As palavras falam, mas as obras gritam; discursos emocionam, mas gestos provocam a conversão. Vinte por cento da mensagem de Jesus foi transmitida com palavras, parábolas, conselhos, sermões; mas oitenta por cento de Sua mensagem estava no que Ele fazia, curando, consolando, confortando, sendo solidário com as pessoas; Seu olhar, Sua presença, as obras de Jesus revelam a Sua grande mensagem, revelam a Sua grande missão: de Messias, Salvador. Quando perguntaram para Ele se o Reino estava para chegar, Ele disse: "Olhem o que está acontecendo, os cegos veem, os surdos ouvem, os paralíticos andam, o Reino chegou". (Jo 10,31-42) 
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Jo 10,31-42)


Procuravam prender Jesus, mas ele escapou-lhes das mãos.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 10,31-42

Naquele tempo, os judeus pegaram pedras para apedrejar Jesus. E ele lhes disse: "Por ordem do Pai, mostrei-vos muitas obras boas. Por qual delas me quereis apedrejar?"
Os judeus responderam: "Não queremos te apedrejar por causa das obras boas, mas por causa de blasfêmia, porque sendo apenas um homem, tu te fazes Deus!" Jesus disse: "Acaso não está escrito na vossa Lei: 'Eu disse: vós sois deuses'?
Ora, ninguém pode anular a Escritura: se a Lei chama deuses as pessoas às quais se dirigiu a palavra de Deus, por que então me acusais de blasfêmia, quando eu digo que sou Filho de Deus, eu a quem o Pai consagrou e enviou ao mundo? Se não faço as obras do meu Pai, não acrediteis em mim. Mas, se eu as faço, mesmo que não queirais acreditar em mim, acreditai nas minhas obras, para que saibais e reconheçais que o Pai está em mim e eu no Pai".
Outra vez procuravam prender Jesus, mas ele escapou das mãos deles. Jesus passou para o outro lado do Jordão, e foi para o lugar onde, antes, João tinha batizado. E permaneceu ali. Muitos foram ter com ele, e diziam: "João não realizou nenhum sinal, mas tudo o que ele disse a respeito deste homem, é verdade". E muitos, ali, acreditaram nele.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

SOU O FILHO DE DEUS - Por que as obras e os sinais que Jesus realizava não convenciam os judeus, ou um grupo específico de judeus? Talvez, por uma razão muito simples: eles queriam outros sinais, sinais que fossem ao encontro de tudo aquilo que esperavam, conheciam ou estudavam sobre o Messias. Será que não é esta, também, a nossa grande tentação? Queremos Deus, mas um "deus" que se ajuste aos nossos modelos e responda às nossas expectativas. Tenho pena desse "deus", e mais ainda desses homens. O Deus verdadeiro vai além, muito além de nossas vãs expectativas!

É Tempo de Recomeçar!
Este é o governo de Elídio Queiroz


Saúde, democracia, direito e financiamento do SUS foram temas centrais da 6ª Conferência Municipal de Saúde de Jardim de Piranhas, realizada nesta quarta-feira, 10, no Centro Social Padre João Maria. O objetivo desse encontro foi impulsionar, reafirmar e buscar a efetividade dos princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde, garantido na Constituição e Lei Orgânica do município.
Na abertura, a secretária de Saúde Cristieli Queiroz destacou a necessidade de fortalecer o controle social e garantir as formas de participação dos diversos setores da sociedade no Sistema. Logo após, o fisioterapeuta Frankly Eudes Souza Martins e o coordenador de Atenção Básica George Soares apresentaram, respectivamente, os eixos temáticos da Conferência: Saúde como direito, consolidação dos princípios do SUS e Financiamento adequado e suficiente para o SUS.
O momento também serviu para apresentar os resultados positivos desenvolvidos a partir das reivindicações da última Conferência, realizada há quatro anos. Entre os presentes estiveram ainda a presidente do Conselho Nacional de Saúde, Simone Pereira, a secretária municipal de Ação Social, Alcicleide Almeida, a secretária municipal de Educação, Ália Eine Queiroz Damásio, o presidente da Câmara Municipal Gutemberg Dantas de Queiroz e o vereador Ivaci Queiroz.
É Tempo de Recomeçar!
Este é o governo de Elídio Queiroz
A mentira é o princípio do pecado que escraviza; a verdade é o caminho da graça que liberta. Jesus disse: "Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará". Esse é o caminho da salvação, mas a perdição vem pela corrupção, pela mentira tão frequente no nosso mundo de hoje, também no mundo virtual, feito de tantas e tantas mentiras, arquitetadas pelo demônio, que finalmente aprendeu a usar o celular e provoca o encaminhamento, a viralização de muitas mentiras, porque ele quer nos levar à perdição; anunciar a verdade nesse nosso mundo, tão virtual, é um jeito novo de combater o mal e de anunciar que a salvação passa pela verdade que liberta. (Jo 8,31-42) 

Pe. Joãozinho, scj

Evangelho (Jo 8,31-42)

Se o Filho vos libertar, sereis verdadeiramente livres.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 8,31-42

