É prudente ser previdente, preparar o dia de amanhã para não se pré-ocupar com aquilo que virá. Quando não nos preparamos, nos pré-ocupamos. O dia ainda não chegou, mas como não estou preparado, estou preocupado e acabo não vivendo no hoje, mas sempre no amanhã. E isso me tira do foco, me coloca fora do eixo. Jesus disse: "Olhem para os pardais, Deus alimenta! Olhe para os lírios, Deus veste"! Por que se preocupar? Ocupe-se! Seja previdente! E então não haverá com que se preocupar (Mt 6,24-34). 
Pe. Joãozinho, scj

Evangelho (Mt 6,24-34)

Não vos preocupeis com o dia de amanhã.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 6,24-34

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Ninguém pode servir a dois senhores: pois, ou odiará um e amará o outro, ou será fiel a um e desprezará o outro. Vós não podeis servir a Deus e ao dinheiro.
Por isso eu vos digo: não vos preocupeis com a vossa vida, com o que havereis de comer ou beber; nem com vosso corpo, com o que havereis de vestir. Afinal a vida não vale mais do que o alimento, e o corpo, mais do que a roupa? Olhai os pássaros dos céus: eles não semeiam, não colhem, nem ajuntam em armazéns. No entanto, vosso Pai que está nos céus os alimenta. Vós não valeis mais do que os pássaros?
Quem de nós pode prolongar a duração da própria vida, só pelo fato de se preocupar com isso? E por que ficais preocupados com a roupa? Olhai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham nem fiam. Porém, eu vos digo: nem o rei Salomão, em toda a sua glória, jamais se vestiu como um deles. Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é queimada no forno, não fará ele muito mais por vós, gente de pouca fé?
Portanto, não vos preocupeis, dizendo: Que vamos comer? Que vamos beber? Como vamos nos vestir? Os pagãos é que procuram essas coisas. Vosso Pai, que está nos céus, sabe que precisais de tudo isso. Pelo contrário, buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão dadas por acréscimo. Portanto, não vos preocupeis com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã terá suas preocupações! Para cada dia, bastam seus próprios problemas".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

CONFIAR NA PROVIDÊNCIA - Uma das realidades que mais afligem nossa alma é, sem dúvida alguma, a das preocupações. Debatemo-nos horas e dias em torno de nossos problemas, chegando, muitas vezes, a perder o sentido da vida. Que tristeza! Precisamos, urgentemente, desenvolver uma profunda confiança na providência de Deus. Já imaginamos o quão leves nos sentiríamos se fôssemos capazes de confiar ativamente em Deus e em sua providência?
Não se deixe vencer em generosidade; e para os maus, responda com coisas boas! Você tem o direito de ser bom. Para as pessoas que têm o coração ancorado em Deus, até uma maldade, uma inveja, gera sentimentos bons. Você pode ser objeto de críticas, responda com elogio! Você pode ser atacado com injustiças, responda com uma justiça! E se olharem com maldade para você, responda com um olhar providente, com um sorriso! Você tem o direito de ser bom (Mt 5,38-42). 
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Mt 5,38-42)

Eu vos digo: não enfrenteis quem é malvado!
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 5,38-42

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Ouvistes o que foi dito: 'Olho por olho e dente por dente!' Eu, porém, vos digo: Não enfrenteis quem é malvado! Pelo contrário, se alguém te dá um tapa na face direita, oferece-lhe também a esquerda! Se alguém quiser abrir um processo para tomar a tua túnica, dá-lhe também o manto! Se alguém te forçar a andar um quilômetro, caminha dois com ele! Dá a quem te pedir e não vires as costas a quem te pede emprestado".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

