29 abril 2017

Temer decide demitir aliados de 25 deputados contrários às suas reformas

REUTERS/Nacho Doce 
Para tentar aprovar suas reformas trabalhista e previdenciária, que foram alvo da maior greve geral da história do Brasil, Michel Temer decidiu punir os deputados "infiéis", que rechaçam as medidas, também reprovadas por 92% dos brasileiros, que veem o Brasil no rumo errado.
Entraram na lista nomes como Gonzaga Patriota (PSB-PE), Cícero Almeida (PMDB-AL), Luciano Ducci (PSB-PR), Marcelo Álvaro (PR-MG), Jony Marcos (PRB-SE) e Antonio Jácome (PTN-RN), que apoiaram o golpe, ganharam cargos na máquina federal, mas decidiram não se sacrificar por Temer.
A força da greve geral, no entanto, deve sepultar as reformas e o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), líder do PMDB, já avisou que o Senado irá ouvir trabalhadores e representantes de todas as centrais sindicais (leia aqui).

Nenhum comentário:

Postar um comentário