Naquele tempo, Jesus disse aos judeus que nele tinham acreditado: "Se permanecerdes na minha palavra, sereis verdadeiramente meus discípulos, e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará". Responderam eles: "Somos descendentes de Abraão, e nunca fomos escravos de ninguém. Como podes dizer: 'Vós vos tornareis livres'?"
Jesus respondeu: "Em verdade, em verdade vos digo, todo aquele que comete pecado é escravo do pecado. O escravo não permanece para sempre numa família, mas o filho permanece nela para sempre. Se, pois, o Filho vos libertar, sereis verdadeiramente livres. Bem sei que sois descendentes de Abraão; no entanto, procurais matar-me, porque a minha palavra não é acolhida por vós. Eu falo o que vi junto do Pai; e vós fazeis o que ouvistes do vosso pai".
Eles responderam então: "Nosso pai é Abraão". Disse-lhes Jesus: "Se sois filhos de Abraão, praticai as obras de Abraão! Mas agora, vós procurais matar-me, a mim, que vos falei a verdade que ouvi de Deus. Isto, Abraão não o fez. Vós fazeis as obras do vosso pai".
Disseram-lhe, então: "Nós não nascemos do adultério, temos um só pai: Deus". Respondeu-lhes Jesus: "Se Deus fosse vosso Pai, certamente me amaríeis, porque de Deus é que eu saí, e vim. Não vim por mim mesmo, mas foi ele que me enviou".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

ESCRAVIDÃO E LIBERDADE - Retomemos, como discípulos aos pés do Mestre, as seguintes palavras do Evangelho de hoje: "Se permanecerdes na minha palavra, sereis meus verdadeiros discípulos; conhecereis a verdade e a verdade vos livrará". Que sentido têm para nós as palavras "permanecer", "discípulos", "verdade" e "liberdade"? Conseguimos, no nosso dia a dia, vivenciar seu real sentido? Será que não esvaziamos com uma certa facilidade as palavras de Jesus?
Existem verdades que não entendemos à força de palavras de amor, apenas pelas lições da dor. As pessoas do tempo de Jesus tinham o Mestre, o Homem Deus, o Profeta dos profetas, a Luz da luz, o Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, e não O reconheciam; e então Ele disse: "Agora vocês não entendem, mas quando tiverdes elevado o Filho do Homem, então sabereis que Eu Sou". De fato, muitos só entenderam a verdade quando Jesus já pendia naquela cruz, alguém só reconheceu no momento em que traspassou do lado com uma lança e saiu sangue e água, então olhando para o elevado da terra, o traspassado, o crucificado, reconheceu: "Verdadeiramente este homem era Filho de Deus". (Jo 8,21-30) 

Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Jo 8,21-30)

Quando tiverdes elevado o Filho do Homem, então sabereis que eu sou.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 8,21-30

Naquele tempo disse Jesus aos fariseus: "Eu parto e vós me procurareis, mas morrereis no vosso pecado. Para onde eu vou, vós não podeis ir". Os judeus comentavam: "Por acaso, vai-se matar? Pois ele diz: 'Para onde eu vou, vós não podeis ir'?"
Jesus continuou: "Vós sois daqui debaixo, eu sou do alto. Vós sois deste mundo, eu não sou deste mundo. Disse-vos que morrereis nos vossos pecados, porque, se não acreditais que eu sou, morrereis nos vossos pecados".
Perguntaram-lhe pois: "Quem és tu, então?" Jesus respondeu: "O que vos digo, desde o começo. Tenho muitas coisas a dizer a vosso respeito, e a julgar também. Mas aquele que me enviou é fidedigno, e o que ouvi da parte dele é o que falo para o mundo". Eles não compreenderam que lhes estava falando do Pai. Por isso, Jesus continuou: "Quando tiverdes elevado o Filho do Homem, então sabereis que eu sou, e que nada faço por mim mesmo, mas apenas falo aquilo que o Pai me ensinou. Aquele que me enviou está comigo. Ele não me deixou sozinho, porque sempre faço o que é de seu agrado". Enquanto Jesus assim falava, muitos acreditaram nele.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:

O QUE VEM DO ALTO - Enquanto estivermos com os olhos, ouvidos e coração fechados, estaremos, a exemplo dos Judeus do tempo de Jesus, perguntando: "Quem és tu?". Diante disso, podemos imaginar como foi difícil para Jesus evangelizar. Aliás, como é difícil evangelizar pessoas que estão completamente fechadas! Mas Jesus e todos os evangelizadores têm um grande consolo: "Aquele que me enviou está comigo; Ele não me deixou sozinho, porque faço sempre o que é do seu agrado". Obrigado, Pai do Céu, por estar ao nosso lado pelos caminhos da humanidade.
Nunca negue suas origens: o lugar de onde você veio faz parte de você. Jesus dizia com muita insistência que Ele veio do Pai, que Ele veio do Céu e voltava para lá, que era o Pai quem dava testemunho Dele; aliás, Ele disse: "Quem me vê, vê o Pai". Cada um de nós tem um lugar de origem: alguns vieram do interior, mas querem parecer gente da cidade, o interior sempre morará em você; você pode até sair da roça, mas que a roça nunca saia de você, e se você veio do sul não queira parecer do norte, e você veio de um lugar rico, por que se disfarçar de pobre? E se você nasceu pobre por que negar a sua origem humilde? Tenha orgulho do lugar de onde você veio. (Jo 8,12-20)
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Jo 8,12-20)

Glória a vós, Senhor Jesus, primogênito dentre os mortos!
Não quero a morte do pecador, diz o Senhor, mas que ele volte, se converta e tenha vida.