UM TREMENDO DESAFIO - Tendes ouvido o que foi dito: "Olho por olho, dente por dente. Eu, porém, vos digo: não resistais ao mau". Perdão e generosidade são traços essenciais de um cristão. E quão importantes são esses dois valores no dia a dia de nossa vida, principalmente nos relacionamentos comunitários, em que podemos encontrar a beleza e o desafio das diferenças! A vida comunitária, social, para ser bem vivida, precisa, de uma boa medida de generosidade, misericórdia e perdão.
Cumprir a lei é bom e necessário, mas o amor ultrapassa tudo isso, vai além da obrigação. Jesus, o Mestre do amor, o Profeta de Nazaré, disse, certa ocasião, para os seus amigos, os seus discípulos que "Se a vossa justiça não for maior que a dos mestres da lei e dos fariseus, não entrareis no Reino dos Céus". E então Ele disse: "Vocês lembram o que foi dito aos antigos? Não matarás, esse é o mandamento". E Ele disse: "Mas eu... eu digo um pouco mais: quem ficar encolerizado com seu irmão será réu em juízo. Quem chamar seu irmão de patife, idiota, será condenado pelo tribunal. Quem chamar o seu irmão de tolo será condenado ao fogo do inferno". Parece muito grave, muito sério, mas é isso: o amor sempre ultrapassa (Mt 5,20-26). 
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Mt 5,20-26)

Hoje a Igreja celebra a memória de S. Antônio de Pádua, Presb. Dr.

Vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 5,20-26

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Se a vossa justiça não for maior que a justiça dos mestres da Lei e dos fariseus, vós não entrareis no Reino dos Céus. Vós ouvistes o que foi dito aos antigos: 'Não matarás! Quem matar será condenado pelo tribunal'. Eu, porém, vos digo: todo aquele que se encoleriza com seu irmão será réu em juízo; quem disser ao seu irmão: ‘patife!’ será condenado pelo tribunal; quem chamar o irmão de 'tolo' será condenado ao fogo do inferno.
Portanto, quando tu estiveres levando a tua oferta para o altar, e ali te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa a tua oferta ali diante do altar, e vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão. Só então vai apresentar a tua oferta. Procura reconciliar-te com teu adversário, enquanto caminha contigo para o tribunal. Senão o adversário te entregará ao juiz, o juiz te entregará ao oficial de justiça, e tu serás jogado na prisão. Em verdade eu te digo: dali não sairás, enquanto não pagares o último centavo".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

A RECONCILIAÇÃO NECESSÁRIA - A partir da leitura do Evangelho, podemos nos fazer, com muita sinceridade de coração, alguns questionamentos: qual é o nível do meu relacionamento com o próximo? Já parei para pensar nisso? Sinto-me, de verdade, responsável por meus irmãos? Consigo ver neles a chama divina que se aninha em meu interior? Não tenhamos medo das respostas; tenhamos medo, sim, de não responder!
A tradição e a vanguarda são amigas. O futuro promissor depende de um passado bem vivido. Não há uma contradição entre a tradição e a inovação. Aqueles que são pessoas do futuro, apenas são inovadores se têm memórias bem firmes no passado, conhecem os erros e os acertos do que passou e, por isso, não repetem um pouco mais do mesmo, mas sabem inovar. Jesus disse: "Vocês pensam que eu vim abolir a lei e os profetas? Não, eu não vim abolir, eu vim dar pleno cumprimento". Jesus, a grande novidade da história, nunca perdeu a memória (Mt 5,17-19). 
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Mt 5,17-19)

Aquele que praticar e ensinar os mandamentos, este será considerado grande.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 5,17-19

Naquele tempo; disse Jesus aos seus discípulos: "Não penseis que vim abolir a Lei e os Profetas. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento. Em verdade, eu vos digo: antes que o céu e a terra deixem de existir, nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da Lei, sem que tudo se cumpra. Portanto, quem desobedecer a um só destes mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será considerado o menor no Reino dos Céus. Porém, quem os praticar e ensinar será considerado grande no Reino dos Céus".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

