Evite alimentar conversas privadas em público! Tudo tem seu grau de intimidade. Veja, por exemplo, aquele dia em que dois cegos gritavam atrás de Jesus: "Tem piedade de nós, Filho de Davi!" Eles queriam uma conversa ao pé do ouvido. E Jesus esperou que entrassem na casa, junto com Ele; e então, de maneira íntima, privada, perguntou: "O que eu posso fazer por vocês? Vocês acreditam que eu posso curar"? E eles responderam: "Sim, Senhor"! E, então, de maneira muito íntima, Jesus tocou nos seus olhos e disse: "Faça-se conforme a vossa fé"! E os olhos se abriram e eles foram curados e, ainda mais, Jesus disse: "Tomem cuidado para que ninguém fique sabendo!" Mas eles não entenderam a lição da privacidade e saíram espalhando a fama de Jesus por toda a região. Entenda os valores da intimidade (Mt 9,27-31). 
Pe. Joãozinho, scj

Evangelho (Mt 9,27-31)

Dois cegos, crendo em Jesus, são curados.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 9,27-31

Naquele tempo, partindo Jesus, dois cegos o seguiram, gritando: "Tem piedade de nós, filho de Davi!" Quando Jesus entrou em casa, os cegos se aproximaram dele. Então Jesus perguntou-lhes: "Vós acreditais que eu posso fazer isso?"
Eles responderam: "Sim, Senhor". Então Jesus tocou nos olhos deles, dizendo: "Faça-se conforme a vossa fé". E os olhos deles se abriram. Jesus os advertiu severamente: "Tomai cuidado para que ninguém fique sabendo". Mas eles saíram, e espalharam sua fama por toda aquela região.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão do Evangelho:
A CURA PELA FÉ - Talvez ainda não estejamos nos preparando bem para a chegada do Menino Deus. Pode ser que já estejamos adquirindo os ingredientes para a ceia de Natal e inclusive comprado roupas novas para a família e presentes para nossos amigos, quando o que importa é que a manjedoura de nosso coração esteja limpa, e tenhamos tirado toda a sujeira do pecado. Às vezes, porém, estamos cegos para a luz de Cristo, cegos para acertar o passo pelo caminho de Jesus. Então precisamos insistir em nossas humildes preces que Ele abra nossos olhos para compreendermos que, sem isso (que é o mais importante), ceia, roupas e presentes não têm nenhum sentido. Quando pedimos perdão de nossos pecados, não calando a voz de nossa consciência (que é a voz de Deus), e confessamo-nos, limpando nossa alma da sujeira do pecado, então, sim, poderemos espalhar por toda parte nossa satisfação. Cearemos com a família e os amigos, e trocaremos presentes, com uma alegria que nasce do nosso íntimo, pois o Menino Jesus terá nascido em nossos corações!

 

O discernimento é uma virtude essencial para viver bem. Aprenda a discernir! Converse com os mais idosos, procure descobrir como é que eles tomam uma boa decisão! Não é natural decidir bem, decidir de modo correto. Não nascemos com o discernimento! É a vida que ensina a viver. E existem critérios de discernimento. Nós sabemos discernir os sinais do tempo, sabemos quando chega o verão, quando chega o inverno, quando vai chover, quando aquela árvore vai florescer ou quando o fruto vai amadurecer. Tudo isso é um discernimento. Assim como discernimos os sinais do tempo, precisamos discernir os sinais dos tempos quando Deus nos ensina por onde levar a nossa vida (Lc 21,29-33).Pe. Joãozinho, scj

Evangelho (Lc 21,29-33)

Quando virdes acontecer essas coisas, ficai sabendo que o Reino de Deus está perto.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 21,29-33