Naquele tempo, disse Jesus aos fariseus: "Eu sou a luz do mundo. Quem me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida". Então os fariseus disseram: "O teu testemunho não vale, porque estás dando testemunho de ti mesmo". Jesus respondeu: "Ainda que eu dê testemunho de mim mesmo, o meu testemunho é válido, porque sei de onde venho e para onde vou. Mas vós não sabeis donde venho, nem para onde vou. Vós julgais segundo a carne, eu não julgo ninguém, e se eu julgo, o meu julgamento é verdadeiro, porque não estou só, mas comigo está o Pai, que me enviou. Na vossa Lei está escrito que o testemunho de duas pessoas é verdadeiro. Ora, eu dou testemunho de mim mesmo e também o Pai, que me enviou, dá testemunho de mim".
Perguntaram então: "Onde está o teu Pai?" Jesus respondeu: "Vós não conheceis nem a mim, nem a meu Pai. Se me conhecêsseis, conheceríeis também meu Pai".
Jesus disse estas coisas, enquanto estava ensinando no Templo, perto da sala do tesouro. E ninguém o prendeu, porque a hora dele ainda não havia chegado.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
CAMINHANDO NA LUZ - Ao autoproclamar-se "luz do mundo", Jesus reconhecia que este, marcado pelo pecado, não tinha como salvar-se por si mesmo. Foi necessário que o Pai enviasse o Filho com a missão de abrir perspectivas novas para a humanidade, a qual se fechara no próprio egoísmo. Portanto, somente por meio de Jesus é possível chegar à salvação. Quando a humanidade deixa-se guiar por esta luz, descobre os caminhos que conduzem à vida. Quando vaga nas trevas, seu destino é a morte. Luz e trevas, vida e morte, condenação e salvação são as opções que todos temos de fazer.
O caminho orientado pela luz da vida comporta duas dimensões. A primeira é a dimensão histórica: consiste em trilhar o caminho do amor, da misericórdia e da solidariedade, no trato mútuo. É a vida manifestada num modo de proceder peculiar, próprio de quem possui a vida divina. A segunda corresponde à vida eterna, à comunhão plena com o Deus da vida.
O caminho de quem prefere as trevas também comporta as mesmas duas dimensões. A primeira consiste numa vida pontilhada de injustiças e de maldade para com o próximo. A segunda, por sua vez, corresponde à ruptura definitiva com o Deus da vida, ou seja, à morte eterna.

É sempre tempo de decidir-se, de acolher a luz oferecida por Jesus e, por ela, caminhar.
SE NÃO PUDER AJUDAR, NÃO ATRAPALHE, seja humilde no julgar. Não fale algo que vá humilhar. Tente escolher palavras positivas, agradáveis, incentivadoras. Se não tiver nada de bom pra dizer, omita-se, cale-se, mas não magoe ninguém! Não jogue sobre as outras pessoas as suas frustrações. Só fale para os outros, o que você gostaria que dissessem para você. Às vezes, a pessoa, só está esperando escutar um simples..."PARABÉNS" ou "VOCÊ FOI CAPAZ "ou "LINDO!", pois escreveu de peito aberto com as palavras vindas do coração!
Tire um tempo para escrever; escreva suas memórias e suas histórias. Guarde seus registros e eternize instantes de graça. Naquele dia, os fariseus estavam ao redor de Jesus, prontos para apedrejar a mulher que havia sido pega em adultério, e antes de dar a resposta Jesus não falou, Ele se inclinou e começou a escrever na terra, o Evangelho não diz o que Ele escreveu, mas o fato é que eles foram indo embora um a um. Existe um momento de falar, mas existe também um momento de escrever, mesmo que sejam pequenos registros; escreva, escrever faz bem. (Jo 8,1-11) 

Pe. Joãozinho, scj

Evangelho (Jo 8,1-11)

'Quem dentre vós não tiver pecado, seja o primeiro a atirar-lhe uma pedra'.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João 8,1-11

