis do que o mundo, porque não sabemos usar de misericórdia para com o nosso próximo. Que o Senhor nos converta!
A compaixão é o princípio da solidariedade, do amor em gestos; é preciso sentir a dor do outro. Jesus contou a Parábola do Bom Samaritano, todos viram aquele homem caído e deram respostas teóricas, ideológicas: "Que absurdo esta violência, precisamos uma política que acabe com esta violência..." Mas não pararam; entenderam a dor do outro mas não sentiram a dor do outro; aquele samaritano deixou as teorias de lado, deixou as ideologias de lado, sentiu compaixão, sentiu a dor daquele homem no seu coração, e a sua compaixão se transformou num gesto de solidariedade e ele iniciou a resolver o problema. Isso é a caridade cristã. (Lc 10,25-37)
Pe. Joãozinho, scj

A nossa alegria deve ser porque o Pai nos amou, escolheu-nos e escreveu o nosso nome no Céu. "Naquele momento, Jesus exultou no Espírito Santo e disse: ‘Eu te louvo, Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste essas coisas aos sábios e inteligentes, e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, porque assim foi do teu agrado'" (Lucas 10,21).
Ter o nome escrito no Céu é a grande graça que Deus nos dá; combater os demônios, para que o nosso nome não seja apagado, para que a nossa vida não seja vencida pela força do mal nem que o mal reine em nossa vida.
Existe uma sabedoria imensa que repousa nas pessoas simples; os complicados costumam não ver o essencial. E naquele dia, Jesus exultou no espírito e disse: "Eu te louvo Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondestes estas coisas aos sábios e inteligentes e as revelastes aos pequeninos." A simplicidade esconde uma engrenagem complexa; os complicados na verdade são simplórios, se preocupam com mil detalhes e prolongam o seu discurso, os simples falam pouco mas dizem tudo. (Lc 10,17-24)
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Lc 10,17-24)

Ficai alegres porque vossos nomes estão escritos no céu.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 10,17-24.

Naquele tempo, os setenta e dois voltaram muito contentes, dizendo: "Senhor, até os demônios nos obedeceram por causa do teu nome".
Jesus respondeu: "Eu vi Satanás cair do céu, como um relâmpago. Eu vos dei o poder de pisar em cima de cobras e escorpiões e sobre toda a força do inimigo. E nada vos poderá fazer mal. Contudo, não vos alegreis porque os espíritos vos obedecem. Antes, ficai alegres porque vossos nomes estão escritos no céu".
Naquele momento, Jesus exultou no Espírito Santo e disse: "Eu te louvo, Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste essas coisas aos sábios e inteligentes, e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, porque assim foi do teu agrado.
Tudo me foi entregue pelo meu Pai. Ninguém conhece quem é o Filho, a não ser o Pai; e ninguém conhece quem é o Pai, a não ser o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar".
Jesus voltou-se para os discípulos e disse-lhes em particular: "Felizes os olhos que veem o que vós vedes! Pois eu vos digo que muitos profetas e reis quiseram ver o que estais vendo, e não puderam ver; quiseram ouvir o que estais ouvindo, e não puderam ouvir".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
A ALEGRIA DO APÓSTOLO - Acompanhamos o retorno dos setenta e dois que foram enviados em missão. Eles retornam exultantes de alegria, a qual se torna contagiante, pois compreenderam as maravilhas que foram realizadas na missão. As dificuldades foram muitas, mas a fidelidade e perseverança os conduzem à vitória na missão. A recompensa não é humana, mas divina, pois o missionário terá seu nome escrito nos céus. Esse é o convite de Jesus, que se renova sempre a nós, de estarmos abertos à missão, para que, por meio de nossa fragilidade humana, Deus possa revelar sua grandeza à humanidade.

Ser uma pessoa religiosa ainda não dá a certeza da salvação; é preciso amar como Jesus amou. Grande parte dos milagres, prodígios, belíssimos sermões de Jesus foram feitos num triangulo de pequenas cidades chamadas Cafarnaum, Corazim e Betsaida. Certa ocasião Ele disse: "Ai de ti Cafarnaum! Ai de ti Corazim! Ai de ti Betsaida! Se os milagres que se realizaram nestas cidades tivessem sido realizados na região pagã de Tiro e Sidônia teriam se convertido. Os milagres, os prodígios, são sinais que favorecem a nossa conversão, mas se nos acostumamos à prática religiosa e deixamos de amar o irmão perdemos o tempo da porta do céu. (Lc 10,13-16)
Pe. Joãozinho, scj
Lembrando para todos que hoje, às 12h, na matriz de Nossa Senhora dos Aflitos, temos um encontro pessoal com Jesus Eucarístico.
Venha participar da missa da HORA DA GRAÇA DE DEUS!!!