Naquele tempo, Jesus contou-lhes uma parábola: "Olhai a figueira e todas as árvores. Quando vedes que elas estão dando brotos, logo sabeis que o verão está perto. Vós também, quando virdes acontecer essas coisas, ficai sabendo que o Reino de Deus está perto. Em verdade, eu vos digo: tudo isso vai acontecer antes que passe esta geração. O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
PALAVRA IRREVOGÁVEL - O Reino de Deus está perto de nós quando, usando nossa liberdade, resolvemos nos abrir à sua Palavra. Jesus nos garante: "Passarão o céu e a terra, mas as minhas palavras não passarão" (v. 33). A Palavra de Deus tem uma força tão grande que, não obstante nós a lermos várias vezes, sempre nos apresenta ideias novas, visando à nossa conversão. O profeta Isaías diz: "Tal como a chuva e a neve caem do céu e para lá não volvem sem ter regado a terra, sem a ter fecundado e feito germinar as plantas, sem dar o grão a semear e o pão a comer, assim acontece à palavra que minha boca profere: não volta sem ter produzido seu efeito" (Is 55,10-11). Quando a lemos ou ouvimos, sempre há alguma mensagem que nos toca o coração. Sobre ela devemos meditar, aplicando-a a nós. Brotam, em seguida, os propósitos que queremos fazer; mas, para que estes sejam eficazes, isto é, para que os levemos para a vida diária, é indispensável que, antes, peçamos as bênçãos a Deus, de quem vem toda a graça, a fim de que tenhamos força para fazermos, de fato, o que lhe prometemos. Antes de nos deitarmos, façamos um exame de consciência para verificar se estamos sendo fiéis ao que prometemos ao Senhor.

 

 

Não faça o bem esperando retribuição. O amor de verdade é gratuito. Quando não há esta graça nos gestos de amor, esperamos um pagamento. Todo gesto de bem acaba tendo um preço! E se não somos bem pagos com elogios e, às vezes até com dinheiro, ficamos frustrados e, então, reclamamos. Isso não é amor, é uma troca apaixonada, é um comércio! Deus nos amou de graça quando ainda éramos pecadores, e precisamos amar como Deus amou, gratuitamente, por meio do serviço até àqueles que não nos amam (Lc 17,7-10). 
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Lc 17,7-10)

Somos servos inúteis; fizemos o que devíamos fazer.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 17,7-10

Naquele tempo, disse Jesus: "Se algum de vós tem um empregado que trabalha a terra ou cuida dos animais, por acaso vai dizer-lhe, quando ele volta do campo: 'Vem depressa para a mesa?' 8Pelo contrário, não vai dizer ao empregado: 'Prepara-me o jantar, cinge-te e serve-me, enquanto eu como e bebo; depois disso poderás comer e beber?' 9Será que vai agradecer ao empregado, porque fez o que lhe havia mandado? 10Assim também vós: quando tiverdes feito tudo o que vos mandaram, dizei: ‘Somos servos inúteis; fizemos o que devíamos fazer'".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão do Evangelho:
SOMOS SERVOS INÚTEIS - Todas as parábolas que Jesus nos deixou têm a finalidade de fazer-nos entender melhor a natureza do Reino de Deus. Portanto, é natural que algumas delas tenham conteúdos que, naquela época, eram mais bem entendidos por aquele povo. Os "servos", na verdade, eram escravos, tratados de uma maneira completamente diferente dos empregados de hoje. A intenção de Jesus era nos dar uma lição de humildade. Todos temos uma missão, a qual devemos desempenhar, fazendo render o talento que Deus nos confiou e do qual lhe teremos de prestar contas. Ocorre que, quando constatamos que os resultados estão sendo bons, podemos nos encher de orgulho e julgar que o sucesso veio de nossas forças. Há pessoas que, em situações como essa, acham que não precisam mais de Deus e que podem caminhar sozinhas, com as próprias pernas. Ora, nada podemos fazer de bom a não ser pela força do Senhor. Quando nos "desligamos" dele, o resultado é catastrófico. É por isso que Jesus nos diz no Evangelho: "Depois de terdes feito tudo o que vos foi ordenado, dizei: 'Somos servos como quaisquer outros; fizemos o que devíamos fazer'". (v. 10).

Nada se assemelha à alma como a abelha. Ela voa de flor para flor, aquela de estrela para estrela. A abelha traz o mel, como a alma traz a luz. 