UMA OBEDIÊNCIA DIFERENTE - Hoje, Jesus nos ensina como observar verdadeiramente a Lei. Ele vai ao coração, ao essencial; foge das obediências meramente externas, que só demonstram hipocrisia. Ao observarmos as atitudes de alguns de nossos irmãos, sem querermos, é claro, julgar-lhes o coração, percebemos que, com muita facilidade, esvaziam a mensagem do Evangelho e levam muitos a fazerem a mesma coisa. Com atitudes e práticas dessa natureza, não conseguiremos chegar a uma cultura evangélica. Fica uma pergunta: estamos nos esforçando para chegar ao coração do Evangelho?
Maria é a Mãe de Jesus e nós fazemos parte do Corpo Místico de Cristo. Por isso, Maria é nossa Mãe, é a Mãe da Igreja. A Igreja, olhando para Maria, enxerga seu próprio rosto, porque a Igreja também é mãe e, como Maria, gerou Jesus no seu ventre. A Igreja gera cada um de nós no seu ventre místico de mãe, por meio do Batismo. Maria é virgem antes, durante e depois do parto. Ela é íntegra, por isso a Igreja, olhando para Maria, também se reconhece como íntegra, aquela que preserva a fé inteira, sem tirar nenhum pedaço. A Igreja é mãe e Maria é Mãe da Igreja (Jo 19,25-34). 
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho - Mt 5,1-12a

Bem-aventurados os pobres em espírito.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 5,1-12a

Naquele tempo:
Vendo Jesus as multidões, subiu ao monte e sentou-se.
Os discípulos aproximaram-se,
e Jesus começou a ensiná-los:
'Bem-aventurados os pobres em espírito,
porque deles é o Reino dos Céus.
Bem-aventurados os aflitos,
porque serão consolados.
Bem-aventurados os mansos,
porque possuirão a terra.
Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça,
porque serão saciados.
Bem-aventurados os misericordiosos,
porque alcançarão misericórdia.
Bem-aventurados os puros de coração,
porque verão a Deus.
Bem-aventurados os que promovem a paz,
porque serão chamados filhos de Deus.
Bem-aventurados os que são perseguidos
por causa da justiça,
porque deles é o Reino dos Céus.
Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem
e perseguirem, e mentindo,
disserem todo tipo de mal contra vós, por causa de mim.
Alegrai-vos e exultai,
porque será grande a vossa recompensa nos céus.
Palavra da Salvação.
Glória a vós Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

No Sermão da Montanha, Jesus chama de bem-aventuradas pessoas de diferentes tipos: os limpos de coração, os pobres em espírito, os misericordiosos, os mansos, os pacíficos, os que têm fome e sede justiça. Olhando para esses "tipos" ou "atitudes", percebemos sinais de sua existência em nosso dia a dia? Não podemos nos esquecer de que são essas as atitudes que nos levam para o alto e que nos tornam verdadeiros seres humanos.
Não deixe que as correrias do dia a dia lhe roubem o direito de dizer coisas simples como: "eu te amo". O dia, às vezes, nos engole e nos acostumamos com as pessoas que vivem conosco. E passam os meses, passam até mesmo os anos, e acabamos não declarando nosso amor, não dando aquele abraço mais apertado, não reconhecendo que é muito bom viver junto dessa pessoa. E, às vezes, o tempo passa, as pessoas morrem, e nós não dizemos "eu te amo"! Diga isso ainda hoje para aquela pessoa que vive com você (Jo 21,15-19)! 
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Jo 21,15-19)

Apascenta os meus cordeiros. Apascenta as minhas ovelhas.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 21,15-19

Jesus manifestou-se aos seus discípulos e, depois de comerem, perguntou a Simão Pedro: "Simão, filho de João, tu me amas mais do que estes?" Pedro respondeu: "Sim, Senhor, tu sabes que eu te amo". Jesus disse: "Apascenta os meus cordeiros".
E disse de novo a Pedro: "Simão, filho de João, tu me amas?" Pedro disse: "Sim, Senhor, tu sabes que eu te amo". Jesus disse-lhe: "Apascenta as minhas ovelhas". Pela terceira vez, perguntou a Pedro: "Simão, filho de João, tu me amas?" Pedro ficou triste, porque Jesus perguntou três vezes se ele o amava. Respondeu: "Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo". Jesus disse-lhe: "Apascenta as minhas ovelhas. Em verdade, em verdade te digo: quando eras jovem, tu te cingias e ias para onde querias. Quando fores velho, estenderás as mãos e outro te cingirá e te levará para onde não queres ir".
Jesus disse isso, significando com que morte Pedro iria glorificar a Deus. E acrescentou: "Segue-me".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