Naquele tempo, Jesus foi para o monte das Oliveiras. De madrugada, voltou de novo ao Templo. Todo o povo se reuniu em volta dele. Sentando-se, começou a ensiná-los.
Entretanto, os mestres da Lei e os fariseus trouxeram uma mulher surpreendida em adultério. Colocando-a no meio deles, disseram a Jesus: "Mestre, esta mulher foi surpreendida em flagrante adultério. Moisés, na Lei, mandou apedrejar tais mulheres. Que dizes tu?"
Perguntavam isso para experimentar Jesus e para terem motivo de o acusar. Mas Jesus, inclinando-se, começou a escrever com o dedo no chão. Como persistissem em interrogá-lo, Jesus ergueu-se e disse: "Quem dentre vós não tiver pecado, seja o primeiro a atirar-lhe uma pedra". E, tornando a inclinar-se, continuou a escrever no chão.
E eles, ouvindo o que Jesus falou, foram saindo um a um, a começar pelos mais velhos; e Jesus ficou sozinho, com a mulher que estava lá, no meio do povo.
Então Jesus se levantou e disse: "Mulher, onde estão eles?" Ninguém te condenou?"
Ela respondeu: "Ninguém, Senhor". Então Jesus lhe disse: "Eu também não te condeno. Podes ir, e de agora em diante não peques mais".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
NÃO PEQUES MAIS - "Ninguém te condenou?". Respondeu ela: "Ninguém, Senhor". Disse-lhe então Jesus: "Nem eu te condeno. Vai e não tornes a pecar".
Somos rápidos para atirar pedras, mas lentos ou até parados para acolher, compreender e perdoar. Olhamos os outros de cima para baixo; Deus se inclina e nos olha de baixo para cima… E, com esse olhar, ao contrário de nos condenar, devolve-nos a dignidade de filhos e filhas.
Neste dia, meu Senhor e meu Deus, peço-vos a graça da humildade, da verdade e da compreensão.

Dobrarei minha atenção para não julgar os outros pela aparência ou pelo "ouvir falar".
Não se arrisque nem se deixe intimidar; a prudência é a rainha de todas as virtudes. Mas a prudência não é uma cautela tímida, a prudência é o discernimento, é saber como agir bem, é a arte de decidir corretamente, e a pessoa prudente sabe quando deve se expor para anunciar profeticamente a Palavra de Deus, mesmo colocando em risco sua vida, e quando deve, evitar aquela palavra e aquele lugar; Jesus também fez assim, ameaçado de morte não entrou na cidade, depois entrou, mas discretamente, o Evangelho diz "como que as escondidas", mas logo que teve uma oportunidade, começava a pregar. Jesus é modelo de prudência. (Jo 7,1-2.10.25-30)
Pe. Joãozinho, scj

Evangelho (Jo 7,1-2.10.25-30)

Queriam prendê-lo, mas ainda não tinha chegado a sua hora.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 7,1-2.10.25-30

Naquele tempo, Jesus andava percorrendo a Galileia. Evitava andar pela Judeia, porque os judeus procuravam matá-lo. Entretanto, aproximava-se a festa judaica das Tendas. Quando seus irmãos já tinham subido, então também ele subiu para a festa, não publicamente mas sim como que às escondidas. Alguns habitantes de Jerusalém disseram então: "Não é este a quem procuram matar? Eis que fala em público e nada lhe dizem. Será que, na verdade, as autoridades reconheceram que ele é o Messias? Mas este, nós sabemos donde é. O Cristo, quando vier, ninguém saberá donde ele é".
Em alta voz, Jesus ensinava no Templo, dizendo: "Vós me conheceis e sabeis de onde sou; eu não vim por mim mesmo, mas o que me enviou é fidedigno. A esse, não o conheceis, mas eu o conheço, porque venho da parte dele, e ele foi quem me enviou". Então, queriam prendê-lo, mas ninguém pôs a mão nele, porque ainda não tinha chegado a sua hora.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
MINHA HORA NÃO CHEGOU - A Festa dos Tabernáculos durava sete dias e lembrava os quarenta anos que o povo hebreu caminhou no deserto rumo à Terra Prometida, rumo à libertação. Durante esses dias, os judeus ficavam em tendas, para significar o aspecto transitório da vida e o cuidado de Deus. Eles, e inclusive Jesus, peregrinavam a Jerusalém por ocasião da festa. E é em uma festa dedicada à libertação, à proteção de Deus, que planejam matar o Libertador. Podemos entender, agora, por que, muitas vezes, Deus vem ao nosso encontro de forma despercebida.
A Prefeitura de Jardim de Piranhas, através da Secretaria Municipal de Saúde, realizou nesta quinta-feira, 4, a entrega de 500 lençóis e 100 toalhas de rosto ao Hospital Geral Francisca Pereira Mariz. A Prefeitura atendeu a uma solicitação do Hospital e do Conselho de Saúde para a compra desses materiais. A entrega foi feita pela secretária Cristieli Queiroz e aos diretores da unidade Emanuel Paiva e Lucia Garofa. É Tempo de Recomeçar!
Este é o governo de Elídio Queiroz

Comunicamos aos pais das crianças da catequese, que sábado dia 06 de abril, não haverá encontro em razão de capacitação das catequistas na cidade de Timbaúba dos Batistas.
Por do Sol no meu Seridó é assim...