 

Somos um Templo aonde habita Deus; é preciso purificá-Lo pela disciplina. Deus nos envia a sua graça, mas é preciso preparar o nosso corpo por meio da ascese, do esforço! E, às vezes, precisamos ser um pouco duros com o nosso corpo: não tenho vontade de caminhar, mas é preciso; nem sempre tenho vontade de alimentar-me com aqueles alimentos saudáveis, mas é fundamental! E, às vezes, esse templo do corpo fica relaxado e acaba adquirindo vícios, se apegando ao ter, ao poder e ao prazer e ao começo do fim. Logo a casa irá cair. Então, é preciso expulsar estes vícios do nosso corpo para que o Templo Santo que Deus nos deu possa colhê-lo de maneira digna (Jo 2,13-22).
Pe. Joãozinho, scj

Evangelho (Jo 2,13-22)

Jesus estava falando do Templo do seu corpo.
+ Leitura do Evangelho de Jesus Cristo segundo João 2,13-22

Estava próxima a Páscoa dos judeus e Jesus subiu a Jerusalém. No Templo, encontrou os vendedores de bois, ovelhas e pombas e os cambistas que estavam aí sentados. Fez então um chicote de cordas e expulsou todos do Templo, junto com as ovelhas e os bois; espalhou as moedas e derrubou as mesas dos cambistas. E disse aos que vendiam pombas: "Tirai isto daqui! Não façais da casa de meu Pai uma casa de comércio!" Seus discípulos lembraram-se, mais tarde, que a Escritura diz: "O zelo por tua casa me consumirá". Então os judeus perguntaram a Jesus: "Que sinal nos mostras para agir assim?" Ele respondeu: "Destruí este Templo, e em três dias o levantarei". Os judeus disseram: "Quarenta e seis anos foram precisos para a construção deste santuário e tu o levantarás em três dias?" Mas Jesus estava falando do Templo do seu corpo. Quando Jesus ressuscitou, os discípulos lembraram-se do que ele tinha dito e acreditaram na Escritura e na palavra dele.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão do Evangelho:
AS COISAS DE DEUS - Em todas as dioceses, há uma igreja que contém a "cátedra" do bispo e que, por isso, é chamada de "catedral". Pois bem, a Basílica de São João de Latrão é a catedral do bispo de Roma, que é o Papa. Comemora-se hoje sua Dedicação ou Consagração, que a tornou um lugar sagrado. Jesus tinha tanto respeito pelo Templo do Senhor que, conforme nos narra o Evangelho de hoje, expulsou os vendedores de animais para os sacrifícios. Reflitamos no Templo espiritual que somos: "Achegai-vos a ele [o Senhor], pedra viva que os homens rejeitaram, mas escolhida e preciosa aos olhos de Deus; e quais outras pedras vivas, vós também vos tornais" (1Pd 2,4-5).


 

Tenha os ouvidos bem abertos para escutar todos os dias os convites de Deus. Logo que acordamos, Ele nos convida para mais um dia, e Ele coloca, neste dia, desafios e também oportunidades. Mas é preciso estar atento para enxergar as oportunidades que Deus nos dá! Às vezes, elas estão escondidas no rosto de uma pessoa sofrida, em alguém que precisa de uma palavra de consolo... Deus se esconde nos pobres e vem até nós convidando para a solidariedade, convidando para o abraço, convidando para a ternura, para o amor, para o socorro! Deus nos convida o tempo inteiro, mas, às vezes, ouvimos e vemos os convites de Deus e não aceitamos (Lc 14,15-24). 
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Lc 14,15-24)

Sai pelas estradas e atalhos, e obriga as pessoas a virem aqui, para que minha casa fique cheia.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 14,15-24