REFLEXÃO SOBRE O EVANGELHO:

TU ME AMAS? O primado de Pedro é serviço à comunhão, como nos afirma o Vaticano II: "Cristo enviou os apóstolos como ele foi enviado pelo Pai, e quis que os sucessores daqueles, os bispos, fossem os pastores da Igreja até a consumação dos séculos. Mas, para que o mesmo Episcopado fosse um só e indiviso, pôs à frente dos outros apóstolos o bem-aventurado Pedro e instituiu na pessoa dele o princípio e o fundamento, perpétuo e visível, da unidade de fé e comunhão" (LG 18). Façamos, neste dia, uma prece pelo nosso Papa. 
Viva a mística da consagração! Reconheça que é sagrado, pois está guardado no coração de Deus! Nós nos consagramos, alguns fazem votos de pobreza, obediência e castidade e vivem uma vida consagrada. Às vezes, são chamados de religiosos, religiosas, mas todos nós, batizados, fomos marcados com o selo sagrado, estamos consagrados, guardados no colo do Pai, no coração de Jesus, na força do Espírito. Somos gente sagrada! Não somos visitas, somos gente de casa! Nosso coração pertence a Deus (Jo 17,11-19).
Pe. Joãozinho, scj

Evangelho (Jo 17,11b-19)

Para que eles sejam um assim como nós somos um.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo escrito por João 17,11b-19

Naquele tempo, Jesus ergueu os olhos para o céu e rezou, dizendo: "Pai santo, guarda-os em teu nome, o nome que me deste, para que eles sejam um assim como nós somos um. Quando eu estava com eles, guardava-os em teu nome, o nome que me deste. Eu guardei-os e nenhum deles se perdeu, a não ser o filho da perdição, para se cumprir a Escritura. Agora, eu vou para junto de ti, e digo estas coisas, estando ainda no mundo, para que eles tenham em si a minha alegria plenamente realizada. Eu lhes dei a tua palavra, mas o mundo os rejeitou, porque não são do mundo, como eu não sou do mundo. Não te peço que os tires do mundo, mas que os guardes do Maligno. Eles não são do mundo, como eu não sou do mundo. Consagra-os na verdade; a tua palavra é verdade. Como tu me enviaste ao mundo, assim também eu os enviei ao mundo. Eu me consagro por eles, a fim de que eles também sejam consagrados na verdade".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

REZANDO PELOS DISCÍPULOS - Jesus nos consagra na verdade! Essa consagração nos dá acesso à santidade de Deus e à alegria perfeita, plena e transbordante de Jesus glorificado. Por isso, precisamos estar atentos, porque o nosso testemunho da verdade, que é Cristo, centra-se no amor e na unidade, segundo o próprio desejo de Jesus: "Que sejam um, como nós, para que o mundo acredite". A partir desse evangelho, surge para nós um sério questionamento: como estamos vivendo a verdade, o amor e a unidade?
Na hora da angústia, pense nos bens passados e que voltarão! Na hora da fartura, pense na carência que virá! E então, se você viver um momento de alegria, não caia na ilusão de pensar que a tristeza não virá. E se você viver um momento de tristeza, não estacione neste sentimento, porque o sol retornará, a chuva passará, o tempo da dificuldade não é eterno. Acredite que tudo isso são movimentos da vida e que passam, tudo passa, tudo passará. Não estacione em um momento (Jo 16,29-33)! 
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Jo 16,29-33)

Tende coragem! Eu venci o mundo!
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 16,29-33

Naquele tempo, os discípulos disseram a Jesus: "Eis, agora falas claramente e não usas mais figuras. Agora sabemos que conheces tudo e que não precisas que alguém te interrogue. Por isto cremos que vieste da parte de Deus". Jesus respondeu: "Credes agora? Eis que vem a hora – e já chegou – em que vos dispersareis, cada um para seu lado, e me deixareis só. Mas eu não estou só; o Pai está comigo. Disse-vos estas coisas para que tenhais paz em mim. No mundo, tereis tribulações. Mas tende coragem! Eu venci o mundo!"
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