A Paróquia de Nossa Senhora dos Aflitos, comunica que, no próximo sábado, dia 06 de abril, haverá Preparação para o Batismo, para os pais e padrinhos de vela. A preparação acontecerá na Igreja Matriz, às 15h30. Lembramos que esta será a única preparação durante o mês de abril.
Evite o auto-elogio. Suas obras devem falar por si mesmas. Se ninguém reconhecer saiba que Deus reconhece. Isso basta!
Jesus dizia que o Pai O havia enviados e que o Pai reconhecia Suas obras, e que Ele não fazia nada para agradar as pessoas, mas simplesmente para agradar o Pai. Quando um jogador tem um olho na bola e o outro na torcida, normalmente ele erra; mas quando o jogador tem um olho na bola e o outro no gol, ele vai em direção à meta; a torcida favorável grita gol! A torcida contrária fica triste. Não é possível agradar a todos, basta agradar a Deus! (Jo 5,31-47)
Pe. Joãozinho, scj

Evangelho (Jo 5,31-47)

Há alguém que vos acusa: Moisés, no qual colocais a vossa esperança.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 5,31-47

Naquele tempo, disse Jesus aos judeus: “Se eu der testemunho de mim mesmo, meu testemunho não vale. Mas há um outro que dá testemunho de mim, e eu sei que o testemunho que ele dá de mim é verdadeiro. Vós mandastes mensageiros a João, e ele deu testemunho da verdade. Eu, porém, não dependo do testemunho de um ser humano. Mas falo assim para a vossa salvação. João era uma lâmpada que estava acesa e a brilhar, e vós com prazer vos alegrastes por um tempo com a sua luz.
Mas eu tenho um testemunho maior que o de João; as obras que o Pai me concedeu realizar. As obras que eu faço dão testemunho de mim, mostrando que o Pai me enviou. E também o Pai que me enviou dá testemunho a meu favor. Vós nunca ouvistes sua voz, nem vistes sua face, e sua palavra não encontrou morada em vós, pois não acreditais naquele que ele enviou. Vós examinais as Escrituras, pensando que nelas possuís a vida eterna. No entanto, as Escrituras dão testemunho de mim, mas não quereis vir a mim para ter a vida eterna! Eu não recebo a glória que vem dos homens. Mas eu sei que não tendes em vós o amor de Deus. Eu vim em nome do meu Pai, e vós não me recebeis. Mas, se um outro viesse em seu próprio nome, a este vós o receberíeis.
Como podereis acreditar, vós que recebeis glória uns dos outros e não buscais a glória que vem do único Deus? Não penseis que eu vos acusarei diante do Pai. Há alguém que vos acusa: Moisés, no qual colocais a vossa esperança. Se acreditásseis em Moisés, também acreditaríeis em mim, pois foi a respeito de mim que ele escreveu. Mas se não acreditais nos seus escritos, como acreditareis então nas minhas palavras?”
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

REFLEXÃO SOBRE O EVANGELHO:
VIM EM NOME DO MEU PAI - O Evangelho de hoje é extremamente questionador, pois une obra e testemunho e testemunho e obra. Isso parece muito singelo, mas é nessa unidade que reside a autenticidade de nossa fé. Ser luz, a exemplo de João Batista, é viver essa unidade. Jesus também foi muito questionado pelos seus contemporâneos acerca dessa unidade em sua vida.
Inscrições podem ser feitas até o próximo dia 16. Há vagas para níveis fundamental incompleto e completo, médio e superior.
A Prefeitura de Jardim de Piranhas, na Região do Seridó do RN, abriu concurso público com oferta de vagas nas áreas de educação, assistência social, saúde e prestação de serviços. O menor salário é de R$ 998 e o maior chega a R$ 10 mil. As vagas são para os níveis fundamental incompleto e completo, médio e superior e o edital do concurso está disponível no no site da Funcern, responsável pela prova.
As inscrições podem ser feitas desde o dia 27 de março e vão até o próximo dia 16 de abril. As provas serão aplicadas no dia 5 de maio.
As taxas de inscrições variam. Para cargos de nível fundamental completo e incompleto, o custo é de R$ 80. Para nível médio, o preço é de R$ 100. A inscrição para cargos de nível superior custa R$ 120.
As vagas de nível fundamental incompleto são para auxiliar de serviços gerais, calceteiro, coveiro, pedreiro, servente de pedreiro e soldador. As vagas para nível fundamental são para merendeiro, motorista (categoria D), motorista de transporte escolar, vigilante e cozinheiro, agente comunitário de saúde (Novo Jardim), agente comunitário de saúde (Santa Cecília), agente de combate às endemias, eletricista, operador de bomba hidráulica e operador de trator de pneus.
Para o nível médio, as vagas são de agente de administração, atendente de consultório dentista, atendente de farmácia, digitador, fiscal de vigilância, sanitária, motorista de ambulância, recepcionista, técnico de enfermagem, técnico em informática, técnico em análises de laboratório e fiscal de disciplina.
Os cargos oferecidos para nível superior são de arquiteto e urbanista, assistente social, bibliotecário, educador físico, farmacêutico/bioquímico, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, médico, médico veterinário, nutricionista, nutricionista visa, odontólogo terapeuta ocupacional e enfermeiro.
O edital do concurso público explica que a jornada de trabalho varia de 10 a 40 horas semanais ou por escala de plantão, respeitada as exceções contidas em legislação específica e observada a proporção entre a carga horária cumprida e remuneração fixada para o cargo.
Sempre haverá alguém para o criticar; agradeça seus críticos, pois eles fazem você crescer. Naquele dia Jesus estava cercado de críticos, mas também de admiradores; os publicanos, os pecadores, admiravam Jesus, queriam ouvir suas palavras de sabedoria; mas os fariseus, os mestres da lei, os doutores, faziam críticas amargas: "Este homem acolhe os pecadores, faz refeição com eles". E foi, então, que Jesus contou a parábola do filho pródigo ou do pai misericordioso, mas antes de contar a parábola Ele escutou as críticas. Jesus ouvia os elogios dos admiradores, mas dava atenção também às críticas, mesmo que às vezes fossem amargas demais. (Lc 15,1-3.11-32)
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Lc 15,1-3.11-32)