Naquele tempo, um homem que estava à mesa disse a Jesus: "Feliz aquele que come o pão no Reino de Deus!" Jesus respondeu: "Um homem deu um grande banquete e convidou muitas pessoas. Na hora do banquete, mandou seu empregado dizer aos convidados: 'Vinde, pois tudo está pronto'.
Mas todos, um a um, começaram a dar desculpas. O primeiro disse: 'Comprei um campo, e preciso ir vê-lo. Peço-te que aceites minhas desculpas'. 19Um outro disse: 'Comprei cinco juntas de bois, e vou experimentá-las. Peço-te que aceites minhas desculpas'. 20Um terceiro disse: 'Acabo de me casar e, por isso, não posso ir'.
O empregado voltou e contou tudo ao patrão. Então o dono da casa ficou muito zangado e disse ao empregado: 'Sai depressa pelas praças e ruas da cidade. Traze para cá os pobres, os aleijados, os cegos e os coxos'.
O empregado disse: 'Senhor, o que tu mandaste fazer foi feito, e ainda há lugar'. O patrão disse ao empregado: 'Sai pelas estradas e atalhos, e obriga as pessoas a virem aqui, para que minha casa fique cheia'. Pois eu vos digo: nenhum daqueles que foram convidados provará do meu banquete".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão do Evangelho:
O BANQUETE DO REINO - São João Batista, que havia recebido de Deus a missão de preparar a chegada de Jesus, já anunciava: "Fazei penitência porque está próximo o Reino dos Céus". Após a morte de seu Precursor, Jesus se retirou para a Galileia e, em seguida, foi habitar em Cafarnaum. Desde então, Ele começou a pregar: 'Fazei penitência, pois o Reino dos céus está próximo'" (Mt 3,2 e 4,17). Na história contada por Jesus, o homem acabou enchendo a sala da ceia com as pessoas abandonadas, as quais habitualmente ninguém convidava, pois os convidados não vieram por causa de seus negócios, que os impediu de entrar no Reino de Deus. O dinheiro não nos deve impedir de entrar no Reino do Amor. O apego egoísta às riquezas nos afasta do Senhor.

 

 


A vigilância é a mística dos que estão em sintonia com o Deus, que sempre nos surpreende com sua visita. É como aquela pessoa que nós estimamos, que disse que virá nos visitar, mas não revelou, exatamente, o dia nem a hora. Será esta semana! Então, nós preparamos aquela sobremesa, que nós sabemos que a pessoa gosta muito, e deixamos na geladeira. E, quando a visita chega, preparamos a mesa e a acolhemos com um sorriso nos lábios! Assim também, Deus pode nos visitar a qualquer momento, trazendo um milagre ou mesmo nos levando para junto de si. Estamos preparados com as nossas sobremesas no coração? estamos preparados com virtudes exercitadas e vividas! Estamos preparados com a santidade que Deus espera de nós? Vigiai e orai (Lc 12,35-38). 
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Lc 12,35-38)

Felizes os empregados que o senhor encontrar acordados quando chegar.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 12,35-38

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: Que vossos rins estejam cingidos e as lâmpadas acesas. Sede como homens que estão esperando seu senhor voltar de uma festa de casamento, para lhe abrirem, imediatamente, a porta, logo que ele chegar e bater. Felizes os empregados que o senhor encontrar acordados quando chegar. Em verdade, eu vos digo: Ele mesmo vai cingir-se, fazê-los sentar-se à mesa e, passando, os servirá. E caso ele chegue à meia-noite ou às três da madrugada, felizes serão, se assim os encontrar!
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
A VIGILÂNCIA CRISTÃ - Pela parábola contada por Jesus hoje, chegamos à conclusão de que Ele nos pede urgência para pormos em prática seus conselhos sobre a prática do amor: "Vendei o que possuís e dai esmolas; fazei para vós bolsas que não se gastam, um tesouro inesgotável nos céus, aonde não chega o ladrão e a traça não o destrói" (Lc 12,33). Fazer o bem e ajudar os outros vale para todas as religiões e para os ateus também. Todos fomos criados por Deus, somos seus filhos, constituímos uma grande família em que os bens da Criação não podem ser acumulados nas mãos de uns poucos, enquanto nossos irmãos pobres passam necessidade. Todos somos beneficiados pelo calor do sol, sem distinção de cor e religião. Do mesmo modo, há urgência para que os que têm bens os partilhem com quem não tem. Há pressa em se dividir o próprio tempo com nossos familiares para ouvi-los e usufruirmos da beleza enriquecedora da convivência, da troca de ideias, do diálogo... Jesus nos pede pressa em perdoarmos a quem nos ofendeu e em não guardarmos no coração rancores, às vezes, por tantos anos, e até por toda a vida.