CUIDADO PARA NÃO CAIR - Se queremos definir o Espírito com uma expressão atual e bíblica, vital e única, diremos: é dom do Cristo Ressuscitado à sua Igreja, que é seu corpo; é o Espírito do próprio Jesus em nós; é o "nós” trinitário e a consciência eclesial; é o amor que Deus difundiu em nossos corações; é a nossa nova dimensão pessoal e comunitária de discípulos de Jesus, cristãos, filhos de Deus e irmãos uns dos outros. Não podemos nos esquecer, estimados irmãos, de que vivemos no tempo do Espírito… Essa é a hora do Espírito!
Não revele logo todos os seus segredos nem complete todas as lições. Preserve seus mistérios para a hora certa. Em suas últimas lições, Jesus disse: "Tenho ainda muitas coisas a dizer-vos, mas não sois capazes de as compreender agora". Jesus voltou para o Pai sem ter dito tudo. Deixou a compreensão de certas coisas para o Espírito que Ele enviaria. Assim também nossas aulas, catequeses, a educação dos filhos... exige uma pedagogia do mistério, em que uma lição vem depois da outra até completar todo o quebra-cabeça. Saiba dizer a coisa certa na hora certa (Jo 16,12-15). 
Pe. Joãozinho, scj

Evangelho (Jo 16,12-15)

Tudo o que o Pai possui é meu. O Espírito Santo receberá do que é meu e vo-lo anunciará.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João 16,12-15

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Tenho ainda muitas coisas a dizer-vos, mas não sois capazes de as compreender agora. Quando, porém, vier o Espírito da Verdade, ele vos conduzirá à plena verdade. Pois ele não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido; e até as coisas futuras vos anunciará.
Ele me glorificará, porque receberá do que é meu e vo-lo anunciará. Tudo o que o Pai possui é meu. Por isso, disse que o que ele receberá e vos anunciará, é meu".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

O ESPÍRITO DA VERDADE - Guiados pelo Espírito, alcançaremos a verdade plena e completa, não tanto em sentido quantitativo quanto qualitativo, compreendendo em profundidade o mistério da pessoa de Jesus Cristo e de Deus. Essa é a tarefa perene do Espírito Santo na comunidade eclesial, em continuidade com a obra de Cristo. É preciso estarmos conscientes disso e pedirmos com frequência ao Espírito Santo a coragem que nos é indispensável para sermos cristãos e para confessarmos Cristo como o Senhor das nossas vidas.
O presidente da FIERN e diretor do SESI, Sr. Amaro Sales de Araújo e o Prefeito Municipal de Jardim de Piranhas/RN, excelentíssimo Sr. Elídio Araújo de Queiroz, convidam para a solenidade de inauguração da Indústria do Conhecimento "Barbara de Oliveira Nobre"
Data: quarta-feira, 05 de junho de 2019
Horário: 10h
Local: Rua Arthur Ribas, vila do rio, próximo a quadra da igreja.
É Tempo de Recomeçar!
Este é o governo de Elídio Queiroz
O fotógrafo quando faz uma foto, ele usa os olhos, a alma, o coração e a emoção...

A violência contra os cristãos é uma realidade permanente nesses dois mil anos. Reagir ou refletir? Diante de ataques, sequestros, mortes... alguns cristãos de fé mais frágil pensam em entrar numa cruzada, pagando o mal com o mal, o olho por olho, o dente por dente. Isso não resolve! É voltar à antiga aliança. Somos filhos de uma nova aliança no sangue de Jesus, aonde somos convidados a reagir com amor e a ter uma reação ativa, mas não violenta, como fez Jesus de Nazaré. Quando alguém lhe bateu numa face, Ele ofereceu a outra e disse: "Por que me bates?" A reação é serena e não violenta (Jo 15,26-16,4). 
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Jo 15,26–16,4a)

O Espírito da Verdade dará testemunho de mim.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 15,26 - 16,4a