Se você é um homem e uma mulher de Deus não promovam a guerra, porque não é com guerra que levamos o Reino de Deus, não coloquemos as pessoas umas contra as outras, não promovamos acusações. Sejamos, de fato, promotores da paz.
Quando vamos anunciar o Reino de Deus precisamos ganhar almas para Jesus, pessoas para o Reino de Deus. "Não leveis bolsa nem sacola nem sandálias, e não cumprimenteis ninguém pelo caminho! Em qualquer casa em que entrardes, dizei primeiro: 'A paz esteja nesta casa!'" (Lucas 10,4-5).
Quando vamos anunciar o Reino de Deus nos ocupamos com ele e não com as coisas materiais ou com as vantagens que vamos levar. Quando vamos anunciar o Reino de Deus precisamos ganhar almas para Jesus, pessoas para o Reino de Deus. Não tem nada que se compare a uma alma convertida e evangelizada. Por isso, anuncie com desprendimento, tenha tempo na sua vida para anunciar o Evangelho.
Se o coração precisa estar desprendido o que vamos levar para a casa ou para as pessoas que anunciarmos o Reino de Deus? Levamos o reino da paz, levamos a paz. Em qualquer casa que entrar, dizei: “A paz esteja nesta casa!”, porque as casas do mundo inteiro estão necessitando de paz. O que entra pela televisão e pelas redes sociais, o que entra no meio em que estamos são os conflitos, guerras, disputas e desentendimentos por qualquer coisa.
Quem é de Deus promove a paz, leva a paz, faz a paz acontecer. Pode ser que você não saia da sua casa para ir pessoalmente à casa de outra pessoa mas, hoje, no mundo em que estamos das redes sociais, os vários mecanismos para se evangelizar: televisão, rádio e internet precisam promover a paz.

Não seja mesquinho na hora de remunerar as pessoas pelo seu trabalho. A generosidade nasce no coração, mas passa pelo bolso. Jesus disse: "O trabalhador merece o seu salário". Cada um de nós tem a oportunidade de valorizar o trabalho de alguém; cada um de nós tem a oportunidade de gratificar, de maneira simples, mas proporcional, àqueles que nos oferecem algum serviço, é um gesto nobre remunerar bem. Há uma proporção entre o trabalho e o salário, mas o salário deve reconhecer também a necessidade daquela pessoa; saber atribuir o salário justo para o trabalhador é um gesto de santidade. (Lc 10,1-12)
Pe. Joãozinho, scj

A Igreja recorda hoje a memória de São Francisco de Assis.

Evangelho (Lc 10,1-12)

A vossa paz repousará sobre ele.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 10,1-12.