 

 

Persevere em suas buscas e projetos. As grandes conquistas são fruto de persistência. Um dia após outro dia, uma ação após outra ação e, às vezes, parece que nada acontece. Aquele cientista ficou solitário no seu laboratório porque todos desistiram de encontrar aquela vacina, que resolveria o problema da humanidade. E, quando ele já ia quase desistindo, descobre o segredo, a solução. Perseverou, persistiu, seguiu o conselho de Jesus: "Pedi e recebereis". Mas peça com insistência! "Buscai e achareis", mas busque com persistência (Lc 11,5-13). 
Pe. Joãozinho, scj

Evangelho (Lc 11,5-13)

Pedi e recebereis.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 11,5-13

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Se um de vós tiver um amigo e for procurá-lo à meia-noite e lhe disser: 'Amigo, empresta-me três pães, 6porque um amigo meu chegou de viagem e nada tenho para lhe oferecer', e se o outro responder lá de dentro: 'Não me incomodes! Já tranquei a porta, e meus filhos e eu já estamos deitados; não me posso levantar para te dar os pães'; 8eu vos declaro: mesmo que o outro não se levante para dá-los porque é seu amigo, vai levantar-se ao menos por causa da impertinência dele e lhe dará quanto for necessário.
Portanto, eu vos digo: pedi e recebereis; procurai e encontrareis; batei e vos será aberto. Pois quem pede recebe; quem procura encontra; e, para quem bate, se abrirá. Será que algum de vós que é pai, se o filho pedir um peixe, lhe dará uma cobra? Ou ainda, se pedir um ovo, lhe dará um escorpião? Ora, se vós que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do céu dará o Espírito Santo aos que o pedirem!"
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão do Evangelho:
A ORAÇÃO PERSEVERANTE - Jesus nos anima a termos confiança em pedir-lhe aquilo de que necessitamos: "Pois – disse Jesus – todo aquele que pede, recebe; aquele que procura, acha, e ao que bater, se lhe abrirá" (v. 10). Mas a quem nós estamos pedindo? Ao Pai, que nos ama infinitamente e conhece nossas necessidades. Antes que lhe peçamos algo, Deus, que tudo conhece e só quer nosso bem, já o sabe: "Nas vossas orações, não multipliqueis as palavras [...] porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes que vós lhe peçais" (Mt 6,7-8)!

 

 

Reconheça valores e virtudes para além do seu grupo, time ou tribo. Certa ocasião, Jesus deu aos discípulos a missão de evangelizar, expulsar demônios, anunciar a verdade. E eles encontraram um grupo, que fazia a mesma coisa e, inclusive, expulsando demônios em nome de Jesus, mas não era do grupo dos apóstolos. E eles os proibiram: "Olha, esse nome tem poder, mas é do nosso time! É do nosso grupo"! E Jesus repreendeu os seus apóstolos e lhes disse: "Não proibais, pois quem não está contra vós, está a vosso favor"! Então, ainda que seja um grupo adversário, não é inimigo; não torce pro meu time, mas não é meu inimigo, é apenas meu adversário (Lc 9,46-50). 
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Lc 9,46-50)

Aquele que entre todos vós for o menor, esse é o maior.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 9,46-50