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Quando vier o Defensor que eu vos mandarei da parte do Pai, o Espírito da Verdade, que procede do Pai, ele dará testemunho de mim.
E vós também dareis testemunho, porque estais comigo desde o começo. Eu vos disse estas coisas para que a vossa fé não seja abalada. Expulsar-vos-ão das sinagogas, e virá a hora em que aquele que vos matar julgará estar prestando culto a Deus. Agirão assim, porque não conheceram o Pai, nem a mim. Eu vos digo isto, para que vos lembreis de que eu o disse, quando chegar a hora".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
O DOM DO PARÁCLITO - Jesus havia advertido os discípulos para a tentação de se sentirem órfãos e desamparados. Ao longo da missão, eles não teriam mais a presença física de Jesus, que lhes fora, outrora, um referencial importante. A condição de Ressuscitado exigia dos discípulos reformularem sua forma de se relacionar com ele. A presença física do Mestre fora substituída pela presença espiritual.
Antevendo o risco que corriam, Jesus havia prometido aos discípulos enviar-lhes, de junto do Pai, o Defensor que estaria sempre junto deles, dando-lhes força para perseverarem no testemunho. O Espírito Santo reforçaria a fé dos discípulos. Reforçaria também a compreensão de tudo o que o Mestre lhes tinha ensinado, levando-os a perceber as reais dimensões de sua fé. Seguros de não estarem crendo em vão, os discípulos se predisporiam a dar um testemunho, mais e mais autêntico, do Senhor.
O Defensor é Espírito da Verdade que livra os discípulos do erro. Impede-os de cair nas ciladas do mal. Preserva-os do engano no qual o mundo os quer enredar. Alerta-os diante da possibilidade de serem levados pela mentira dos inimigos do Reino. Este dom é indispensável ao discípulo em missão, para que não perca o rumo de sua ação.

O Defensor, em última análise, é o Espírito do Pai caminhando, com os discípulos do Filho Jesus.
Amar como Jesus amou é amar os inimigos e dar a vida por todos, mesmo quem não nos ama. Esse é o amor de Jesus! Este é o desafio da cruz! Quem ama um inimigo, não recebe nada em troca, por isso esse amor é puro, é gratuito, é amor de verdade. E acima desse amor aos inimigos, existe apenas uma forma de amor. Depois do amor da lágrima, vem o amor do sangue, aquele que dá a vida, ama como Jesus amou, vive uma espécie de martírio. Esse é o amor maior (Jo 15,12-17). 
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Jo 15,12-17)

Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 15,12-17

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei. Ninguém tem amor maior do que aquele que dá sua vida pelos amigos.
Vós sois meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando. Já não vos chamo servos, pois o servo não sabe o que faz o seu Senhor. Eu chamo-vos amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi de meu Pai. Não fostes vós que me escolhestes, mas fui eu que vos escolhi e vos designei para irdes e para que produzais fruto e o vosso fruto permaneça. O que, então, pedirdes ao Pai em meu nome, ele vo-lo concederá. Isto é o que vos ordeno: amai-vos uns aos outros".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

NÃO SERVOS, MAS AMIGOS - Amor, obediência e amizade são as palavras que expressam com eloquência a comunhão entre Jesus e os seus. Desse modo o fruto necessário dessa amizade com Jesus é o amor mútuo dos seus seguidores. O amor fraterno tem, pois, a sua medida no amor de Jesus, que chegou à entrega da própria vida. Sendo assim, podemos afirmar que o amor principia e acaba em Deus, passando pelo irmão. Amar, em linguagem cristã, não é mais do que corresponder a Deus, devolver-lhe a sua ternura, partilhar com os outros o amor e a amizade que dele recebemos gratuitamente por meio de Cristo.
A alegria é um dos primeiros frutos do Espírito em nós. A euforia passa, a alegria permanece. Depois de falar sobre os mistérios do amor, Jesus disse aos seus discípulos: "Olha, falei isso pra vocês para que a minha alegria esteja em vocês e a sua alegria seja plena". Essa alegria plena permanece, não se acaba, porque ela não vem de nós nem mesmo das coisas que acontecem no dia a dia e que nos realizam, nos satisfazem e nos alegram! Tudo isso passa, mas a alegria espiritual permanece. Passam-se os dias e até vêm os desafios e pequenas frustrações, mas a alegria de Deus permanece em nós (Jo 15,9-11). 
Pe. Joãozinho, scj

Evangelho (Jo 15,9-11)