Este teu irmão estava morto e tornou a viver.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 15,1-3.11-32

Naquele tempo, os publicanos e pecadores aproximavam-se de Jesus para o escutar. Os fariseus, porém, e os mestres da Lei criticavam Jesus: "Este homem acolhe os pecadores e faz refeição com eles". Então Jesus contou-lhes esta parábola:
"Um homem tinha dois filhos. O filho mais novo disse ao pai: 'Pai, dá-me a parte da herança que me cabe'. E o pai dividiu os bens entre eles.
Poucos dias depois, o filho mais novo juntou o que era seu e partiu para um lugar distante. E ali esbanjou tudo numa vida desenfreada. Quando tinha gasto tudo o que possuía, houve uma grande fome naquela região, e ele começou a passar necessidade.
Então foi pedir trabalho a um homem do lugar, que o mandou para seu campo cuidar dos porcos. O rapaz queria matar a fome com a comida que os porcos comiam, mas nem isto lhe davam.
Então caiu em si e disse: 'Quantos empregados do meu pai têm pão com fartura, e eu aqui, morrendo de fome. Vou-me embora, vou voltar para meu pai e dizer-lhe: Pai, pequei contra Deus e contra ti; já não mereço ser chamado teu filho. Trata-me como a um dos teus empregados'.
Então ele partiu e voltou para seu pai. Quando ainda estava longe, seu pai o avistou e sentiu compaixão. Correu-lhe ao encontro, abraçou-o, e cobriu-o de beijos.
O filho, então, lhe disse: 'Pai, pequei contra Deus e contra ti. Já não mereço ser chamado teu filho'.
Mas o pai disse aos empregados: 'Trazei depressa a melhor túnica para vestir meu filho. E colocai um anel no seu dedo e sandálias nos pés. Trazei um novilho gordo e matai-o. Vamos fazer um banquete. Porque este meu filho estava morto e tornou a viver; estava perdido e foi encontrado'. E começaram a festa.
O filho mais velho estava no campo. Ao voltar, já perto de casa, ouviu música e barulho de dança. Então chamou um dos criados e perguntou o que estava acontecendo.
O criado respondeu: 'É teu irmão que voltou. Teu pai matou o novilho gordo, porque o recuperou com saúde'.
Mas ele ficou com raiva e não queria entrar. O pai, saindo, insistia com ele. Ele, porém, respondeu ao pai: 'Eu trabalho para ti há tantos anos, jamais desobedeci a qualquer ordem tua. E tu nunca me deste um cabrito para eu festejar com meus amigos. Quando chegou esse teu filho, que esbanjou teus bens com prostitutas, matas para ele o novilho cevado'.
Então o pai lhe disse: 'Filho, tu estás sempre comigo, e tudo o que é meu é teu. Mas era preciso festejar e alegrar-nos, porque este teu irmão estava morto e tornou a viver; estava perdido, e foi encontrado'".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
A MESQUINHEZ CENSURADA - "Estava ainda longe, quando seu pai o viu e, movido de compaixão, correu-lhe ao encontro, o abraçou e o beijou".
Esta passagem bíblica encanta, emociona e desafia. Deus não suporta ver seus filhos longe dele. Seu abraço, seu beijo e sua compaixão são eternos e atingiram a plenitude na encarnação, paixão, morte e ressurreição de Jesus. Deus corre ao nosso encontro!
"Meu pai, pequei contra o céu e contra ti; já não sou digno de ser chamado vosso filho".
Procurarei ser para o meu próximo, de modo especial o que está ferido, o abraço e o beijo de Deus.

Exercite a síntese, o resumo; se puder dizer tudo em três palavras, evite o discurso de três horas. Um escriba chegou para Jesus e perguntou: "Qual é o resumo da Bíblia? O primeiro dos mandamentos?" Jesus, conhecendo a Lei e os profetas, disse: "Amarás a Deus com toda tua alma, todo teu entendimento, todas as tuas forças e o segundo mandamento é amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não existe outro mandamento maior do que estes". E aquele mestre, aquele escriba, ficou impressionado; a conversa continuou, mas Jesus começou com uma palavra, uma frase, um resumo; se puder exercitar a síntese, evite a multiplicação de palavras. (Mc 12,28-34)
Pe. Joãozinho, scj

Evangelho (Mc 12,28b-34)

Amarás o Senhor teu Deus. Amarás o teu próximo.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo escrito por Marcos 12,28b-34