Naquele tempo, o Senhor escolheu outros setenta e dois discípulos e os enviou dois a dois, na sua frente, a toda cidade e lugar aonde ele próprio devia ir.
E dizia-lhes: "A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos". Por isso, pedi ao dono da messe que mande trabalhadores para a colheita. Eis que vos envio como cordeiros para o meio de lobos. Não leveis bolsa nem sacola nem sandálias, e não cumprimenteis ninguém pelo caminho! 5Em qualquer casa em que entrardes, dizei primeiro: 'A paz esteja nesta casa!' Se ali morar um amigo da paz, a vossa paz repousará sobre ele; se não, ela voltará para vós. Permanecei naquela mesma casa, comei e bebei do que tiverem, porque o trabalhador merece o seu salário. Não passeis de casa em casa.
Quando entrardes numa cidade e fordes bem recebidos, comei do que vos servirem, curai os doentes que nela houver e dizei ao povo: 'O Reino de Deus está próximo de vós'.
Mas, quando entrardes numa cidade e não fordes bem recebidos, saindo pelas ruas, dizei: 'Até a poeira de vossa cidade que se apegou aos nossos pés, sacudimos contra vós. No entanto, sabei que o Reino de Deus está próximo!' Eu vos digo que, naquele dia, Sodoma será tratada com menos rigor do que essa cidade".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
A MESSE É GRANDE - Vemos Jesus, que continua a enviar trabalhadores para a messe, e dessa vez são enviados outros setenta e dois; de dois em dois, pois a missão é conjunta, e não individual, devendo ser partilhada. Ele os forma e envia a todos os lugares, mostrando que estarão como cordeiros em meio aos lobos, indicando que a missão não é fácil e que muitos são os obstáculos. Pede para não levarem muita bagagem, pois quanto mais coisas, mais o tempo fica dividido, restando pouco tempo para servir a Deus. Esse é o desapego que propõe. E, por fim, ensina que o conteúdo da missão é sempre o anúncio do Reino.
O Espírito Santo que habita em nós abre nossos ouvidos para escutar o que não é dito, ler os corações e ouvir os pensamentos. Os discípulos, às vezes, discutiam algumas coisas longe de Jesus, numa dessas ocasiões o assunto era quem deles seria o melhor, o maior, mas eles não faziam isso perto de Jesus porque sabiam que Ele ficaria indignado, mas Jesus olhou para eles e leu os pensamentos, Ele sabia no que eles estavam pensando. Esse dom de ler os pensamentos e de ouvir os corações é fundamental para os pais que educam seus filhos, para os missionários que leem o coração do povo, é fundamental para todo educador. (Lc 9,46-50)
Pe. Joãozinho, scj

 AGENDA DE MISSAS:
• 29/09(SÁBADO)
- 19h = Matriz.
• 30/09(DOMINGO)
- 7h e 19h = Matriz.
- 9h30 = Capela de Santa Cecília.
Obs: Não esquecer do ofertório de alimentos para as famílias pobres assistidas pelos Vicentinos.

Procuremos a verdade, amemos a verdade, procuremos conhecer Jesus, amá-Lo e permitir que Ele se torne o Senhor da nossa vida.
Se nós conhecêssemos as verdades como elas de fato são, não faríamos maldades nas coisas, não falaríamos mal das pessoas. Se conhecêssemos Jesus como Ele, de fato, precisa ser conhecido por nós, amaríamos mais a Jesus, porque mergulharíamos na pessoa d'Ele...

A admiração pode ser o princípio da fé, mas estacionar em uma devoção espetacular pode levar a uma crença vazia e pagã. Moisés diante da sarça ardente ficou admirado, mas ele progrediu no diálogo com Deus e chegou a se tornar um profeta verdadeiro, um homem de fé; mas Herodes também ficou admirado diante dos fatos que lhe contavam sobre Jesus, homem poderoso em obras e palavras, mas ele estacionou no espetáculo e se tornou um homem fútil, vazio, que buscava na religião apenas emoção. (Lc 9,7-9)
Pe. Joãozinho, scj.

Hoje a Igreja celebra a memória de São Vicente de Paulo, Presbítero.
 
Evangelho (Lc 9,7-9)

Eu mandei degolar João. 
Quem é esse homem, sobre quem ouço falar essas coisas?
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 9,7-9

Naquele tempo, o tetrarca Herodes ouviu falar de tudo o que estava acontecendo, e ficou perplexo, porque alguns diziam que João Batista tinha ressuscitado dos mortos. Outros diziam que Elias tinha aparecido; outros ainda, que um dos antigos profetas tinha ressuscitado. Então Herodes disse: “Eu mandei degolar João. Quem é esse homem, sobre quem ouço falar essas coisas?” E procurava ver Jesus.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
O DESEJO DE VER JESUS - Hoje vemos a importância do testemunho. Aqueles que estavam próximos de Jesus e presenciavam seus milagres e pregações não compreendiam claramente quem era Jesus, e por isso não sabiam dizer quem era ele. Essa confusão faz que o anunciem como um profeta ou até mesmo como João Batista. O questionamento que surge, é como está sendo nosso testemunho sobre a pessoa de Jesus nos dias atuais? Estamos ajudando as pessoas a conhecerem ou estamos afastando elas de Deus? Aproveitemos desse Evangelho, para refletir o nosso testemunho sobre a pessoa de Jesus.