Permanecei no meu amor para que a vossa alegria seja plena.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 15,9-11

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: "Como meu Pai me amou, assim também eu vos amei. Permanecei no meu amor. Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim como eu guardei os mandamentos do meu Pai e permaneço no seu amor. Eu vos disse isto, para que a minha alegria esteja em vós e a vossa alegria seja plena".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

FIRMES NO AMOR - Amar a Jesus é guardar os seus mandamentos. Amor e obediência não se excluem, mas dependem um do outro, porque o amor brota da obediência, e esta, por sua vez, exprime e aumenta o amor, como sucede na relação entre Jesus Cristo e o Pai. A relação que existe entre o amor e a obediência é muito estreito; esses dois elementos apoiam-se e completam-se mutuamente. Unidos, geram alegria, mas apenas quando totalmente livres, isto é, quando estão completamente isentos de egoísmo e interesses próprios.
Neste mundo de tanta violência e perturbação, é possível viver na paz, no equilíbrio vital. Mas Jesus advertiu que a paz que Ele nos dá, não é como a do mundo. É uma paz maior do que a ausência de conflitos, ausência de guerras. Não é aquela paz que encontramos num deserto, num cemitério. A paz de Jesus é a harmonia, é a integridade, é a vida plena, é o equilíbrio vital, é voltarmos ao paraíso original, é estar de bem com a vida. Quem está em Cristo recebe a sua paz, recebe a ciência da paz, a paciência (Jo 14,27-31).
Pe. Joãozinho, scj

Evangelho (Jo 14,27-31a)

A minha paz vos dou.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 14,27-31a

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: "Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; mas não a dou como o mundo. Não se perturbe nem se intimide o vosso coração. Ouvistes que eu vos disse: 'Vou, mas voltarei a vós'. Se me amásseis, ficaríeis alegres porque vou para o Pai, pois o Pai é maior do que eu. Disse-vos isto, agora, antes que aconteça, para que, quando acontecer, vós acrediteis.
Já não falarei muito convosco, pois o chefe deste mundo vem. Ele não tem poder sobre mim, amas, para que o mundo reconheça que eu amo o Pai, eu procedo conforme o Pai me ordenou".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
A ALEGRIA DA PARTIDA - Jesus procurou evitar que sua partida para junto do Pai, a sua morte, fosse motivo de perturbação para os seus discípulos. Na perspectiva deles, isto resultaria na perda de um amigo querido, com quem haviam estabelecido um relacionamento de profunda confiança.
Não era isso, porém, que preocupava Jesus. No seu horizonte, despontava a ação malévola do Príncipe deste mundo, cuja ação enganadora visaria desviar os discípulos do caminho do Mestre, causando-lhes toda sorte de dificuldades. De fato, a perspectiva de perseguição não deixava de ser preocupante. Se os discípulos tivessem consciência do que isto significava, teriam mais razão ainda para entristecer-se e perturbar-se.
Apesar da incerteza do futuro, os discípulos deveriam alegrar-se. Ao partir, Jesus os precederia no caminho que todos haveriam de trilhar também. E, na casa do Pai, lhes prepararia um lugar.
A partida de Jesus era inevitável e inadiável. Sua permanência terrena junto aos seus não podia prolongar-se indefinidamente. Uma vez concluída sua missão terrena, era hora de começar sua missão celeste. Aos discípulos caberia levar adiante a missão do Mestre. A compreensão disto deveria afastar deles todo medo e toda tristeza. Embora sendo uma dura experiência, os discípulos tinham motivos para se alegrar com a partida de Jesus.
Jesus é a Verdade à qual aderimos com fé, o Caminho que trilhamos com esperança e a Vida que vivemos com amor. Quando o Mestre estava ensinando seus discípulos, Tomé fez uma pergunta: "Senhor, não sabemos para onde vais. Como podemos conhecer o caminho?" E Jesus disse: "Tomé, Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida". Trilhamos este caminho tendo como meta chegar até o colo do Pai. Caminhamos com esperança, mas o que nos empurra neste caminho é o combustível do cristão: a fé. A fé, a adesão à verdade que é Jesus. Mas somos animados por uma força imensa, a força do amor. Se a esperança nos atrai, a fé nos empurra e o amor nos sustenta (Jo 14,1-6). 
Pe. Joãozinho, scj