Naquele tempo, um escriba aproximou-se de Jesus e perguntou: "Qual é o primeiro de todos os mandamentos?" Jesus respondeu: "O primeiro é este: Ouve, ó Israel! O Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e com toda a tua força! O segundo mandamento é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo! Não existe outro mandamento maior do que estes".
O mestre da Lei disse a Jesus: "Muito bem, Mestre! Na verdade, é como disseste: Ele é o único Deus e não existe outro além dele. Amá-lo de todo o coração, de toda a mente, e com toda a força, e amar o próximo como a si mesmo é melhor do que todos os holocaustos e sacrifícios".
Jesus viu que ele tinha respondido com inteligência, e disse: "Tu não estás longe do Reino de Deus". E ninguém mais tinha coragem de fazer perguntas a Jesus.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
A PRIMAZIA DO AMOR - Hoje, a meditação será feita por cada um dos estimados e dedicados leitores. Leiamos atentamente o Evangelho proposto e, depois, em silêncio e longe de toda perturbação interna e externa, rezemos e reflitamos sobre o primeiro de todos os Mandamentos: "Ouve, Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor; amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu espírito e de todas as tuas forças”. Para ajudar na meditação, façamos a seguinte pergunta: o que me é mais difícil na prática desse Mandamento?
Educar é gerar uma pessoa no útero do saber. Professores e catequistas são pais e mães dos seus educandos. O pai, a mãe na carne geraram um dia seus filhos e deram à luz; mas ao longo desta vida muitas pessoas nos iluminam com seus saberes, com sua experiência, com seu exemplo e nos educam para sairmos de dentro de nós mesmos, para irmos ao encontro das pessoas, aprendemos habilidades e competências; precisamos que alguém nos eduque, nos ensine e esse catequista, essa professora, de alguma maneira, é alguém que podemos chamar de pai, de mãe. (Mt 5,17-19)
Pe. Joãozinho, scj

Evangelho (Mt 5,17-19)

Aquele que praticar e ensinar os mandamentos, este será considerado grande.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 5,17-19

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Não penseis que vim abolir a Lei e os Profetas". Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento. Em verdade, eu vos digo: antes que o céu e a terra deixem de existir, nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da Lei, sem que tudo se cumpra.
Portanto, quem desobedecer a um só desses mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será considerado o menor no Reino dos Céus. Porém, quem os praticar e ensinar será considerado grande no Reino dos Céus.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
O CUMPRIMENTO DA LEI - Ser grande no Reino dos Céus não é uma questão de ter, mas sim, uma questão de saber "guardar" e "ensinar" os mandamentos. Mas estejamos bem atentos, à ordem das ações: primeiro, devemos guardar para depois ensinar; ou seja, primeiro, devemos fazer a experiência dos mandamentos, sentir as suas consequências em nossa vida, para, depois, ensiná-los. Agindo assim, fugimos do farisaísmo e atingimos a estatura própria de discípulos, isto é, a imitação do Mestre. Agora, podemos entender a afirmação de Jesus: "Não julgueis que vim abolir a Lei ou os Profetas".
O projeto SONHAR E VENCER (PSVER) que atende mais de 200 crianças e adolescentes, coordenado pelo treinador Tyko Fernandes, foi contemplado com material esportivo como bolas, coletes, cones etc, entregues pela Secretaria Municipal de Esporte e também adquiridos com recursos doados pela Justiça (transações penais - modalidade prestação pecuniária), através de Alvará Judicial concedido pelo Fórum Municipal Dr. João Marinho. O Clube CAP também é parceiro do projeto.
É Tempo de Recomeçar!
Este é o governo de Elídio Queiroz
Ó Cristo, ensina-nos a nunca termos vergonha da tua Cruz!
Papa Francisco
O perdão é um remédio que cura o coração; mas é preciso repetir todos os dias essa terapia para ficar totalmente curado. Alguém um dia perguntou para Jesus: "Quantas vezes devo perdoar o meu irmão, que me ofende?" E até arriscou: "Quem sabe sete vezes?" Ele pensava que era muito, mas Jesus foi além, disse: "Não Pedro, Eu não te digo sete vezes, mas setenta vezes sete", que na linguagem bíblica significa sempre. Aquele remédio que você toma todos os dias, no mesmo horário e na mesma dose pode curar você de algum tipo de doença, outras exigem que você toma esse remédio por toda a vida, assim é o perdão, repita todos os dias: "Eu perdoo você, que me ofendeu", diga interiormente e isso irá curar o seu coração. (Mt 18,21-35)
Pe. Joãozinho, scj

Evangelho (Mt 18,21-35)

Não te digo perdoar até sete vezes, mas até setenta vezes sete.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 18,21-35.