Naquele tempo, 46houve entre os discípulos uma discussão, para saber qual deles seria o maior. Jesus sabia o que estavam pensando. Pegou então uma criança, colocou-a junto de si e disse-lhes: "Quem receber esta criança em meu nome, estará recebendo a mim. E quem me receber, estará recebendo aquele que me enviou. Pois aquele que entre todos vós for o menor, esse é o maior".
João disse a Jesus: "Mestre, vimos um homem que expulsa demônios em teu nome. Mas nós lhe proibimos, porque não anda conosco". 50Jesus disse-lhe: "Não o proibais, pois quem não está contra vós, está a vosso favor".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
A GRANDEZA DOS PEQUENINOS - Os valores do Reino de Deus são opostos aos do mundo. Para ser maior do que o outro, iniciam-se guerras entre as nações, mata-se e rouba-se. Para ser menor, renuncia-se a tudo, inclusive ao aparecer, ao mostrar-se, ao chamar a atenção sobre si; serve-se aos irmãos sem esperar recompensa, dedicando-se também aos trabalhos mais humildes; não se procura a amizade dos grandes deste mundo para tirar proveito, mas busca-se a aproximação das pessoas simples, das que são excluídas da sociedade; tem-se uma atenção especial a abrir o coração para quem tem fome, sede e não tem roupa, nem moradia; cultiva-se o carinho para com os idosos e os doentes; partilha-se o que se tem com aqueles que nada possuem; tem-se o coração aberto para fazer parte de grupos de espiritualidade e disponibilidade para ajudar o grupo a crescer. Mas o que levará mulheres e homens a aceitarem levar uma vida de renúncia, de sacrifício e de oblação? O amor de Deus e a visão de sua presença no outro!

 

 

A salvação nos atrai. Deixe-se atrair pela força da Santa Cruz! Assim como o povo machucado no deserto olhava para aquela serpente de bronze, que Moisés ergueu numa haste, e era curado; assim, quem contempla com fé Jesus na Santa Cruz também é curado, é salvo. Deixe-se atrair pela força da Redenção, pela força do Redentor, mas não com o olhar da carne, com o olhar do coração! Ele nos atrai e nós assumimos a cruz em nossa própria vida! A cruz não é um instrumento de madeira, um instrumento de suplício, é sinal do amor de Deus que nos salvou (Jo 3,13-17)!
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Jo 3,13-17)

É necessário que o Filho do Homem seja levantado.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João 3,13-17

Naquele tempo, disse Jesus a Nicodemos: "Ninguém subiu ao céu, a não ser aquele que desceu do céu, o Filho do Homem. Do mesmo modo como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que o Filho do Homem seja levantado, para que todos os que nele crerem tenham a vida eterna.
Pois Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que não morra todo o que nele crer, mas tenha a vida eterna. De fato, Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
SALVOS PELA CRUZ - Na Solenidade do Corpo de Cristo (em latim, Corpus Christi), a Igreja celebra a Sagrada Eucaristia, instituída na Quinta-Feira Santa. Assim também a Igreja medita a dor, os sofrimentos aos quais Jesus foi submetido e, depois, morto nesta Festa da Exaltação da Santa Cruz, a fim de enaltecer o valor do sofrimento e da cruz de Cristo, revividos na Sexta-Feira Santa. A celebração de hoje nos recorda as palavras que nosso Salvador nos deixou: "Se alguém quiser vir comigo, renuncie-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me" (Mt 16,24). Somente unidos a Cristo pela oração cotidiana encontraremos forças para tomarmos a cruz de nosso dever de estado com amor e aceitarmos a violência que temos de usar todos os dias contra nós mesmos para perseverarmos no caminho "estreito", ao qual Jesus se referiu e sobre o qual nos preveniu: "O Reino dos Céus é arrebatado à força e são os violentos que o conquistam" e "Estreita, porém, é a porta e apertado o caminho da vida e raros são os que o encontram" (Mt 1,12 e 7,14). A decisão é nossa!

 

 

A intenção move a nossa ação. Cultive uma reta intenção! Lembre-se daqueles fariseus mal-intencionados, que ficavam observando Jesus na sinagoga, em dia de sábado, para ver se Ele iria curar aquele homem com a mão atrofiada. E, depois, a sua intenção não era aplaudir Jesus pelo bem que fez, mas criticá-lo por ter feito algo no dia de sábado, que era um dia do repouso. A intenção deles estava longe do bem. A intenção já era malvada. Quando a nossa intenção é perversa, é torta, toda a nossa ação, por melhor que seja, será torta também (Lc 6,6-11). 
Pe. Joãozinho, scj
Evangelho (Lc 6,6-11)

Observavam, para verem se Jesus curaria em dia de sábado.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 6,6-11