Evangelho (Jo 14,1-6)

Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 14,1-6

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: "Não se perturbe o vosso coração. Tendes fé em Deus, tende fé em mim também. Na casa de meu Pai, há muitas moradas. Se assim não fosse, eu vos teria dito. Vou preparar um lugar para vós, e quando eu tiver ido preparar-vos um lugar, voltarei e vos levarei comigo, a fim de que onde eu estiver estejais também vós. E para onde eu vou, vós conheceis o caminho".
Tomé disse a Jesus: "Senhor, nós não sabemos para onde vais. Como podemos conhecer o caminho?" Jesus respondeu: "Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

EU SOU O CAMINHO - Não se perturbe o vosso coração. Credes em Deus, crede também em mim; "Vou preparar-vos um lugar (...) Para que, onde eu estou, também vós estejais"; "Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim". Escolhamos a passagem que mais responde ao nosso momento existencial; façamos a nossa oração e deixemos o Espírito nos apontar o caminho mais seguro. Não coloquemos obstáculos para a ação do Espírito. Não tenhamos medo da verdade, pois a verdade nos libertará.
Todo verdadeiro líder é um servidor. Quem serve encontra a felicidade. Jesus deu o exemplo lavando os pés dos seus discípulos. E quando terminou, Ele olhou para eles e disse: "Olha gente, o servo não está acima do Senhor. Então, viram o que eu fiz? Façam a mesma coisa! Se entenderem isso e praticarem, vocês serão felizes". A felicidade não está em tornar-se o primeiro, aquele que recebe o maior prestígio, o maior elogio. A felicidade está no último lugar. A felicidade não está na pompa, mas no serviço humilde, desinteressado. Os últimos serão os primeiros (Jo 13,16-20). 
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Jo 13,16-20)

Quem recebe aquele que eu enviar, me recebe a mim
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 13,16-20

Depois de lavar os pés dos discípulos, Jesus lhes disse: "Em verdade, em verdade vos digo: o servo não está acima do seu senhor e o mensageiro não é maior que aquele que o enviou. Se sabeis isto, e o puserdes em prática, sereis felizes.
Eu não falo de vós todos. Eu conheço aqueles que escolhi, mas é preciso que se realize o que está na Escritura: 'Aquele que come o meu pão levantou contra mim o calcanhar'. Desde agora vos digo isto, antes de acontecer, a fim de que, quando acontecer, creiais que eu sou.
Em verdade, em verdade vos digo, quem recebe aquele que eu enviar, me recebe a mim; e quem me recebe, recebe aquele que me enviou".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

FELIZ QUEM COMPREENDE E PRATICA A PALAVRA DE DEUS - Jesus conhece muito bem o mais profundo do nosso coração; conhece nossas intenções e, por isso, afirmou que: "O servo não é maior que o seu Senhor". Seguir o Senhor não é uma questão de poder, de status, mas, sim, de serviço. Entender e aceitar essa exigência foi e continua sendo o grande desafio para os discípulos. Enquanto não entendermos o serviço e sua partilha, estaremos vivendo às margens do Evangelho. Algumas comunidades paroquiais e religiosas vieram a fracassar justamente porque não viveram sob esses aspectos.
Quem ama entra no círculo virtuoso do amor que cresce até explodir em forma de Céu. Jesus disse: "Como o Pai me amou, assim também eu vos amei. Permanecei no meu amor. Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor". E Jesus continua descrevendo essa dinâmica de um Pai que ama o seu Filho, que é o amado, e esse amor tem nome: é o Espírito Santo derramado! E esse amor transborda do Pai, do Filho e do Espírito Santo e cria a Terra, o Céu, o homem, a mulher que são convidados a entrar na dinâmica do amor e gerar o filho. E então temos uma nova trindade: pai, mãe e filho, uma família sagrada. Nós enxergamos essa dinâmica do amor também na Sagrada Família de Nazaré: Jesus, Maria e José (Jo 15,9-17). 
Pe. Joãozinho, scj