Naquele tempo, Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou:
"Senhor, quantas vezes devo perdoar, se meu irmão pecar contra mim? Até sete vezes?" Jesus respondeu: "Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete. Porque o Reino dos Céus é como um rei que resolveu acertar as contas com seus empregados. Quando começou o acerto, trouxeram-lhe um que lhe devia uma enorme fortuna. Como o empregado não tivesse com que pagar, o patrão mandou que fosse vendido como escravo, junto com a mulher e os filhos e tudo o que possuía, para que pagasse a dívida.
O empregado, porém, caiu aos pés do patrão, e prostrado, suplicava: 'Dá-me um prazo! e eu te pagarei tudo'. Diante disso, o patrão teve compaixão, soltou o empregado e perdoou-lhe a dívida.
Ao sair dali, aquele empregado encontrou um dos seus companheiros que lhe devia apenas cem moedas. Ele o agarrou e começou a sufocá-lo, dizendo: 'Paga o que me deves'. O companheiro, caindo aos seus pés, suplicava: 'Dá-me um prazo! e eu te pagarei'. Mas o empregado não quis saber disso. Saiu e mandou jogá-lo na prisão, até que pagasse o que devia.
Vendo o que havia acontecido, os outros empregados ficaram muito tristes, procuraram o patrão e lhe contaram tudo. Então o patrão mandou chamá-lo e lhe disse: 'Empregado perverso, eu te perdoei toda a tua dívida, porque tu me suplicaste. Não devias tu também, ter compaixão do teu companheiro, como eu tive compaixão de ti?' O patrão indignou-se e mandou entregar aquele empregado aos torturadores, até que pagasse toda a sua dívida.
É assim que o meu Pai que está nos céus fará convosco, se cada um não perdoar de coração ao seu irmão".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
SEMPRE DISPOSTO A PERDOAR - "Dá-me um prazo e eu te pagarei tudo! Cheio de compaixão, o senhor o deixou ir embora e perdoou-lhe a dívida". Assim é nosso Deus, um Pai que é só compaixão. Perdoar não é uma questão de "quantas vezes", mas uma questão de compaixão, de entender a miséria do outro. Quando não perdoamos as pessoas, criamos duas prisões: uma para quem nos ofendeu, aprisionando-o na sua própria culpa; outra para nós, aprisionando nossa capacidade de amar, de praticar gestos divinos. Mas, todas as vezes que perdoamos, afeiçoamo-nos mais ao nosso Deus.

Todos nós precisamos de um colo, de um ventre para sermos recriados na graça de Deus, "Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus" (Lucas 1, 31).
O Espírito Santo nos cobre com sua sombra, nos protege e agracia; nele somos transfigurados. Maria recebeu a visita de um anjo, que lhe deu uma grande notícia: "Serás a mãe de Deus, de Jesus, o Salvador da humanidade", ela ficou feliz, mas com uma dúvida e perguntou: "Como acontecerá isso"? E o anjo respondeu: "O Espírito virá sobre ti e o poder do Altíssimo te cobrirá com Sua sombra". Precisamos deixar que esta sombra nos cubra também, como aqueles discípulos no Tabor, foram envolvidos pela nuvem da transfiguração, esse Espírito nos torna gente fecunda, para germinar o Reino de Deus aqui na terra e sorrir como Jesus sorria e viver como Jesus viveu. (Lc 1,26-38)
Pe. Joãozinho, scj

Evangelho (Lc 1,26-38)

Eis que conceberás e darás à luz um filho.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 1,26-38

Naquele tempo, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia, chamada Nazaré, a uma virgem, prometida em casamento a um homem chamado José. Ele era descendente de Davi e o nome da Virgem era Maria. O anjo entrou onde ela estava e disse: "Alegra-te, cheia de graça, o Senhor está contigo!"
Maria ficou perturbada com estas palavras e começou a pensar qual seria o significado da saudação. O anjo, então, disse-lhe: "Não tenhas medo, Maria, porque encontraste graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus. Ele será grande, será chamado Filho do Altíssimo, e o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi. Ele reinará para sempre sobre os descendentes de Jacó, e o seu reino não terá fim".
Maria perguntou ao anjo: "Como acontecerá isso, se eu não conheço homem algum?" O anjo respondeu: "O Espírito virá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com sua sombra. Por isso, o menino que vai nascer será chamado Santo, Filho de Deus. Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice. Este já é o sexto mês daquela que era considerada estéril, porque para Deus nada é impossível". Maria, então, disse: "Eis aqui a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra!" E o anjo retirou-se.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
MARIA, CHEIA DE GRAÇA - Celebrar a Anunciação do Senhor é celebrar o encontro do céu com a terra. A vontade salvífica de Deus encontra receptividade no "sim” e no seio virginal de Maria. Nela, a humanidade aceita gerar o Salvador, e é chegada, assim, a "plenitude dos tempos”. Fica, portanto, para todos nós que amamos a Mãe do Céu uma pergunta: Por que tantos insistem em minimizar, ou até negar, a livre participação de nossa querida Mãe na realização do plano da Salvação? Anunciar Jesus sem Maria e Maria sem Jesus é esvaziar a Boa Nova.
Foram entregues na tarde da última quinta-feira (21) pela Secretaria Municipal de Esportes, diversos materiais esportivos como luvas, bolas, cones, apitos, para o projeto "FECHAGOL" que irá beneficiar atletas em formação no nosso município. O projeto que tem como objetivo a formação de futuros goleiros é uma idealização do professor Jafet e conta com a parceria do Clube Cap. Os recursos para obtenção do material foram oriundos da Justiça (transações penais - modalidade prestação pecuniária), através de Alvará Judicial concedido pelo Forum Municipal Dr. João Marinho a quem deixamos os nossos sinceros agradecimentos.