Aconteceu num dia de sábado que Jesus entrou na sinagoga e começou a ensinar. Aí havia um homem cuja mão direita era seca. Os mestres da Lei e os fariseus o observavam, para ver se Jesus iria curá-lo em dia de sábado, e assim encontrarem motivo para acusá-lo. Jesus, porém, conhecendo seus pensamentos, disse ao homem da mão seca: "Levanta-te, e fica aqui no meio". Ele se levantou, e ficou de pé. Disse-lhes Jesus: "Eu vos pergunto: O que é permitido fazer no sábado: o bem ou o mal, salvar uma vida ou deixar que se perca?"
Então Jesus olhou para todos os que estavam ao seu redor, e disse ao homem: "Estende a tua mão". O homem assim o fez e sua mão ficou curada. Eles ficaram com muita raiva, e começaram a discutir entre si sobre o que poderiam fazer contra Jesus.
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
FAZER O BEM É SEMPRE PERMITIDO - O trecho de hoje do Santo Evangelho nos apresenta para reflexão algo que acontece também em nossos dias: a falta de diálogo. Conta-nos o autor que "Os escribas e os fariseus observavam Jesus para ver se ele curaria no dia de sábado" (v. 7a); e, em seguida, aponta qual era a finalidade de sua observação tão atenta: "Eles teriam então pretexto para acusá-lo" (v. 7b). A intenção daqueles homens, portanto, já estava preparada antes de qualquer conversa com Jesus. Não lhes interessava saber sua opinião, ouvi-la e civilizadamente propor-lhe a deles; já tinham tomado partido. Jesus, que punha a pessoa acima da Lei, realizou o milagre. Vendo isso, eles se converteram? Não. Nós devemos tomar cuidado para não imitarmos os escribas e fariseus. Dialogar é, sobretudo, apresentarmos nossa opinião, mas, também, ouvirmos a do outro. Se constatarmos que a opinião dele é melhor que a nossa, tenhamos a humildade de aceitá-la.
Confie na Divina Providência, mas pratique a humana previdência. Deus provê, Deus proverá, mas lembre-se daquela história que Jesus contou das jovens previdentes, que foram para a festa com as lâmpadas repletas de óleo; enquanto outras jovens, imprevidentes, não levaram combustível que chega e, no meio da noite, acabou o óleo e as lâmpadas se apagaram. Na nossa vida, muitas vezes, vamos nos acostumando a andar com o tanque na reserva, no limite do perigo. O combustível do coração, da fé, da esperança, do amor, da oração, da solidariedade. Ande sempre com tanque cheio (Mt 25,1-13). 
Pe. Joãozinho, scj

Evangelho (Mt 25,1-13)

O noivo está chegando. Ide ao seu encontro.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 25,1-13

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos esta parábola: "O Reino dos Céus é como a história das dez jovens que pegaram suas lâmpadas de óleo e saíram ao encontro do noivo. Cinco delas eram imprevidentes, e as outras cinco eram previdentes. As imprevidentes pegaram as suas lâmpadas, mas não levaram óleo consigo. As previdentes, porém, levaram vasilhas com óleo junto com as lâmpadas. O noivo estava demorando e todas elas acabaram cochilando e dormindo. No meio da noite, ouviu-se um grito: 'O noivo está chegando. Ide a seu encontro!' Então as dez jovens se levantaram e prepararam as lâmpadas. As imprevidentes disseram às previdentes: 'Dai-nos um pouco de óleo, porque nossas lâmpadas estão se apagando'.
As previdentes responderam: 'De modo nenhum, porque o óleo pode ser insuficiente para nós e para vós. É melhor irdes comprar aos vendedores'. Enquanto elas foram comprar óleo, o noivo chegou, e as que estavam preparadas entraram com ele para a festa de casamento. E a porta se fechou. Por fim, chegaram também as outras jovens e disseram: 'Senhor! Senhor! Abre-nos a porta!' Ele, porém, respondeu: 'Em verdade eu vos digo: Não vos conheço!' Portanto, ficai vigiando, pois não sabeis qual será o dia, nem a hora".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão do Evangelho:
A ESPERA PRUDENTE - Ao lermos esta parábola de Jesus, podemos achar que as virgens prudentes bem que poderiam ter dividido seu óleo com as imprudentes. É bom lembrarmos que as parábolas não devem ser entendidas ao pé da letra; elas nos fazem compreender melhor sua mensagem. O “óleo”, na parábola, significa as boas obras que fazemos dentro do Reino de Deus. É impossível “passar” algumas boas obras nossas para outro na hora da sua morte, ou da nossa. Mas, durante nossa vida, poderemos e devemos rezar por todos, inclusive por nós, para que Deus nos dê força para praticarmos boas obras.

Uma amizade sem confiança é igual a uma rosa sem perfume.
A vigilância é uma virtude que coloca a prudência como guarda de nossas portas. Na porta do olhar, coloque a guarda da prudência para apenas olhar, ver aquilo que edifica. Coloque a guarda da prudência nos seus lábios para saber o que dizer, quando dizer, a quem dizer. Seja vigilante: na porta do coração, para ser prudente no sentir e, na porta da mente, para ser prudente no pensar. Siga o conselho de Jesus: "Vigiai e orai para não cair em tentação" (Mt 24,42-51).
Pe. Joãozinho, scj

Evangelho (Mt 24,42-51)

Ficai preparados!

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 24,42-51

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: "Ficai atentos, porque não sabeis em que dia virá o Senhor. Compreendei bem isso: se o dono da casa soubesse a que horas viria o ladrão, certamente vigiaria e não deixaria que a sua casa fosse arrombada. Por isso, também vós ficai preparados! Porque na hora em que menos pensais, o Filho do Homem virá. Qual é o empregado fiel e prudente, que o senhor colocou como responsável pelos demais empregados, para lhes dar alimento na hora certa? Feliz o empregado, cujo senhor o encontrar agindo assim, quando voltar.
Em verdade vos digo, ele lhe confiará a administração de todos os seus bens. Mas, se o empregado mau pensar: 'Meu senhor está demorando', e começar a bater nos companheiros, a comer e a beber com os bêbados; então o senhor desse empregado virá no dia em que ele não espera, e na hora que ele não sabe. Ele o partirá ao meio e lhe imporá a sorte dos hipócritas. Ali haverá choro e ranger de dentes".
Palavra da Salvação.
Glória a vós, Senhor.

Reflexão sobre o Evangelho:
O SERVO FIEL - Também nós ficamos curiosos para saber quando acontecerá tudo isso, mas Jesus já nos disse: "Quanto àquele dia e àquela hora, ninguém o sabe, nem mesmo os anjos do céu, mas somente o Pai" (Mt 24,36). A vinda de Jesus não se dará somente no fim do mundo ou na hora da morte; dá-se todos os dias, quando encontramos as pessoas, ou elas vêm ao nosso encontro. Antes de sairmos de casa, não podemos adivinhar com quem nos encontraremos, mas de uma coisa podemos estar certos: quem vier ao nosso encontro deverá ser acolhido como se fosse Jesus. Então, nosso sorriso será verdadeiro, vindo de nosso coração. Depois, mesmo que não possamos demorar, façamo-lo com caridade, e não "despachando" o irmão!
O tempo é algo que não volta atrás. Por isso faça um jardim em sua casa e cultive as rosas que eu mando para você todos os dias. Decore a sua alma.
A hipocrisia é a doença espiritual de quem segue os passos dos fariseus do tempo de Jesus. Eles receberam uma repreensão muito severa: "Ai de vós, fariseus hipócritas! Pagais o dízimo até sobre uma folhinha de erva-doce, mas deixais de lado os ensinamentos mais importantes da Bíblia, como, por exemplo, a misericórdia! Ai de vós, guias cegos, filtrais o mosquito, mas engolis um camelo! Ai de vós, limpais o copo e o prato por fora, mas dentro está cheio de roubo, corrupção, cobiça... Fariseus cegos, limpem, primeiro, o copo por dentro, para que também por fora fique limpo"! Nada a acrescentar a respeito dos fariseus de hoje (Mt 22,23-26). 
Pe. Joãozinho, scj